Descrição de chapéu Crítica
Criança

Cinema mudo e circo guiam 'Telhado de Ninguém', peça de humor sutil

Espetáculo infantil acompanha dois personagens que se refugiam em um telhado

GABRIELA ROMEU
São Paulo

"Telhado de Ninguém", primeiro espetáculo da Companhia do Polvo, dilui números circenses de acrobacia, equilibrismo e palhaçaria numa narrativa sem palavras, inspirada no cinema mudo, mesclando as linguagens do picadeiro, do teatro e da música. A direção é de Mark Bromilow.

Num pequeno universo, num telhado cercado por um mar de lixo por todos os lados, duas figuras enigmáticas se refugiam e tentam sobreviver. São interpretadas por Natalia Presser e Nico Serrano, que formam uma boa dupla e nos revelam muito de seus personagens com gestos simples e precisos.

Na disputa pelo território, entre o acordar, garantir o que comer, lavar a própria roupa e dormir, os personagens demonstram medos e tensões em pequenas ações cotidianas.

A música e a sonoplastia ao vivo, a cargo de Andrei Presser e Denão, amplificam os sentimentos da dupla cômica naquele telhado onde chaminé vira máquina de lavar e antena de TV é equipamento circense.

Caprichados, os figurinos de Vivianne Kiritani indicam que a vida é cheia de improvisos, tal qual a bola que funciona como chapéu. Já a luz de Camila Andrade cria uma atmosfera misteriosa, revelando aos poucos o cunho ambiental, mas nada panfletário da peça.

Num ritmo que por vezes se perde em cenas longas, o humor infantil se equilibra nas entradas de um pequeno invasor astucioso, que ganha a cumplicidade das crianças.

Avaliação: bom
Indicação da crítica: a partir de 5 anos

Sesc Consolação - teatro Anchieta - R. Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque, região central, tel. 3234-3000. 280 lugares. Sáb.: 11h. Até 3/3. CC: V, M, AE, E, D. Ingresso: R$ 5 a R$ 15. Menores de 12 anos: grátis. Ingr. p/ sescsp.org.br.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais