Descrição de chapéu Crítica
Criança

Musical inspirado em poesias de Mario Quintana esbanja delicadeza

Personagens-músicos contam histórias tiradas do livro 'Canções', do escritor gaúcho

GABRIELA ROMEU
São Paulo

Depois de musicar a obra de Manoel de Barros, o cantor Márcio de Camillo traduz num novo musical o universo poético de Mario Quintana. Inspirado no livro “Canções”, “Crianceiras” tem direção de Luiz André Cherubini.

Camillo é um intérprete que foge do tatibitate e esbanja delicadeza na comunicação com a plateia, em pausas acertadas, numa movimentação cênica bem marcada. Os versos do poeta, que embalam um menino ou que falam de uma senhora Dona Cômoda, são por ele cantados e, às vezes, falados.

Logo no início do show, o músico pontua: “Sonhar é acordar-se para dentro”. Tal verso puxa o fio de uma narrativa sobre o desabrochar da poesia, num espetáculo cheio de ritmos musicais, com momentos mais intimistas e outros mais expansivos.

A narrativa é visual, contada em desenhos de luz, nos figurinos e, principalmente, no cenário. A cenografia de Carlo Giovani vai aos poucos povoando o palco com painéis cinzentos que ilustram uma cidadezinha do interior e figuras bidimensionais.

Os figurinos de Sandra Vargas, cheios de cor e humor, provocam contrastes e trazem uma certa estranheza aos personagens-músicos que tiram sons dos instrumentos, seus brinquedos.

Avaliação: muito bom
Indicação da crítica: a partir de três anos


Sesc Pompeia - teatro - R. Clélia, 93, Água Branca, tel. 3871-7700. Dom.: 12h. Até 1º/5. 60 min. Livre. CC: V, M, AE, E, D. Ingresso: R$ 5 a R$ 17. Menores de 12 anos: grátis. Ingr. p/ sescsp.org.br.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais