Bares apostam em arremesso de machado e em brechó para atrair clientes

Com casas reabertas na quarentena, São Paulo é recheada de opções com atividades inusitadas

Esther Morel
São Paulo

Nada de mesa de bar com amigos, cerveja gelada e petiscos na hora da happy hour —algumas casas de São Paulo vão além da programação tradicional para desestressar pessoas que saem do trabalho e buscam um lugar aberto após a autorização do governo para bares e restaurantes voltarem a funcionar na capital paulista.

É possível arremessar machados entre um gole e outro, por exemplo. Ou então escolher uma nova peça de decoração para a sala enquanto espera o drinque ficar pronto.

No Hatchet House, na Vila Olímpia, o arremesso de machados é o carro-chefe. Esporte pouco conhecido no Brasil, ele conta com uma liga especializada —a WATL, ou Liga Mundial de Arremesso de Machados—, responsável por organizar campeonatos entre países como Canadá, China e Estados Unidos. Foi pensando em popularizar a prática por aqui que a casa foi aberta no ano passado em São Paulo.

As pistas de arremesso são separadas do salão por grades, com instrutores à disposição, e possuem alvos de madeira em uma das pontas. A primeira hora custa R$ 40, e os clientes ganham descontos progressivos de acordo com o número de amigos que levam.

Para contribuir com a atmosfera, a decoração tem temática nórdica e rústica, com cores sóbrias, além de elementos do rock clássico. Claro que a inspiração também aparece no cardápio. A variedade de pratos é grande, com opções de hambúrgueres, steaks e porções. Uma das boas pedidas é a flatbread —espécie de minipizza artesanal de massa fina—, como a Sif (R$ 24), sabor marguerita, e a Surtur (R$ 27,50), com mix de cogumelos shimeji, shiitake e paris com queijo minas.

Entre as bebidas, o grande destaque é a cerveja, com muitos rótulos brasileiros e estrangeiros. Mas é é possível pedir vinhos, espumante, hidromel, drinques clássicos e opções sem álcool. Dependendo do dia, dá para encontrar boas promoções de dois por um de Guinness (às quintas, R$ 31 o pint) e de gim-tônica (aos sábados, R$ 23) .

Enquanto isso, o Boutique Vintage Brechó Bar funciona de um jeito curioso. Se alguém vir algo interessante entre os objetos expostos, vale perguntar o valor a um dos atendentes. O bar funciona juntamente com um brechó e possui roupas, acessórios e itens de decoração à venda.

Como em todo estabelecimento desse tipo, a ideia é garimpar. O cliente vai encontrar artigos que remetem à infância e décadas passadas, como espelhos, móveis, quadros, eletrônicos, vasos, casacos, calças, vestidos e sapatos...

O espaço descontraído e informal combina bem com cerveja artesanal, mas vale apostar nos drinques para dar um ar mais chique. Peça o clássico negroni (R$ 38) ou o moscow mule (R$ 35, com vodca artesanal brasileira).

Para comer, sanduíches são a principal atração do menu. As duas receitas preparadas no pão bossa enchem os olhos: uma delas leva costela bovina desfiada, marinada na cerveja stout e defumada, fatias de bacon frito e molho tártaro (R$ 28) e a outra chega com paleta suína desfiada, marinada em tempero crioulo, salada coleslaw molho barbecue da casa (R$ 24).

Quem gosta de um bom e simples hambúrguer pode ir sem medo no Super Burguer (R$ 27), com carne bovina de 140g, queijo prato, bacon, ovo, picles de pepino e maionese caseira.

As casas fazem parte do projeto Achados Elo, que tem apoio da empresa de cartões e faz uma curadoria de estabelecimentos com opções únicas em São Paulo. A seleção é feita pela equipe do Guia Folha e segue os mesmos critérios e análises usados semanalmente pelo suplemento.

Boutique Vintage Brechó Bar
R. da Mooca, 1.721, Mooca, região leste, tel. 98109-0087. Qua. a sex.: 17h às 23h. Sáb.: 14h às 23h. $$

Hatchet House
R. Professor Vahia de Abreu, 587, Vila Olímpia, região sul, tel. 3842-6387 e 95699-4242 (WhatsApp). Qui. a sáb.: 16h às 22h. Dom.: 15h às 21h. $$$$

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem