Cinépolis JK Iguatemi reabre com 1ª tela de LED do país e ingressos a até R$ 84

Na sala 2, além de projeção a laser, sala é equipada com poltronas ainda mais luxuosas

Sandro Macedo
São Paulo

Considerado pelo Guia o melhor cinema de São Paulo em 2017 e 2018, o Cinépolis JK Iguatemi perdeu a chance do tricampeonato por ter atrasado uma reforma que aconteceu no período de avaliação das salas. O resultado das mudanças pode ser julgado pelos cinéfilos a partir desta semana, com a reabertura completa do complexo.

As alterações incluem até um novo logo, e passam por totens de autoatendimento modernos, café, quiosque com sorvetes e milk-shakes e bilheteria e hall equipados com painéis de LED, que exibem trailers e novidades do complexo.

Porém foram as salas que passaram pelas modificações mais aguardadas. O complexo continua com oito salas, com uma Imax, uma 4DX (com poltronas que se movimentam de acordo com a ação do filme), agora um pouco menor, e seis equipadas com poltronas VIP.

No entanto, uma delas agora é a a primeira sala LED do Brasil (a 5), com uma tela Samsung Onyx, com 455 polegadas e resolução 4K —não confunda com as televisões caseiras de LED. Aqui, a luminosidade é dez vezes maior do que a de uma projeção tradicional, o que promete mais contraste, além da resolução 4K.

A sala, 12ª do mundo e terceira da América Latina (as outras ficam no México e na Colômbia) com essa tecnologia da Samsung, será inaugurada com o vencedor do Oscar, “Green Book - O Guia”.

Na sala 2, duas novidades: projeção a laser e, além da poltrona VIP, tem agora a lounge, praticamente um sofá-cama —difícil será prestar atenção no filme.

Tanta tecnologia e luxo tem um preço, e é caro. O ingresso na LED sai por R$ 79 no fim de semana (R$ 84, se o filme for 3D, o que não é o caso de "Green Book"). O valor é o mais alto por um ingresso de cinema em São Paulo. Na poltrona lounge da sala laser, R$ 78 a R$ 83 (3D); bem mais que os R$ 60 da ​Imax, também considerando o fim de semana. 

Antes ocupando o espaço da sala 2, a 4DX agora é a sala 4. Geograficamente disposta em novo lugar, está um pouco menor, com 100 lugares. Sua tecnologia permite que a poltrona se movimente de acordo com a ação do filme, além de despertar outras sensações, com cheiros, rajadas de ar etc. Praticamente uma sala de parque de diversões.

Nas outras salas (3, 6, 7 e 8) o serviço VIP continua. Além das poltronas especiais, é possível chamar um atendente durante o trailer para pedir um dos quitutes oferecidos pelo elaborado cardápio, que inclui lanches, vinhos, espumantes, porções de doces e salgados e outras guloseimas.

Recauchutadas
Como ficaram as salas do JK Iguatemi após a reforma

Sala 1 - Imax (371 lugares + 8 para cadeirantes)
Trocou carpete e higienizou poltronas, mantém tela gigante

Sala 2 - VIP laser (118 lugares + 4 vagas para cadeirantes)
Equipada com projeção a laser e com as ainda mais luxuosas poltronas lounge em duas fileiras, mais largas que as já confortáveis poltronas VIP 

Sala 4 - DX (100 lugares)
Traz as poltronas que se mexem de acordo com a ação do filme; ficou menor, com 100 lugares

Sala 5 - VIP LED (79 lugares + 2 vagas para cadeirantes)
Primeira sala do Brasil equipada com tela de LED, da Samsung Onix, 12ª da marca no mundo; a tela tem 55 m² e 455 polegadas

Salas 3, 7 e 8 (86 lugares) e 6 (65 lugares) - cada sala tem 2 vagas para cadeirantes
Continuam com poltronas VIP, que reclinam totalmente e são equipadas com carregadores USB

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais