Descrição de chapéu teatro
Shows

Com Rennan da Penha, festival gratuito reúne atrações que foram alvo de censura; confira

Verão Sem Censura tem programação com 45 eventos até 31/1

O DJ carioca Rennan da Penha

O DJ carioca Rennan da Penha Rennan da Penha/Reprodução/Instagram

São Paulo

O setor cultural passou por um ano conturbado sob o governo de Jair Bolsonaro: teve o fim do ministério, o rebaixamento de teto de projetos da Lei de Incentivo à Cultura e a troca dos principais cargos de institutos e secretarias por nomes aliados ao presidente. 

A discussão sobre liberdade de expressão esteve no meio do furacão com episódios de censura de HQs e de espetáculos cancelados, aliados às críticas abertas do presidente.

Na contramão, a Secretaria de Cultura de São Paulo promove, a partir desta sexta (17), o festival Verão sem Censura. A agenda, que acolhe produtos censurados ou que tratam de temas duramente criticados, promove 45 atividades, como peças, filmes, shows e festas.

O DJ Rennan da Penha aparece entre os destaques do primeiro dia de festival, com uma apresentação na sacada do Theatro Municipal. Em 2019, o artista ficou detido por sete meses por associação ao tráfico de drogas.

Também será exibido “Bruna Surfistinha”, na Praça das Artes, seguido por um bate-papo com a atriz Deborah Secco e Rachel Pacheco. O longa, que mostra a trajetória de uma jovem prostituta, sofreu duras críticas de Bolsonaro, que afirmou que não poderia admitir que filmes como esse fizessem uso de verbas públicas. 

Confira a seguir os destaques da programação que acontece até 31 de janeiro. 

CINEMA

Bixa Travesty
Brasil, 2018. Direção: Claudia Priscilla e Kiko Goifman. 76 min. 18 anos.
O documentário acompanha a trajetória artística de Linn da Quebrada, cantora negra e transexual. Nascida na periferia de São Paulo, ela utiliza suas músicas para contestar estereótipos de gênero, raça e classe social.
CCSP - Paulo Emílio - R. Vergueiro, 1.000, Liberdade, tel. 3397-4002. Dom. (19): 19h. Retirar ingresso com antecedência de 1h. 

Bruna Surfistinha
Brasil, 2011. Direção: Marcus Baldini. Com: Deborah Secco, Brenda Lígia e Cristina Lago. 109 min. 16 anos.
O filme, que foi citado pelo presidente Jair Bolsonaro como exemplo de produção que não deveria receber verba pública, conta a história de Raquel Pacheco, jovem que sai de casa e passa a trabalhar como prostituta. Inspirado no livro “O Doce Veneno do Escorpião”. Antes da exibição, às 21h30, há conversa com Pacheco e a atriz Deborah Secco, que a interpreta no longa.
Praça das Artes - Av. São João, 378, Centro, região central, tel. 4571 0401. Sáb. (18): 22h.

Corpo Elétrico
Brasil, 2017. Direção: Marcelo Caetano Com: Kelner Macêdo, MC Linn da Quebrada e Welket Bungué. 94 min. 16 anos.
Inspirado em um poema do autor americano Walt Whitman (1819-1892), o filme retrata a vida de um jovem gay que trabalha em uma confecção de roupas no centro de São Paulo. Ele divide os dias entre o trabalho, os amigos e os encontros com homens.
CCSP - Paulo Emílio. Dom. (19): 15h. Retirar ingresso com antecedência de 1h. 

Cena de "Corpo Elétrico"
Cena de "Corpo Elétrico" - Divulgação

Sessão de Curtas LGBT
Brasil. 112 min. 12 anos
Serão exibidos “Vando Vulgo Vedita” (2017), de Leonardo Mouramateus e Andréia Pires; “O Órfão” (2018), de Carolina Markowicz; “Preciso Dizer que te Amo” (2018), de Ariel Nobre; “Reforma” (2019), de Fábio Leal; “Tea for Two” (2019), de Julia Katharine; e “Swinguerra” (2019), de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca.
CCSP - Paulo Emílio. Sáb. (18): 16h Retirar ingresso com antecedência de uma hora. 

Sessão de Médias
Brasil. 90 min. 18 anos.
Serão exibidos “Verona” (2013), de Marcelo Caetano, e “Nova Dubai” (2014), de Gustavo Vinagre.
CCSP - Paulo Emílio. Dom.: (19): 17h. Retirar ingresso com antecedência de 1h. 

A Vida Invisível
Brasil, 2019. Direção: Karim Aïnouz. Com: Carol Duarte, Júlia Stockler, Gregorio Duvivier e Fernanda Montenegro. 139 min. 16 anos.
Em dezembro passado, o longa seria exibido para os funcionários da Ancine, mas a sessão foi cancelada, o que gerou protestos. A trama se passa no Rio de Janeiro dos anos 1950 e acompanha duas irmãs que acreditam, equivocadamente, que a outra leva a vida dos sonhos.
CCSP - Lima Barreto. Dom. (19): 15h. Retirar ingresso com antecedência de 1h. 

TEATRO

Blitz, o Império que Nunca Dorme
O espetáculo da Trupe Olho da Rua satiriza o poder opressor do Estado e da mídia corporativa. Após a encenação, haverá bate-papo.
Vila Itororó - R. Pedroso, 238, Bela Vista, tel. 3253-0187. Sáb. (18) e dom. (19): 15h.

O Caderno Rosa de Lori Lamby
A peça de Hilda Hilst apresenta como protagonista uma garota de oito anos que anota suas fantasias sexuais em um caderno rosa. Durante a trama, ela as narra inocentemente ao leitor.
Biblioteca Mário de Andrade - R. da Consolação, 94, Consolação, tel. 3775-0020. Sáb. (18) e dom. (19): 19h. Retirar ingresso com antecedência de 1h.

Caranguejo Overdrive
Inspirado no movimento contracultura manguebeat, o espetáculo da Aquela Cia. discute a gentrificação e as mudanças urbanas brutais pelas quais passou o Rio de Janeiro no século 19. Ao voltar da Guerra do Paraguai, o ex-catador de caranguejo Cosme encontra o mangue em que trabalhava completamente mudado com a construção de um canal. Espetáculo teve apresentações canceladas no Rio de Janeiro, em 2019.
CCSP - R. Vergueiro, 1.000, Liberdade, tel. 3397-4002. Sex. e sáb.: 21h. Dom.: 20h. Até 19/1. Retirar ingresso com antecedência de 1h. 

Espetáculo Caranguejo Overdrive - Lenise Pinheiro/Folhapress

O Crime da Cabra
Esta comédia de Renata Pallotini se passa em uma pequena cidade do interior que tem seu cotidiano abalado quando uma cabra come o dinheiro da sua própria venda. Tem início uma disputa entre dois amigos para saber de quem é a cabra e surge uma discussão sobre propriedade privada e abuso de poder, com críticas aos latifundiários.
Teatro Flávio Império - R. Prof. Alves Pedroso, 600, Cangaíba, região leste, tel. 2621-2716. 212 lugares. Sáb.: 20h. Dom.: 19h. Até 19/1.

Domínio Público
Protagonistas de polêmicas envolvendo questões sobre liberdade de expressão e censura na arte, os artistas Maikon K, Renata Carvalho e Wagner Schwartz, juntamente com Elisabete Finger, discutem os ataques que sofreram em 2017. Após o espetáculo, haverá um debate.
Centro Cultural da Juventude - Av. Dep. Emílio Carlos, 3.641, Limão, região norte, tel. 3343-8999. Sex. e sáb.: 20h. Até 18/1.  

Gritos
O espetáculo da Cia. Dos À Deux é formado por três poemas gestuais concebidos sobre o amor. O primeiro conta a trajetória de Louise, que nasceu em um corpo masculino e cuida da mãe doente; o segundo, de um homem que perdeu a cabeça; e o último revela a jornada de luta de uma mulher do extremo Oriente.
Centro Cultural Olido - Av. São João, 473, Centro, tel. 2899-7370. Sex. a dom.: 21h. Até 19/1. Retirar ingresso com antecedência de 1h.  

A Mulher Monstro
Uma mulher é perseguida pela própria visão intolerante da sociedade, não sabendo lidar com a solidão e as relações num tempo de ódio visto sem vergonha. A peça aborda a atualidade político-social do Brasil, baseado nas opiniões da internet, na postura de figuras públicas e no conto “Creme de Alface”, de Caio Fernando Abreu.
Centro Cultural da Diversidade - R. Lopes Neto, 206, Itaim Bibi, região sul, tel. 3079-3438. 186 lugares. Sáb.: 21h. Dom.: 19h. Até 19/1.    

Res Publica 2023
A peça do coletivo A Motosserra Perfumada, que trata de temas como ditadura e desigualdade social, foi vetada pela diretoria da Funarte mesmo com estreia agendada, no ano passado. Na trama, um grupo de amigos vive amontoado em uma república, enquanto o país passa por uma excelente fase econômica.
Centro Cultural da Juventude - Av. Dep. Emílio Carlos, 3.641, Limão, região norte, tel. 3343-8999. Qua. e qui.: 20h. Até 23/1.  

SHOWS E NOITE

Arnaldo Antunes
O cantor leva ao palco canções como “O Real Resiste”, que teve o videoclipe censurado na TV Brasil, segundo funcionários da emissora pública. Em dezembro de 2019, o programa sobre o cantor —que passaria o clipe com cenas de violência policial e protestos— foi retirado de última hora da programação.
Praça das Artes - Av. São João, 281, Centro. Sex. (17), às 20h. 

Desculpa Qualquer Coisa e Maravilhosas Corpo de Baile
A festa dedicada ao protagonismo lésbico, bissexual e feminino criada pela DJ e produtora Renata Corr anima a Praça das Artes com direito a performance do grupo de dança e pole dance Maravilhosas Corpo de Baile.
Praça das Artes - Av. São João, 281, Centro. Dom. (19), 0h30. 

Rennan da Penha
O funkeiro, que ficou detido por sete meses condenado por associação ao tráfico de drogas, apresenta-se da sacada do Theatro Municipal. Criador do famoso Baile da Gaiola, ele passa por sucessos do funk como “Hoje Eu Vou Parar na Gaiola”, cantada pelo MC Livinho.
Pça. das Artes - Av. São João, 281. Centro. Sex. (17): 22h30. 

PASSEIOS

Uma Aula sobre 1984
O livro “1984”, de George Orwell, completa 70 anos em 2020. Considerado um clássico que discute sociedades totalitárias, a obra é apresentada pela historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz, que lançou, em 2019, o livro “Sobre o Autoritarismo”. 
Biblioteca Mário de Andrade - R. da Consolação, 94, República, tel. 3775-0002. Ter. (21): 19h. 

Banidos
A exposição reúne livros censurados na história, como “Comedia Eufrosina”, do século 16, de Jorge Ferreira de Vasconcelos, que foi banido pela igreja. Há, também, “Capitães de Areia” de Jorge Amado, incinerado em praça pública, em 1937. A abertura, nesta sexta (17), conta com um bate-papo com Loyola Brandão, autor de obras censuradas na ditadura, e Laura Mattos, que assina “Herói Mutilado”, livro sobre a censura imposta a “Roque Santeiro”.
Biblioteca Mário de Andrade - R. da Consolação, 94, República, tel. 3775-0002. Até 31/1. Seg. a sex. 8h às 21h45. Sáb. e dom.: 8h às 19h45. 

Casa 1
A casa é conhecida pelo trabalho de apoio e acolhimento à população LGBT. Durante o festival, o CCSP recebe uma programação que aborda a trajetória da censura no Brasil por meio de aulas, ateliê e gráfica.
CCSP - R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, tel. 3397-4002. Até 31/1. Ter. a sex.: 10h às 20h. Sáb. e dom. 10h às 18h. 

Daspu 
A Daspu nasceu, em 2005, como uma grife de roupas, mas logo se tornou em um movimento cultural que discute temas relacionados à sexualidade e gênero. No festival, a Daspu realiza um desfile na Praça das Artes. 
Praça das Artes - Av. São João, 281, tel. 4571-0401. Sáb. (18): 24h. 

Erotismo Censurado
Nesta aula, a filósofa, ensaísta e especialista em literatura erótica Eliane Robert Moraes fala sobre autores que foram censurados por escreverem obras eróticas, como Hilda Hilst e Marques de Sade, escritor que inspirou o termo sadismo. 
Biblioteca Mário de Andrade - R. da Consolação, 94, República, tel. 3775-0002. Qui. (23): 19h.

Exposição de Cartazes Censurados
A mostra reúne os cartazes de filmes que foram retirados da sede da Ancine, em dezembro de 2019. Na ocasião foram removidos pôsteres de títulos como “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1964), de Glauber Rocha e “O Bandido da Luz Vermelha” (1968), de Rogério Sganzerla.
CCSP - R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, tel. 3397-4002. Até 31/1. Ter. a sex.: 10h às 20h. Sáb. e dom. 10h às 18h. 

PREPARE-SE

Festas na Rua
A praça em frente ao Theatro Municipal é palco de festas que antecipam o Carnaval paulistano. Quem abre os trabalhos é o cortejo do bloco A Espetacular Charanga do França, seguido pelo Tarado Ni Você, com músicas de Caetano Veloso, e pelo bloco LGBT Minhoqueens, com hits da música pop. 
Praça Ramos de Azevedo, República. Sex. (31), a partir de 23h

Navalha na Carne Negra
Adaptação da clássica peça de Plínio Marcos, vetada pela ditadura, ganha viés racial sob batuta de José Fernando Peixoto de Azevedo.
Biblioteca Mário de Andrade - R. da Consolação, 94, República. Sex. (24), sáb. (25) e dom. (26): 19h. 

Pussy Riot e Linn da Quebrada
A banda russa de punk rock que teve integrantes condenadas à prisão e é conhecida pelas performances com forte cunho político comparece à exibição do documentário “Act and Punishment” (2015), sobre o surgimento do grupo, que é seguido de debate com as integrantes. Elas também se apresentam em frente ao CCSP com a cantora trans Linn da Quebrada.
Filme e debate: CCSP - Paulo Emílio - R. Vergueiro, 1.000, Liberdade, tel. 3397-4002. Qua. (29): 19h. Retirar ingresso com antecedência de 2h.  
Show: CCSP (em frente ao centro cultural) - R. Vergueiro, 1.000, Liberdade. Qui. (30): 20h. 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais