Descrição de chapéu Cinema Cinema
Cinema

Fique em casa: festival Olhar de Cinema leva 17 filmes para o streaming

Os títulos serão divididos em duas plataformas, oito deles ficam na Mubi

São Paulo

Adiado para outubro por causa da pandemia do coronavírus, o Festival Internacional de Curitiba - Olhar de Cinema realiza uma edição especial online a partir de quarta (3).

Serão estreias diárias, ate o dia 10/6. Ao todo, o evento terá 17 filmes que participaram de edições anteriores, divididos em duas plataformas: nove no canal oficial do festival e outros oito no streaming da Mubi. A partir da estreia, cada uma das obras fica disponível por 30 dias.

No site do festival, a locação custará R$ 5. Todo o valor arrecadado será revertido para ONGs que atuam no combate ao coronavírus.

Normalmente agendado para o mês de junho, em Curitiba, o festival organizou a ação online para não passar despercebido, de acordo com seus diretores, Antonio Jr e Eugenia Castello. A edição de 2020 do Olhar de Cinema com títulos inéditos, no entanto, ainda deve acontecer, desta vez, em outubro.

Entre os filmes participantes, há longas, curtas e documentários de diretores brasileiros e estrangeiros. Confira.

74: The Reconstitution of a Struggle
Idem, Líbano, 2012. Direção: Read e Rania Rafei. 95 min.
O documentário acompanha a ocupação de universidades por estudantes contrários ao aumento das mensalidades e ecoa as manifestações estudantis de 1974 no Líbano.
Disponível no site olhardecinema.com.br

E Agora? Lembra-me
Idem, Portugal, 2013. Direção: Joaquim Pinto. 164 min.
O documentário apresenta a rotina de quem vive com HIV e hepatite C, baseado na vivência do diretor, que luta há quase 20 anos contra os vírus. Premiado no Festival de Locarno 2013 e exibido em Roterdã.
Estreia: 10/6 no Mubi

Ama-san
Idem, Portugal/Suíça/Japão, 2016. Direção: Cláudia Varejão. 113 min.
A tradição milenar de mulheres que mergulham em grandes profundidades para recolher ostras e pérolas no Japão é retratada neste documentário, que chegou a ser exibido no circuito comercial.
Disponível no site olhardecinema.com.br

Um Conto de Inverno Proletariado
Wintermärchen, Alemanga, 2014. Direção: Julian Radlmaier. Com: Thomas Schubert, Ricarda Seifried e Jean-Luc Bubert. 125 min.
Em seu longa de estreia, o diretor aborda de forma cômica as contradições da sociedade de classes ao retratar um castelo, uma coleção de obras de arte e um fabricante de armas. Exibido nos festivais internacionais de Roterdã e de Viena.
Estreia: 5/6 no Mubi

Espero Tua (Re)volta
Brasil, 2019. Direção: Eliza Capai. 93 min.
O movimento estudantil que ganhou destaque no Brasil durante as ocupações em escolas estaduais a partir de 2015. Vencedor dos prêmios Peace Film Award e Amnesty International Film Prize na Biennale.
Leia a crítica.
Estreia: 8/6 no Mubi

Girimunho
Brasil/Espanha, 2011. Direção: Clarissa Campolina e Helvécio Marins Jr. Com: Maria Sebastiana Marins Álvaro, Luciene Soares da Silva e Wanderson Soares da Silva. 90 min.
O longa de estreia dos diretores conta a história de duas mulheres que observam os redemoinhos de um rio no sertão mineiro. Exibido nos festivais internacionais de Veneza, Toronto e Roterdã.
Estreia: 3/6 no Mubi

Homens que Jogam
Playing Men. Eslovênia/Croácia, 2017. Direção: de Matjaz Ivanisin. 60 min.
A paixão pelo esporte é retratada no documentário sobre homens que se interessam pelas particularidades de cada jogo.
Disponível no site olhardecinema.com.br

As Hiper Mulheres
Brasil, 2011. Direção: Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takuma Kuikuro. 80 min.
O documentário retrara o maior ritual feminino da etnia indígena Kuikuro, do Alto do Xingu. O Jamurikumalu representa a transformação das mulheres e envolve longas preparações de canto, pintura e adorno corporal. Vencedor do Prêmio Especial do Júri do Festival de Gramado.
Estreia: 6/6 no Mubi

I am the People
Je Suis le Peuple. França, 2014. Direção: Anna Roussillon. 111 min.
O documentário acompanha as revoltas populares no Egito em 2011, com foco na população pobre e rural que apenas acompanhou as manifestações pelos meios de comunicação.
Disponível no site olhardecinema.com.br

Irmãos da Noite, de Patric Chiha (Áustria, 2016)
Bruder der Nacht. Áustria, 2016. Direção: Patric Chiha. 88 min.
O documentário apresenta a rotina de jovens búrgaros roma que se prostituem em Viena em busca de dinheiro rápido.
Disponível no site olhardecinema.com.br

João Bénard da Costa - Outros Amarão as Coisas que Eu Amei
Idem, Portugal, 2014. Direção: Manuel Mozos. 75 min.
Cinebiografia de João Bénard da Costa, diretor da Cinemateca Portuguesa por 18 anos e morto em 2009.
Disponível no site olhardecinema.com.br

El Mar la Mar
Idem, EUA, 2017. Direção: Joshua Bonnetta e J.P. Sniadecki. 94 min.
O documentário aborda os perigos que imigrantes mexicanos enfrentam ao tentar cruzar a fronteira para os Estados Unidos. As imagens foram filmadas em 16 mm pela janela de um veículo em movimento.
Estreia: 9/6 no Mubi

Ming of Harlem: Twenty One Storeys in the Air
Idem, Reino Unido/EUA/Bélgica, 2014. Direção: Phillip Warnell. 71 min.
A vida de um homem que divide seu apartamento no Harlem, em Nova York, com um tigre e um crocodilo é o tema do documentário.
Disponível no site olhardecinema.com.br

No Salão Jolie
Chez Jolie Coiffure, Bélgica, 2018. Direção: Rosine Mbakan. 70 min.
Documentário acompanha uma imigrante libanesa que consegue um emprego como gerente de um salão de beleza na Bélgica. Lá, ela e outros imigrantes ilegais trabalham cerca de 14 horas por dia e precisam lidar com a reação de outros moradores do bairro.
Disponível no site olhardecinema.com.br

Sol Alegria
Brasil, 2018. Direção: Tavinho Teixeira. Com: Mariah Teixeira, Tavinho Teixeira, Mauro Soares e Ney Matogrosso. 90 min.
Nesta comédia sobre o ambiente conservador no Brasil, pastores ocupam os principais cargos políticos e uma família se refugia na comunidade religiosa Sol Alegria. Exibido na 42° Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, e festivais internacionais de Roterdã e Hamburgo, além do Queer Lisboa.
Estreia: 7/6 no Mubi

O Tempo Passa como um Leão que Ruge
Die Zeit Vergeht Wie Ein Brullender Lowe. Alemanha, 2013. Direção: Philipp Hartmann. 76 min.
O documentário acompanha um cineasta com cronofobia que tenta encontrar formas de explorar o tempo para este passa mais devagar.
Disponível no site olhardecinema.com.br

A Vizinhança do Tigre
Brasil, 2014. Direção: Affonso Uchôa. 95 min.
Neste documentário, é apresentado o cotidiano de quatro jovens moradores do bairro Nacional, na periferia de Contagem, em Minas Gerais. Vencedor da Mostra de Cinema de Tiradentes em 2014 e exibido na Viennale.
Estreia: 4/6 no Mubi

Especial Festival Internacional de Curitiba - Olhar de Cinema
Disponível no Mubi (assinatura mensal: R$ 27,90); ou no site do Olhar de Cinema, por R$ 5 (locação avulsa)

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais