Descrição de chapéu Cinema
Cinema

IMS Paulista reabre sala de cinema com 'Titane' e curadoria de Kleber Mendonça Filho

Espaço em São Paulo estava fechado desde março de 2020 por causa da pandemia

-
São Paulo

​A partir desta sexta-feira, dia 1º, os projetores do Instituto Moreira Salles, o IMS, voltam a ser ligados com a reabertura da sala de cinema. O auditório do espaço cultural, na avenida Paulista, estava fechado desde março de 2020, por causa da pandemia.

O curador do espaço é o diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, de "Bacurau" e "Aquarius". A programação de abril terá produções nacionais e internacionais do circuito comercial, além de títulos consagrados e mostras gratuitas.

Instituto Moreira Salles reabre sua sala de cinema para sessões especiais no mês de fevereiro em ensaio para possível retomada definitiva
Sala de cinema do IMS Paulista, que reabre ao público - Pedro Vannucchi/Divulgação

Um dos destaques é "Titane" (2021), de Julia Ducournau, vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes do ano passado, que só passou pelas telas paulistanas durante a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Agora, o filme ganha sessões no IMS neste sábado (2), às 19h30, no domingo da próxima semana (10), às 17h50, no dia 23, às 19h30, e no fim do mês, dia 30, às 21h30. O longa traz a incômoda história sobre uma mulher com fetiche por carros, preenchido por cenas de mortes e sexo com máquinas.

Outro filme que envolve carros e desejo na programação é "Christine, o Carro Assassino" (1983), de John Carpenter, baseado num romance de Stephen King. Ele é projetado no centro cultural no dia 23, às 21h40, e no dia 30, às 19h20.

Na ala de lançamentos, entram em cartaz o francês "Pequena Mamãe" (2021), de Céline Sciamma, "Vitalina Varela" (2019), do português Pedro Costa, e os nacionais "Fortaleza Hotel", de Armando Praça, e "Madalena", de Madiano Marcheti. Os filmes ganham várias exibições durante todo o mês.

O espaço também recebe sessões gratuitas do festival É Tudo Verdade, que segue até 10 de abril. Entre os títulos, estão "Quando Fazíamos Bullying", de Jay Rosenblatt, indicado ao Oscar de melhor curta documentário deste ano, com sessão já nesta sexta (1º), às 15h30. Ainda na programação do festival, há a primeira exibição nas Américas do russo "A História da Guerra Civil", de Dziga Vertov e Nikolai Izvolov, com sessão neste domingo (3), às 15h30. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início.

Completam a agenda do mês obras da cineasta francesa Germaine Dulac, importante nome do cinema dos anos 1920, conhecida por sua atuação no movimento feminista e sufragista. No dia 7, às 19h50, será exibido "A Concha e o Clérigo" (1927), um dos primeiros filmes surrealistas, e, logo em seguida, inicia-se "Um Convite à Viagem" (1927), baseado no poema de Baudelaire —a exibição será seguida por debate.

Por enquanto, a sala de cinema, com capacidade para 150 pessoas, vai funcionar com metade da lotação, ou seja, 75 lugares. Além disso, os visitantes devem apresentar o comprovante de vacinação com ao menos duas doses. A recomendação é usar a máscara dentro de todo o espaço cultural, como medida de combate à Covid.

Os ingressos custam entre R$ 10 e R$ 30, e a agenda completa está no site do IMS Paulista. O endereço, que tem entrada gratuita, conta ainda com exposições e oficinas, além de abrigar um café e o restaurante Balaio, no térreo.

IMS Paulista

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais