Descrição de chapéu áfrica
Passeios

Evento de arte africana traz convidados internacionais

Festival é dedicado à produção cultural contemporânea da África

Ana Luísa Moraes
São Paulo

O primeiro Festival de Cinema, Arte e Literatura Africana (Fescala) reúne cerca de 20 artistas plásticos, cineastas, poetas e escritores africanos e afro-brasileiros. A programação de três dias, que acontece no Centro Cultural Olido, é inteiramente dedicada à difusão da produção cultural contemporânea da África.

A quarta (31) marca o primeiro dia do festival com apresentações de dança e música, desfile de moda e sarau com a poeta angolana Tuekiava. O antropólogo congolês Kabengele Munanga, vencedor do prêmio USP de Direitos Humanos em 2018, é um dos homenageados da festa. O pesquisador se destaca por sua trajetória em defesa dos negros.

cena de comboio de sal e açúcar
Cena do filme moçambicano ‘Comboio de Sal e Açúcar’ (2016)  - Divulgação

Os outros dias são dedicados a exibições de filmes e a uma exposição coletiva de quadros. A curadoria do Fescala selecionou oito pintores que dão uma ideia sobre o panorama das artes plásticas na África atualmente. Além da mostra, o octeto participa de conversas com o público. 

A exibição do premiado longa moçambicano “Comboio de Sal e Açúcar” (2016) fecha o evento na sexta (2/11). Dirigida pelo brasileiro Licínio Azevedo, que vive há mais de quatro décadas no país africano, a obra revela histórias de pessoas tentando fugir da guerra civil a bordo de um trem. 

Centro Cultural Olido - Av. São João, 473, Centro, região central, tel. 3397-0171. Qua.: 19h às 21h30. Qui.: 16h às 21h. Até 2/11. Livre. GRÁTIS  

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais