Festival de Cinema Latino-Americano traz filmes fora do circuito comercial a São Paulo

Com o circuito de cinema dominado, muitas vezes, por filmes hollywoodianos e europeus, pode ser complicado olhar para as produções dos nossos vizinhos.

Mas o 11º Festival de Cinema Latino-Americano deixa a tarefa mais fácil —e, claro, prazerosa. A partir de quarta (20) e até 27/7, o evento traz 118 filmes vindos de 13 países latinos, inclusive o Brasil.

As projeções ocorrem em oito endereços paulistanos, e os ingressos podem variar de gratuitos até R$ 10. O Centro de Formação e Pesquisa do Sesc, na Bela Vista, recebe debates (R$ 15).

Nesta edição, o festival tem foco especial na presença feminina no audiovisual: do total de filmes na programação, 53 (cerca de 45%) são dirigidos por mulheres. 

As produções presentes na programação estão divididas em sete mostras, que incluem de filmes inéditos no Brasil até longas dos anos 1940.

As categorias também valorizam o trabalho feminino. Há, por exemplo, uma seção inteira dedicada à cineasta Anna Muylaert, a homenageada deste ano.

O festival faz uma retrospectiva de seu trabalho: exibe telefilmes, videoclipes, episódios de séries (como “Castelo Rá-Tim-Bum”), curtas e longas-metragens, como o elogiado “Que Horas Ela Volta?”.

O inédito “Mãe Só Há Uma”, que estreia no circuito em 21/7, abre o festival na noite de quarta (20), no Memorial da América Latina.

Outras mostras que evidenciam as mulheres são Divas e Mulheres Atrás das Câmeras, que reúnem filmes protagonizados ou dirigidos por profissionais mexicanas.

O “Guia” selecionou destaques: filmes que estreiam na cidade e obras que valorizam a mulher.

Veja a programação completa.


Onde e quanto?

Locais que recebem o Festival em São Paulo


Memorial da América Latina
Tenda de projeções e espaço Petrobras de encontros.
Av.Auro Soares de Moura Andrade, 664, portões 2 e 5, Barra Funda, tel.2769-8098. GRÁTIS

CineSesc
R.Augusta, 2.075, Cerqueira César, tel.3087-0500. Ingr.: R$ 3,50 a R$ 10. 

Centro Cultural Banco do Brasil
R.Álvares Penteado, 112, Sé, tel. 3113-3651. Ingr.: R$ 10.

Centro Cultural São Paulo
Sala Lima Barreto
R.Vergueiro, 1.000, Liberdade, tel.3397-4002. Ingr.: R$ 8.

Cine Olido
Av.São João, 473, República, região central, tel.3397-0130. GRÁTIS

Cine Caminho do Mar
Av.Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 5.241, Jabaquara, tel.3396-5537. GRÁTIS

Cine Meninos
R.Barbinos, 111, São João Clímaco, tel.2945-2561. GRÁTIS

Cine Perus
R. Bernardo José de Lorena, s/nº, Pirituba, tel.3915-8746. GRÁTIS



CONTEMPORÂNEOS

O “Guia” selecionou filmes, nacionais e estrangeiros, que estreiam no Brasil durante o festival

Aqui Não Aconteceu Nada

A produção chilena, que estreou no Festival de Sundance e também participou do Festival de Berlim deste ano, narra a história de um rapaz que passa alguns dias na praia. Depois de uma noite de festa, contudo, ele descobre que algo terrível aconteceu.

CineSesc - dom. (24): 19h.



Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois

Embora more longe do pai, em Fortaleza, Clarisse decide visitá-lo. Na casa do patriarca moribundo, ela descobre segredos que envolvem um irmão que morreu.

O filme tem direção de Petrus Cariry, que encerra sua “trilogia da morte”, formada também por “O Grão” (2007) e “Mãe e Filha” (2011).

CineSesc - seg. (25): 21h.


As Escolhidas

O filme mexicano estreia em São Paulo depois de ter passado pela mostra Un Certain Regard, no Festival de Cannes. O enredo trata de uma jovem que mora em Tijuana e que se apaixona por um homem que atrai mulheres para a prostituição e escravidão sexual.

CineSesc - sex. (22): 21h. CCSP - dom. (24): 18h.


Estopô Balaio

A produção nacional, dirigida por Cristiano Burlan, foi a escolhida para encerrar o Festival de Cinema Latino-Americano. O filme retrata o grupo teatral Estopô Balaio que, há cinco anos, desenvolve um projeto artístico com os moradores do Jardim Romano, na região leste de São Paulo, que tiveram suas casas atingidas por enchentes.

Memorial da América Latina - qua. (27): 20h30.


Eu Te Levo

Marcelo Müller, que assinou o roteiro de “Infância Clandestina”, faz seu debut como diretor neste filme, que tem pré-estreia no festival. Na trama, um jovem, que mora em uma cidade industrial no interior, sonha em tornar-se bombeiro. O elenco tem Rosi Campos, Anderson Di Rizzi e Giovanni Gallo, entre outros atores.

Memorial da América Latina - sáb. (23): 20h.


Forasteiro

O filme argentino é dirigido por Lucía Ferreyra, expoente no cinema do país. Neste longa-metragem, o primeiro de sua carreira, ela conta a história de um jovem que decide voltar à estância balneária onde passou o verão. A obra causou impacto no Festival de Cinema Independente de Buenos Aires, onde estreou.

Cinesesc - dom. (24): 21h. CCBB - seg. (25): 15h.


A Geada Negra

Lançado na seção Panorama do Festival de Berlim, o filme argentino chega agora ao Brasil. Na trama, a geada que atinge uma comunidade de descendentes europeus cessa quando uma jovem misteriosa chega ao local. Os aldeões, então, passam a acreditar que ela é uma santa que veio salvá-los. A direção é de Maximiliano Schonfeld (de “Germania”).

CineSesc - sáb. (23): 21h CCSP - ter. (26): 20h.


O Mundo de Carolina

A diretora uruguaia Mariana Viñoles conversa com uma pessoa com Síndrome de Down. Elas discutem o próprio processo de se fazer o filme, entre outros assuntos. O longa foi selecionado para o Festival de Amsterdã, notório por documentários.

CineSesc - ter. (26): 19h. CCSP - qua. (27): 18h.


Por Trás do Céu

Consagrado com cinco prêmios no festival Cine PE deste ano, o filme retrata Aparecida (Nathalia Dill), uma mulher forte e determinada que mora no sertão. Enquanto seu marido Edivaldo (Emilio Orciollo Neto) vive entristecido por uma tragédia do passado, ela decide partir para a cidade grande. A direção é de Caio Sóh.

Memorial da América Latina - sex. (22): 20h30.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais