Filme de baixo orçamento '45 Dias sem Você' atesta a resiliência do cinema brasileiro

Ícaro Silva e Rafael de Bona estão no elenco do drama dirigido por Rafael Gomes

São Paulo

45 Dias sem Você

  • Classificação 12 anos
  • Elenco Rafael de Bona, Julia Corrêa e Ícaro Silva
  • Produção Brasil, 2018. 96 min
  • Direção Rafael Gomes

Faz parte da intuição dos bons artistas prever para onde caminha o seu tempo. Seja na invenção de novas formas ou na elaboração de estratégias para que se possa continuar criando, sobrevive aquele que melhor souber antecipar os obstáculos e assim pensar alternativas para que a arte siga encontrando suas condições de possibilidade.

Talvez tenha sido por isso, em um misto de pulsão criativa e pressentimento das dificuldades, que Rafael Gomes e o produtor Henrique Carvalhaes decidiram fazer um filme de recursos próprios, naquele turbulento segundo semestre de 2016. Diante de um cenário nebuloso —mas claro em seu caráter regressivo—, sabiam que esperar por verbas públicas colocaria em xeque o frescor da obra.

O longa, uma história de relações amorosas e deslocamentos, ao melhor estilo da trilogia de Richard Linklater, iniciada por “Antes do Amanhecer” (1995). Exigia ser rodado em vários lugares do mundo e, por isso, não podia demorar: seus atores e atrizes, todos morando nos países que serviriam de cenário, voltariam ao Brasil dali a poucos meses.

E foi assim, contaminado por um senso de urgência criativa e somando forças com os coprodutores Diana Almeida e Daniel Ribeiro, de “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” (2014), que “45 Dias sem Você” saiu do papel para agora chegar aos cinemas e às mais diversas plataformas digitais.

De inspiração autobiográfica, o filme conta as viagens de Rafael (Rafael de Bona) para esquecer o último companheiro.

Em um percurso agridoce, no qual a dor da perda se entrelaça à novidade de encontros inusitados, o protagonista visita antigas amizades, que, por motivos diversos, se mudaram do Brasil. Será a partir deste reencontros e da reflexão sobre rumos da vida de cada um, que buscará o ânimo para construir o próprio futuro.

Mais conhecido por seus trabalhos premiados no teatro —dentre eles, a adaptação de “Um Bonde Chamado Desejo” (2015)—, Rafael Gomes agora encara a primeira incursão no cinema. Primeira, em termos. Com curtas-metragens no currículo —é dele, com Esmir Filho e Mariana Bastos, o sucesso “Tapa na Pantera”— e requisitado roteirista de longas e séries, não há nada na trajetória de Rafael que autorize o termo estreante.

Na rara conjunção de experiência e juventude —resultado de compromisso precoce com as mais diversas artes—, o diretor transforma o baixo orçamento em virtude. Valendo-se da bagagem teatral, a simplicidade técnica está a serviço de uma narrativa ágil, no clima de um leve passeio, e ancorada no carisma do elenco.

Orbitando o personagem de Rafael de Bona, cuja beleza melancólica terá empatia certeira com o público, roubam a cena Fábio Lucindo, Mayara Constantino e Julia Correa, rostos ainda pouco conhecidos no cinema, mas de boa circulação em outros meios. Ícaro Silva, sempre cativante, também faz uma breve participação.

Para além de retrato simpático de uma geração que se refugia em distâncias, “45 Dias sem Você” serve, por fim, como incentivo ao fazer artístico. Em tempos de dificuldades do setor audiovisual, prioridade última de um governo mais interessado em armas, o afeto de um filme feito na coragem jamais será apenas uma história de amor; será, antes de tudo, um aviso de que, juntos, sobreviveremos.

Salas e horários

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais