Descrição de chapéu Crítica
Criança

Excessos ofuscam momentos potentes da narrativa em musical sobre Malala

Espetáculo acompanha viagem da jornalista Adriana Carranca à cidade da a jovem paquistanesa

GABRIELA ROMEU
São Paulo

Malala, a Menina que Queria Ir para a Escola

  • Quando Até 30/9
  • Onde youtube.com/itau
  • Preço Grátis
  • Classificação Livre
  • Direção Renato Carrera

Depois de passar com sucesso por algumas cidades do Brasil em 2019, o espetáculo infantil "Malala, a Menina que Queria Ir para a Escola" está de volta em ambiente online. Patrocinador do evento, o Itaú disponibiliza gratuitamente o musical a partir deste sábado (30), às 16h, em seu canal no Youtube (youtube.com/itau) e até o dia 30 de setembro.

Inspirada na obra da jornalista Adriana Carranca, a peça idealizada pela atriz Tatiana Quadros tem direção de Renato Carrera e canções de Adriana Calcanhotto. A trama narra a viagem de Carranca ao Paquistão poucos dias após um atentado do Talibã contra Malala, uma menina de 15 anos que defendia o direito à educação e se tornou símbolo mundial.

Confira abaixo a crítica da jornalista Gabriela Romeu na época do lançamento do espetáculo.

Em “Malala, a Menina que Queria Ir para a Escola”, adaptação da obra da jornalista Adriana Carranca, a plateia infantil acompanha a saga da jovem paquistanesa que é símbolo da luta pelo direito à educação feminina, numa espécie de conto de fadas do real.

A história é contada pela destemida jornalista, durante incursão ao Vale do Swat. Um elenco habilidoso que canta e dança multiplica as vozes narrativas em cenas que lembram uma brincadeira de criança, na qual cadeira vira trono e lençol, capa.

Assim como a biografia de Malala, a aventura por si só já é atraente para enredar o espectador. Este fato coloca em cheque as interpretações marcadas de excessos nos gestos e nas falas, que ofuscam momentos potentes da narrativa.

As canções de Adriana Calcanhotto, como “O Teu Nome É Música”, garantem alguns dos pontos mais emocionantes do espetáculo. Ao final, todos se levantam para entoar “Baile de Malala”, de Fernanda Sal, cujos versos já nascem como um tipo de hino em defesa da importância da igualdade de gênero.

Até 30/9 no canal do Itaú do Youtube: youtube.com/itau. Grátis. Indicação da crítica: a partir de cinco anos.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais