Dança Contemporânea

Amarelo e Entre Contenções

Ícone de marcador no mapa Itaú Cultural - sala Itaú Cultural Ver mapa

As duas apresentações contemporâneas acontecem a partir das 20h nesta quinta (23), no Itaú Cultural. Em "Amarelo", a coreógrafa paranaense Elisabete Finger propõe uma experiência sensorial entre massa, pele, plástico, espinhos e goiabada. Já em "Entre Contenções", o coreógrafo Eduardo Fukushima cria desenhos por meio de gestos, buscando explorar as possibilidades de comunicação do movimento.

Preço Grátis Ícone de seta para baixo
Horários Qui. às 20h Ícone de seta para baixo
Telefone 2168-1777

As informações podem estar desatualizadas.

Sugerimos contatar o local para confirmar as informações.

Ícone de marcador no mapa Avenida Paulista, 149 - Bela Vista - São Paulo

Características

  • Capacidade 254 assentos
  • Ar condicionado Tem ar condicionado
  • Ícone Wi-fi Tem wifi
  • Possui local para comer
  • Ícone acesso a pessoa com deficiência Acesso a pessoa com deficiência

Próximo a Amarelo e Entre Contenções

Guloseimas
Passeios
Exposições

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Você também pode se interessar por

  • Dança

    Hotel Lautréamont - Os Bruscos Buracos do Silêncio

    Contemporânea
    Sex. às 21h | A partir de R$ 20

    O espetáculo da Cia. Corpos Nômades é inspirado na obra do poeta Isidore Ducasse (1846-1970), o Conde de Lautréamont, um dos precursores do Surrealismo na literatura. Os corpos dos intérpretes "zoomorfizam-se" e "zoofiliam-se", como os personagens de Lautréamont.

  • Dança

    Carta ao Pai

    Contemporânea
    Sex. às 21h | Grátis

    Utilizando força bruta e gestos delicados, a Cia. Carne Agonizante cria movimentos em forma de espasmos para interpretar este espetáculo inspirado da obra homônima de Franz Kafka. No texto, uma carta destinada a seu pai, mas nunca enviada, o autor expõe a mágoa em...

  • Dança

    Resquícios Brutos

    Contemporânea
    Estreia em 27/6 | A partir de R$ 10

    Desdobramento de intervenções realizadas pelo Núcleo Mirada em espaços público de São Paulo, o espetáculo questiona o que a cidade produz no corpo dos seus moradores.

  • Final do conteúdo