Indicado a 13 estatuetas do Oscar 'A Forma da Água' retrata história de ser fantástico

Cena do filme 'A Forma da Água'
Cena do filme 'A Forma da Água' - Divulgação
Priscila Camazano

​Inspirado no filme "O Monstro da Lagoa Negra" (1954), de Jack Arnold (veja pág. 16), o novo "A Forma da Água", do diretor mexicano Guillermo  del Toro, traz na trama uma mistura de drama, romance e fantasia. Campeão de indicações ao Oscar neste ano, com 13, concorre a estatuetas como melhor filme, diretor e atriz (Sally  Hawkins).

Na trama, que se passa nos anos 1960, durante a Guerra Fria, um ser, meio homem, meio anfíbio, é capturado pelos americanos e mantido em cativeiro num laboratório secreto. A princípio, o objetivo é que cientistas estudem a criatura, mas ele acaba sofrendo maus-tratos e tortura.

Sally Hawkins vive a faxineira muda Elisa, que bate cartão todos os dias por ali junto com a amiga Zelda (Octavia Spencer). As duas são convocadas para fazer a limpeza de uma das salas do laboratório e acabam descobrindo o ser fantástico aprisionado.

Com sua vida solitária, Elisa se identifica com o monstro, passa a visitá-lo às escondidas e a relação entre os dois se estreita.

Quando ela descobre que o ser aquático está sendo torturado, resolve salvá-lo.

Em meio às muitas indicações e prêmios acumulados pelo filme, Del Toro está sendo acusado de plágio por David Zindel, filho do dramaturgo americano Paul Zindel. Segundo o herdeiro, o diretor mexicano copiou elementos da peça "Let me Hear You Whisper", escrita por seu pai em 1969.

Leia a crítica do filme.
Veja salas e horários de exibição.

 

13 INDICAÇÕES

Filme
Diretor
Atriz (Sally Hawkins)
Roteiro original
Ator coadjuvante (Richard Jenkins)
Fotografia
Atriz coadjuvante (Octavia Spencer)
Direção de arte
Figurino
Edição
Trilha sonora
Mixagem de som
Edição de som

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais