Conheça as atrações do Lollapalooza que flertam com a eletrônica

Conhecido por sua pegada roqueira, o festival Lollapalooza chega à sexta edição brasileira neste sábado (25) e no domingo (26), no autódromo de Interlagos, com uma particularidade no line-up: fora uma ou outra grande atração, como os headliners Metallica e The Strokes, a programação é dominada por artistas da cena eletrônica ou que são influenciados por ela. The Weeknd e The Chainsmokers são só alguns exemplos dessa nova cara do festival. Saiba mais.


NA CRISTA DA ONDA

THE WEEKND

QUEM É: Abel Makkonen Tesfaye, mais conhecido por seu nome artístico, The Weeknd, é um cantor e produtor musical canadense que ganhou dois prêmios Grammy. Artista sensação do momento, ele tem um pé fincado no R&B, mas acrescenta a sua sonoridade batidas eletrônicas e elementos do rap. Lançou em 2015 o elogiado álbum "Beauty Behind the Madness", e, um ano depois, Starboy, que carrega maior influência dos beats e traz duas músicas gravadas com a dupla francesa Daft Punk.
PARA OUVIR: seus hits são"The Hills", "Can't  Feel My Face", "Earned It"  (indicada ao Oscar de melhor canção), "I Feel it Coming", "Starboy" e "Party Monster".
QUANDO: Palco Onix​ - domingo, 18h55 às 20h25.

The Weeknd
Artista do momento, The Weeknd se apresenta no domingo - Divulgação


THE CHAINSMOKERS

QUEM É: Formada pelos DJs e produtores nova-iorquinos Andrew Taggart e Alex Pall, a dupla ficou conhecida com o hit "#Selfie", de 2014. Desde então, ganhou destaque, acumulando parcerias com nomes como a cantora Halsey e o grupo Coldplay e prêmios (como o Grammy de melhor gravação dance em 2017). Presentes no Lollapalooza de 2015, eles recentemente colocaram três músicas ao mesmo tempo no top 10 da parada Hot 100 da Billboard, feito alcançado apenas por Beatles e Bee Gees.
PARA OUVIR: as faixas "Closer", "Paris" e "Don't Let me Down"
QUANDO: Palco Axe - sábado, 21h45 às 23h.

The Chainsmokers
O duo nova-iorquino The Chainsmokers se apresenta no sábado - Jack Plunkett/AP


FLUME

QUEM É: O DJ, produtor e músico australiano Harley Edward Streten, conhecido como Flume, lançou em 2012 seu primeiro trabalho, homônimo, que caiu nas graças da crítica. O artista (que veio ao Lolla em 2014) já fez remixes para canções de Lorde, Sam Smith, Arcade Fire e Disclosure, entre outros, e tem parcerias com Chet Faker e Tove Lo. Seu segundo álbum, Skin (2016), lhe rendeu em 2017 o Grammy de melhor álbum de dance/eletrônica.
PARA OUVIR: as músicas "Never Be Like You" e "Drop the Game".
QUANDO: Palco Axe - domingo, 20h45 às 22h.

Flume
O DJ, produtor e músico australiano Flume toca no domingo - Cybele Malinowski/Divulgação


BRASUCAS

QUEM É: Criado em 2009 em Salvador, o grupo preserva um núcleo formado pelo guitarrista Roberto Barreto, o baixista Marcelo Seco, o cantor Russo Passapusso e o designer Filipe Cartaxo a cada show, contam com músicos variados para completar o time. Em 2016, lançaram o elogiado álbum "Duas Cidades", que reúne samba-reggae, rap, ritmos baianos, jazz e dub. Quem for assisti-los ao vivo pode escutar muita coisa diferente do que o que está no CD: os músicos mostram novas versões para as faixas. Leia bate-papo com Russo Passapusso abaixo.
PARA OUVIR: a música "Panela" e "Duas Cidades".
QUANDO: Palco Axe - sábado, 14h15 às 15h15.

Como você define a sonoridade do BaianaSystem?
Acho que é a ideia de ser experimental no sentido de usar ferramentas sonoras distintas. É como se fosse uma montagem de quebra-cabeça que tem muita relação com a tradição e a tradução. É um som que caminha pela ideia de comportamento e da visão do cotidiano dentro das composições. E acho que existe uma fusão que transcende a ideia de orgânico e eletrônico como coisas separadas.

Você se prepara para um festival como o Lollapalooza de forma diferente?
O comportamento é totalmente diferente. Como viemos da escola do Soundsystem, a gente pensa muito no espaço onde vai rolar o show. Porque pensamos nas frequências, equipamentos...Muda se é de dia ou de noite, em espaço aberto ou fechado. Tudo isso interfere na interpretação do nosso repertório. E a reação do público dita muito também.

BaianaSystem
O conjunto BaianaSystem se apresenta no sábado - Filipe Cartaxo/Divulgação


CÉU

QUEM É: A cantora paulistana lançou em 2016 seu quarto disco, "Tropix". Considerado seu trabalho mais maduro, ele passeia por trip-hop, eletrônica e R&B, sem deixar de lado as influências latinas da artista. Com o álbum, ela ganhou os prêmios de artista do ano pela APCA (em 2016) e o de melhor disco pop em português no Grammy Latino.
PARA OUVIR: "Amor Pixelado", "Perfume do Invisível" e "Varanda Suspensa".
QUANDO: Palco Skol - domingo, 13h15 às 14h15.

Céu
A cantora paulistana Céu se apresenta no sábado - Luiz Garrido/Divulgação


JALOO

QUEM É: Nascido em Castanhal, no Pará, o músico Jaime Melo, mais conhecido como Jaloo, mistura em sua música elementos regionais e do tecnobrega a ritmos como o pop e a eletrônica. Sempre associado à discussão sobre gênero e sexualidade no país, ele usa e abusa das cores no visual. Além do trabalho autoral, o artista faz remixes, ainda que nem sempre autorizados, de grandes cantoras estrangeiras, como Beyoncé e Donna Summer.
PARA OUVIR: "Chuva", "Ah! Dor!" e "Insight".
QUANDO: Palco Axe - sábado, 12h45 às 13h30.

Jaloo
O paraense Jaloo toca no primeiro dia do festival - André Seiti/Divulgação


DISC-JÓQUEIS

MARTIN GARRIX

QUEM É: O DJ holandês de 20 anos, apontado em 2016 pela revista especializada DJ Mag como o melhor do mundo, ficou conhecido com o lançamento da música Animals, em 2013 —o clipe oficial acumula mais de 967 milhões de visualizações no YouTube. A partir daí, passou a colaborar com grandes nomes da cena internacional, como Usher e Ed Sheeran, e da eletrônica, caso de Tiesto e Dimitri Vegas & Like Mike. Grande destaque da eletrônica nesta edição, já tocou em festivais prestigiados como Coachella (EUA), Ultra Music Festival (EUA), Tomorrowland (Bélgica) e Electric Daisy Carnival (nos EUA e na edição paulistana, em 2015).
PARA OUVIR: as faixas "In The Name of Love", "Tremor" e "Lions in The Wild".
QUANDO: Palco Perrys - domingo 20h45 às 22h.

O DJ e produtor musical holandês Martin Garrix, que se apresenta no Lollapalooza 2017 ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
O DJ e produtor holandês Martin Garrix, considerado o melhor do mundo, toca no Lollapalooza - Divulgação


OLIVER HELDENS

QUEM É: Outro grande nome da cena eletrônica mundial, também vem da Holanda. Em 2014, o DJ e produtor chamou a atenção de Tiesto que apostou no rapaz e lançou pelo seu selo a faixa "Gecko" (que chegou ao topo das paradas na Inglaterra).Hoje, aos 22 anos, Heldens está à frente da sua própria gravadora, a Heldeep Records, e figura na oitava posição do ranking da DJ Mag. Em suas composições, transita por EDM e house.
PARA OUVIR: as faixas "Shades of Grey" e "Flamingo".
QUANDO: Palco Perrys - domingo, 18h15 às 19h15.

Oliver Heldens
O DJ Holandês Oliver Heldens toca no domingo - Divulgação


VINTAGE CULTURE

QUEM É: Nascido na cidade de Mundo Novo, em Mato Grosso do Sul, o DJ e produtor Lukas Ruiz revela influências dos anos 1980 em seu nome artístico, Vintage Culture. Ganhou os holofotes ao lançar versões para músicas como Blue Monday, do New Order, e Bete Balanço, de Cazuza. Atualmente com 23 anos, ele ocupa a posição 53 do ranking da DJ Mag e apresenta sua mistura de deep house, synth pop e nu disco. Ele já tocou no Lolla, em 2015.
PARA OUVIR: as faixas Hollywood e Wild Kidz.
QUANDO: Palco Perrys - sábado, 18h45 às 19h45.

 Vintage Culture
O DJ e produtor Vintage Culture se apresenta no sábado - Divulgação


Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais

Mais lidas