Com cervejas e jogos, barbearias são opção de presente para o Dia dos Pais

Assistir ao pai fazer a barba —imitando-o— é algo comum entre meninos. Nem pelo no rosto eles têm, mas já sabem repetir o passo a passo: creme de barbear, vaivém da lâmina, loção pós-barba.

Na infância, o ritual combina com diversão e aprendizado, mas, na fase adulta, normalmente (dizem) ele não chega a ser prazeroso.

É aí que entra esse roteiro, para sugerir que pais e filhos estejam juntos e se divirtam com a velha prática. Não em casa, mas em barbearias que, além dos serviços estéticos, oferecem carta de cervejas, drinques e até pratos.

Lugares do tipo estão pipocando pela cidade —só neste ano abriram ao menos cinco.

Todas têm um quê de outrora: ambiente retrô e profissionais usando toalhinhas, quente e fria, e navalha na hora de barbear o cliente.

A maioria tem trilha sonora bem cuidada, e algumas oferecem passatempos como videogame e pebolim para o caso de haver fila de espera com o barbeiro. Enfim, é para homem se divertir no salão de beleza.

Pensando nisso, e em uma forma menos óbvia de passear com seu pai e presenteá-lo, listamos a seguir dez barbearias do tipo.

Para ilustrar as indicações, convidamos nosso repórter fotográfico Gabriel Cabral e o pai dele, Roberto, para testarem antecipadamente o "presente" -leia na página 9.

E o programa vale também para as mulheres, que podem bebericar e curtir as outras atrações dos lugares enquanto o presenteado dá um trato no visual.

Seu pai e você vão ficar nos trinques!



"Eu e meu pai nos sentamos em cadeiras antigas de barbeiro (daquelas reclináveis) e começamos a relembrar causos da família Cabral. O papo estava bom, até que Leandro pegou a navalha. Dei fim à conversa. Melhor prevenir do que remediar. 'E se essa navalha escorrega?', eu pensava toda hora. Tanto que nem consegui prestar atenção na trilha sonora, no volume alto. Meu pai estava tranquilo. Enquanto eu me calava, ele arrancava confissões de Nino, o outro barbeiro, que nas horas vagas faz o bigode dos parceiros da quebrada. Barba feita, troca-se a navalha por um aparelho massageador. As bochechas vibram e a gente (quase) dorme de tão bom. Leandro deixou minha barba curta nas laterais e com mais volume no queixo. Disse que era para disfarçar meu rosto redondo. Meu pai só aparou. Gostou do resultado, mas achou um pouco caro. Ele é assim, meio chato -detalhe: foi um presente. Depois da barba, fomos ao cabelo, e retomamos o papo. Pedimos uma cerveja, Duvel Tripel Hop, potente, aromática, e a fome bateu. Findado o "tratamento", às 13h, deixamos o salão e fomos às mesinhas do restaurante anexo. Almoçamos ali mesmo. Eu, salmão com alcaparras, ele, penne com shiitake na manteiga. De sobremesa, tabelamos petit gâteau com sorvete e torta de limão."

O repórter fotográfico Gabriel Cabral, 26, levou seu pai, Roberto Cabral, 52, à barbearia Corleone, na Vila Olímpia, para celebrarem, adiantadamente, o Dia dos Pais.


BARBEARIAS

Barbudos
Barbeiros barbados e de suspensórios dão um "up" no visual de homens (também barbudos) da região norte. A barbearia abriu há 20 dias na movimentada avenida Engenheiro Caetano Álvares. Por enquanto, fazem apenas barba (R$ 40) e cabelo (R$ 50) —o combo sai por R$ 80—, mas em breve devem estrear as salas de podologia e de estética. Acomodados em cadeiras Ferrante de design retrô, clientes podem bebericar chopes, como o pilsner da Invicta (R$ 8), e outras 45 opções de cervejas em garrafa —a Vedett (330 ml) sai por R$ 15. O serviço é feito como manda a tradição, com toalha quente e navalha.

Av. Engenheiro Caetano Álvares, 5.699, Imirim, tel. 2659-7695. Seg. a sáb.: 9h às 21h. CC: M e V.

Barbearia Bastos
Ao adentrar a barbearia, vê-se primeiro o bar -abastecido com garrafas de uísque, cachaça, vinho e cerveja. "Tem cliente que faz a barba num dia e volta no outro só para beber", conta a recepcionista. A carta lista rótulos das cervejarias Karavelle, Madalena e Eisenbahn (de R$ 6 a R$ 15). Os barbeiros utilizam toalha quente, óleo de jojoba e navalhete (lâmina descartável) para barbear os clientes -seguindo o método americano, dizem. Sai por R$ 45. A gama de serviços também inclui corte de cabelo (R$ 55), camuflagem de fios brancos, manicure e massagem (com pedras quentes).

R. Aurélia, 798, Vila Romana, tel. 3862-8552. Ter. a sex.: 10h às 20h. Sáb.: sáb.: das 9h às 18h. CC: M e V.

Cavalera
Ao som de uma playlist roqueira, Marinho (da extinta banda Pavilhão Nove) faz barba e cabelo (R$ 110) -ele atende dentro da flagship da Cavalera, na rua Oscar Freire, numa cadeira reclinável de 1830. Trocou o baixo pela navalha em 2013 e, atualmente, é o barbeiro-chefe de uma equipe de 14 profissionais. O espaço reflete o clima das barbearias antigas -e cheira a rum e louro, por conta da loção pós-barba (R$ 69). Além de água e café, oferece long neck de Stella Artois cortesia aos clientes. Há outras duas unidades, no Bexiga e na Vila Madalena, ambas inauguradas neste ano.

R. Oscar Freire, 1.102, Cerqueira César, tel. 3083-5187. Seg. a sex.: 11h às 19h. Sáb.: 12h às 17h. CC: todos.

Circus Hair
No manejo da navalha -e num ambiente tão masculino-, Juliana Félix é quem cuida dos barbados no salão da rua Pamplona. A barbearia fica aos fundos, num cantinho todo retrô. Usa um paquímetro para medir o rosto do cliente e escolher o melhor desenho para barba (veja mais na página 12). O serviço ainda inclui toalhas quente e fria e uma dose de uísque Jameson "on the rocks" cortesia. Mesa de sinuca e gibiteca entretêm a fila de espera. Vez ou outra também são realizadas exposições, performances e atrações musicais.

R. Pamplona, 1.115, Jardim Paulista, tel. 3262-2127. Ter.: 11h às 22h. Qua.: 12h às 21h. Qui. e sex.: 11h às 22h. Sáb.: 10h às 20h. CC: todos.

Corleone
Tem dois endereços na cidade -o mais novo (e maior) deles abriu no mês passado, na Vila Olímpia. São mil metros quadrados que abrigam 12 cadeiras de barbeiro (garimpadas em antiquários), mesa de bilhar, pinball e bar, além de espaço privativo (com sauna) para Dia do Noivo -em breve, deve inaugurar uma charutaria. Além de barba e de cabelo (R$ 140), oferece massagem, serviços de estética e podologia. A carta de cervejas lista 450 rótulos nacionais e importados à venda.

R. Nova Cidade, 26, Vila Olímpia, tel. 3044-2332. Ter. a dom.: 9h às 21h. CC: AE, D, E, M e V.

Dr. Jones
Em quadros, Salvador Dalí e outros bigodudos observam o trabalho do barbeiro Anderson Santos. No primeiro andar da loja Reserva, na rua Bela Cintra, ele recebe clientes (com hora marcada) para cortar o cabelo (R$ 130) e fazer a barba (R$ 70) -o combo dos serviços sai por R$ 150. Além da tesoura e da navalha, ele usa produtos da Dr. Jones -como dá para desconfiar- nos procedimentos, que incluem toalhas quente e fria mais esfoliação. Na hora da sede, oferece cerveja Cacilds (a do Mussum) ou dose de vodca como cortesia.

R. Bela Cintra, 2.149, Consolação, tel. 3064-0289. CC: M e V.

Garagem
Tem cadeiras Ferrante de design retrô para corte de cabelo (R$ 90) e barba (R$ 55), mas a rede com dois endereços na cidade é mais um salão de beleza masculino do que somente uma barbearia. Também oferece limpeza de pele, drenagem linfática, tintura, depilação de sobrancelha e Dia do Noivo. A cada serviço, ganha-se uma cerveja Miller, Heineken ou Estrella Galicia para acompanhar -os repetecos saem por R$ 4 cada. Para homens sem tanto tempo, a casa trabalha com opção de otimização de dois ou mais tratamentos (que são realizados simultaneamente) -para o cliente fazer tudo o que precisa em pouco mais de meia hora.

Av. Agami, 183, Moema, tel. 5052-7511. Ter. a sex.: 10h às 21h. Sáb.: 9h às 19h. CC: todos.

Nove de Julho
Inspirada nas barbearias das décadas de 1940 e 50, a rede (hoje com sete endereços em São Paulo) trabalha à moda antiga mesmo. Nem marca horário. Homens que quiserem se barbear ou cortar o cabelo têm de chegar e enfrentar fila. Antes da navalha, toalhinha quente com aroma de eucalipto; depois, massageador facial. Por R$ 70 (barba, cabelo e bigode), saia de lá com um visual rockabilly. "Não há cerveja, mas, sim, drinque da casa. Tem cliente que bebe aqui e tem quem leve para casa. Vem num vidrinho", disse Renan, o barbeiro. A mistura alcoólica leva uísque, Campari, vermute, licor de damasco e angostura (R$ 20).

R. Senador Paulo Egídio, 63, tel. 3101-8592. Seg. a sex.: 9h às 19h. Sáb.: 10h às 17h.

Retrô Hair
É, na verdade, um salão de beleza unissex, mas dispõe de uma salinha reservada para a barbearia. Segue a linha retrô: o espelho foi da família Matarazzo, as cadeiras de barbeiro são da década de 1920 e o autoclave, que aquece e esteriliza os instrumentos, é dos anos 1950. O método de barbear também vem de outrora. Usa toalhinha quente com óleos essenciais e navalha japonesa. Barba feita (R$ 50), é hora da esfoliação, da máscara antirrugas e, por fim, da drenagem facial. A cerveja gelada (à vontade), geralmente Itaipava, é por conta da casa.

R. Augusta, 902, Consolação, tel. 3151-5820. Ter. a sáb.: 10h às 20h. CC: todos.

Vera Cruz Barbearia
"Relaxa, ninguém vai ficar sabendo", diz o catálogo de serviços sobre a feitura de sobrancelha (R$ 15). "Tem homem que tem vergonha, mas fica imperceptível, só tiramos o excesso", afirma Felipe Fabossi, sócio da barbearia inaugurada há uma semana na região norte. Cervejas (a primeira é cortesia) acompanham serviços como corte de cabelo (R$ 60) e barba (R$ 40) -tem Heineken, Stella Artois (R$ 7,50 cada) e Corona (R$ 10). Para as crianças, Toddynho. A fila de espera pode ser amenizada com partidas de bilhar e de videogame.

Av. Voluntários da Pátria, 3.604, Santana. tel. 3637-5300. Seg. a dom.: 10h às 20h. CC: M e V

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais