Descrição de chapéu funk teatro
Mural

Em peça interativa, até defuntos se rendem ao ritmo do funk

Grupo do Grajaú apresenta últimos dias de 'O Pancadão, o Baile Segue' neste fim de semana

Erika Pacheco
São Paulo

“O Pancadão, o Baile Segue?”, espetáculo do grupo teatral Núcleo Pele, realiza as últimas apresentações neste sábado (4) e domingo (5).

Montada por artistas do Grajaú, a peça apresenta um baile funk que já dura três meses. Neste período, uma pessoa morreu, mas o corpo continua pulando por causa da música.

Cena do espetáculo ‘O Pancadão, o Baile Segue’, do grupo teatral Núcleo Pele
Cena do espetáculo ‘O Pancadão, o Baile Segue’, do grupo teatral Núcleo Pele - Bárbara Terra/Divulgação

A benzedeira, o pastor e uma mãe que reclama que os filhos não conseguem dormir se reúnem com um líder comunitário para decidirem se o baile segue ou não. O debate é cortado por cenas interativas.

O público também é convidado a transitar pelos diversos cômodos do espaço cultural onde a peça é realizada, além de ser convidado a tomar um chá com uma personagem e opinar se são a favor ou contra o baile.

A montagem é fruto da pesquisa Corpos de Pancadão, o Baile Segue?, que investigou  os bailes de rua nas periferias de São Paulo. Em caso de chuva, a peça não é apresentada.

Terreiro do Útero - R. Irina Milchev Starbulov, 480, Parque Grajaú. Sáb.: 20h. Dom.: 18h. Até 5/5. 20 lugares. Reserva de ingressos: nucleopele@gmail.com. Ingr.: Contribuição voluntária.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem