Descrição de chapéu cinema
Cinema

13º Festival de Cinema Latino-Americano exibe 77 produções de 11 países

Evento homenageará o cineasta Jeferson De e a atriz argentina Inés Efron

Priscila Camazano
São Paulo

A partir desta quarta (25) e até 1º de agosto, filmes latino-americanos tomam conta das salas do Memorial da América Latina, CineSescConheça destaques dos 11 países participantes do festival, CCBB e Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. As exibições fazem parte da programação do Festival de Cinema Latino-Americano.


Reunindo destaques da produção cinematográfica mais recente feita na América Latina e no Caribe, o evento exibe 77 filmes de 11 países. Esta edição presta homenagem a duas personalidades, uma nacional, o cineasta Jeferson De (“Correndo Atrás”), e outra internacional, a atriz argentina Inés Efron (“Amorosa Soledad”).


A programação tem também uma seleção de filmes chilenos, uma sessão para a criançada, batizada de Latininhos, e atividades paralelas, como encontros, debates e oficinas.
Confira a seguir os destaques.


Veja a programação completa em festlatinosp.com.br 

 

Homenageados
Neste ano, o evento homenageará o cineasta Jeferson De e a atriz argentina Inés Efron. 


O diretor, consagrado pelo filme “Brodér” (2010), que lhe rendeu prêmios no Festival de Gramado, terá longas e curtas-metragens exibidos no festival, como o inédito “Correndo Atrás” (2018), que abre o evento na quarta (25), às 19h30, no Memorial da América Latina.


O longa, que tem a equipe majoritariamente composta por profissionais negros, traz Aílton Graça e Lázaro Ramos no elenco. 


Para homenagear a atriz Inés Efron, serão exibidos filmes em que ela atuou, como “O Menino Peixe” (2009; foto), dirigido por Lucía Puenzo, e “Amorosa Soledad” (2008), de Martín Carranza.

 

Brasileiros
Entre as produções nacionais exibidas no festival será projetada a inédita “A Mata Negra” (2018; foto), de Rodrigo Aragão, cineasta capixaba conhecido pelos filmes de terror. 


Outro destaque é o documentário “Como Fotografei os Yanomami”(2018), de Otávio Cury, que visitou os indígenas e registrou os médicos brancos que atuam em aldeias.


Encerrando o festival, será exibido “Tunga, o Esquecimento das Paixões” (2018), de Miguel de Almeida, no dia 1°/8, às 20h, no CineSesc.  O filme retrata a vida e a obra do artista que se destacou na arte contemporânea.

 


Foco Chile
Pela segunda vez, o festival reúne uma programação especial voltada para os longas produzidos no Chile.
Entre os filmes de destaque está “E de Repente o Amanhecer” (2018; foto), de Silvio Caiozzi, que virá ao Brasil para o evento.


Além dele, outros cineastas também estarão presentes no festival. São eles: Che Sandoval, que dirigiu “Dry Martina” (2018), Guillermo Helo, à frente de “Meninas Aranha” (2017) e Marialy Rivas, que produziu “Princesinha” (2017).

 

Latininhos
O evento terá mais uma vez uma programação voltada para a criançada com a exibição de quatro animações. 


Entre elas, o longa que venceu a estatueta de melhor animação no Oscar, “Viva - A Vida É Uma Festa” (2017; foto), dirigido por Lee Unkrich e Adrian Molina.


Além dele será projetado o brasileiro “A Tropa de Trapo na Selva do Arco-Íris” (20018), de Alex Colls,  a coprodução Colômbia - Uruguai “O Livro de Lila” (2017), de Marcela Rincón, e o argentino“Um Time Show de Bola” (2013), de Juan José Campanella.

 

Conheça destaques dos 11 países participantes do festival

 Argentina “Amorosa Soledad”, de Martín Carranza e Victoria Galardi
 Brasil “Correndo Atrás”, de Jeferson De
 Chile “Dry Martina”, de Che Sandoval
 Colômbia “Keyla”, de Viviana Gómez Echeverry
 Costa Rica “Elena”, de Ayerim Villanueva
 Cuba “O Dia de Xangô”, de Denise Soares
 Equador “A Vida do Enforcado”, de Luis Mateo Pazmiño
 México “Os Fracos”, de Raúl Rico e Eduardo Giralt Brun
 Paraguai “A Redenção”, de Herib Godoy
 Uruguai “Outra História do Mundo”, de Guillermo Casanova
 Venezuela “Mulheres do Caos Venezuelano”, de Margarita Cadenas

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais