"Canção de Baal" marca a estréia de Helena Ignez como diretora

A atriz Helena Ignez estréia "Canção de Baal" (Brasil, 2008), seu primeiro longa como diretora, na 32ª Mostra Internacional de Cinema. A história é livremente inspirada na peça "Baal", do poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht.

Crédito: Divulgação Filme "A Canção de Baal" é livremente inspirada na peça "Baal", do alemão Bertolt Brecht

A trama é focada em Baal (interpretado por Carlos Careqa), poeta e cantor que encanta a todos com suas palavras --apesar de ser desagradável e machista.

O artista recusa uma proposta que o ajudaria a ascender socialmente e escolhe levar a vida como marginal, preenchendo seus dias com a companhia de belas mulheres.

Há, entre as cenas, algumas inserções com a voz original de Brecht, além de uma "entrevista" com o cientista Albert Einstein (também interpretado por Careqa).

Einstein estava no Brasil quando comprovou a Teoria da Relatividade, em 1919, mesmo ano em que o dramaturgo finalizou a peça que deu origem ao filme.

Helena Ignez é considerada a "musa do cinema novo". Atuou em importantíssimos filmes brasileiros, como "O Pátio" --curta que marcou a estréia de Glauber Rocha e da própria Helena no cinema--, "O Bandido da Luz Vermelha" e "A Mulher de Todos", ambos de Rogério Sganzerla.

Leia mais

Especial

Direção: Helena Ignez. Duração: 77 minutos. Classificação etária: 14 anos.
As informações estão atualizadas até a data acima. Sugerimos contatar o local para confirmar as informações

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

[arquivo "virtual/hunting/1/newslistshunting_newslist.inc" não encontrado em: "http://guia.folha.uol.com.br/virtual/hunting/1/newslistshunting_newslist.inc", "http://indices.corp.folha.com.br/virtual/hunting/1/newslistshunting_newslist.inc", "/virtual/hunting/1/newslistshunting_newslist.inc"]