Monólogo lembra 15 anos da morte de Caio Fernando Abreu

O ator Davi Kisnki vive um jovem em terras estrangeiras no monólogo "Lixo e Purpurina", que estreia na sexta-feira (25) no espaço Cênico do Sesc Pompeia. Baseado em textos do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu (1948-1996), o espetáculo fala de descobertas, solidão e dor. A data de estreia coincide com os 15 anos da morte do autor.

Veja galeria de fotos do espetáculo

O ator Davi Kisnki em cena do monólogo "Lixo e Purpurina", que estreia na sexta-feira (25) no espaço cênico do Sesc Pompeia
- Crédito: Rachel Espírito Santo/Divulgação

Serviram de inspiração textos de Abreu como "Lixo e Purpurina" e "Anotações sobre o Amor Urbano", além de sua experiência nos anos 1970, quando ele se exilou em Londres. Na cidade inglesa, o escritor se deparou com dificuldades de adaptação a um novo espaço e uma nova língua.

A trilha sonora da peça passa por clássicos que vão de Radiohead a Janis Joplin.

Informe-se sobre o evento

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais