Bienal do Livro começa em SP após pausa na pandemia; veja 20 destaques da programação

Feira aposta no encontro com autores como Mauricio de Sousa, Valter Hugo Mãe e Pedro Bandeira

São Paulo

Depois de quatro anos e uma pandemia, a Bienal Internacional do Livro de São Paulo vai finalmente ganhar uma nova edição. Agora de casa nova, a 26º edição da feira sai do Pavilhão do Anhembi para preencher de livros o espaço do Expo Center Norte, também na zona norte da capital paulista.

Seguindo a tradição de homenagear um país a cada edição, o evento vai dedicar um pedaço do seu espaço para falar de Portugal, além de receber uma caravana com 21 escritores do país europeu –como Valter Hugo Mãe, Afonso Cruz e o colunista da Folha Ricardo Araújo Pereira, por exemplo. O evento ainda celebrará o centenário de José Saramago, único escritor de língua portuguesa que recebeu o Nobel de Literatura.

Visitantes na Bienal do Livro de São Paulo de 2016; a nova edição vai começar neste sábado (2) - Nelson Antoine/Folhapress

Vão aparecer por lá também brasileiros que batem cartão em eventos literários. No sábado (2), por exemplo, a feira recebe Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica. Pedro Bandeira, por sua vez, vai ao evento na quinta (7) para explicar por que decidiu escrever para crianças.

Outra pessoa que vai receber homenagem é Ziraldo, que completa 90 anos em 2022. Após sofrer um AVC, ele não vai aparecer no evento, mas os autores das coletâneas "As Meninas Maluquinhas" e "Os Meninos Maluquinhos" vão à feira na sexta (8) para falar sobre a importância da obra do cartunista.

Além de receber escritores renomados, a Bienal vai abrir espaço para um fenômeno recente: a explosão dos livros que fazem sucesso no TikTok e ocupam as listas de mais vendidos.

Para agradar quem pega dicas de livros no aplicativo, a feira terá eventos com autores como Alice Oseman, criadora dos quadrinhos "Heartstopper", que viraram febre por causa da série lançada recentemente pela Netflix. Mas ela não virá presencialmente a São Paulo —a escritora e quadrinista deixou um vídeo gravado, a ser exibido no sábado (9).

No mesmo dia, aliás, vai ocorrer uma mesa em que autores brasileiros de romances juvenis vão debater sobre como o TikTok virou uma poderosa máquina de vender livros.

Outra autora que se tornou sensação entre os adolescentes é Jenna Evans, de "Amor e Gelato", que virou filme também pela Netflix em junho. Ela vai aparecer presencialmente na feira para falar das suas obras no domingo (10), às 13h.

Além dos encontros com autores e das mesas de debates com escritores, há atrações infantis e conversas sobre o mercado editorial, num espaço chamado Papo de Mercado.

A 26ª edição da Bienal do Livro de São Paulo vai reunir 182 expositores numa área de 11 mil m². A feira diz que pretende receber cerca de 600 mil pessoas.

Confira, a seguir, 20 sugestões do que fazer na Bienal nos próximos dias. Para assistir às mesas desta lista, a dica é chegar cedo –as vagas são limitadas e serão preenchidas por ordem de chegada. Vale dizer que a presença não dá direito a autógrafos. A programação completa pode ser vista no site da feira.

Visitantes na Bienal do Livro de São Paulo de 2016, quando ocorria no Anhembi
Visitantes na Bienal do Livro de São Paulo de 2016, quando ocorria no Anhembi - Nelson Antoine/Folhapress

Sábado (2)

Das Páginas Para as Telas
Thalita Rebouças, Paula Pimenta, Bruna Vieira, Babi Dewet e Luiza Trigo falam sobre seus livros que viraram filmes e séries. Na Arena Cultural, às 11h30.


Mauricio de Sousa
Figurinha carimbada nas Bienais, o cartunista fala dos últimos lançamentos. Na Arena Cultural, às 13h.


Legados Saramaguianos
Valter Hugo Mãe, José Luís Peixoto e Socorro Acioli discorrem sobre sua relação com a obra de José Saramago. No Pavilhão de Portugal, às 14h.

​Domingo (3)

Homenagem a José Saramago
José Luís Peixoto volta a falar sobre o Nobel, desta vez com os brasileiros Andrea del Fuego e Jeferson Tenório. Na Arena Cultural, às 11h30.


Charles Darwin e Jornada da Ciência
No Salão de Ideias, às 15h, sobem ao palco Leda Cartum, Sofia Nestrovski e o jornalista da Folha Reinaldo José Lopes para falarem do cientista.


Rir na Mesma Língua
Os colunistas da Folha Ricardo Araújo Pereira e Antonio Prata conversam sobre como é o humor em diferentes culturas. No Pavilhão de Portugal, às 17h.


Personagens LGBTs em Diferentes Gêneros Literários
Mesa sobre a inclusão de personagens LGBTQIA+ na literatura. Na Arena Cultural, às 17h30.

Segunda (4)

Lázaro Ramos
Literatura infantil é o tema do papo com o ator e escritor. Na Arena Cultural, às 15h.

O ator Lálzaro Ramos durante lançamento de seu livro 'Caderno sem Rimas da Maria', na Livraria da Vila, em 2018 - Greg Salibian/Folhapress

Terça (5)

Representatividade na Literatura Infantil
Os escritores Kiusam de Oliveira e Otávio Júnior falam por que é importante ter crianças negras em livros infantis. Na Arena Cultural, às 13h30.

Quarta (6)

Literatura Indígena e Seus Saberes
A produção literária indígena é investigada na conversa entre os escritores Cristino Wapichana e Kaká Werá. Na Arena Cultural, às 10h.


Cerveja Artesanal
Cerveja e literatura se misturam no Pavilhão de Portugal, às 11h, onde o português Afonso Cruz e o jornalista brasileiro Rodrigo Casarin debatem sobre essa relação.

Quinta (7)

Escrever para Crianças
Pedro Bandeira e Ilan Brenman explicam por que decidiram escrever para crianças. Na Arena Cultural, às 11h30.

0
Retrato do escritor Pedro Bandeira em seu flat nos Jardins, em São Paulo - Karime Xavier/Folhapress

Sexta (8)

Meninas e Meninos Maluquinhos
Ziraldo é homenageado pelos autores das coletâneas "As Meninas Maluquinhas" e "Os Meninos Maluquinhos". Na Arena Cultural, às 10h.

Sábado (9)

Conceição Evaristo e Itamar Vieira Junior
O escritor e colunista da Folha conversa com a autora sobre suas obras. Na Arena Cultural, às 10h.


Ideias Para Adiar os Males do Brasil
Encontro entre Valter Hugo Mãe e o escritor e líder indígena Ailton Krenak para falarem sobre os problemas ambientais, econômicas e sociais do Brasil. No Salão de Ideias, às 11h


Booktok: os Livros no TikTok
Quase ao mesmo tempo, na Arena Cultural, às 11h30, autores falam sobre como o TikTok virou uma ferramenta para divulgar livros.


Alice Oseman
Exibição de uma gravação da criadora de "Heartstopper", na qual comenta sobre a importância de histórias LGBTQIA+. Na Arena Cultural, às 19h.


Laurentino Gomes e Ligia Fonseca Ferreira
Os dois se juntam para falar das marcas deixadas pela escravidão na sociedade brasileira. No Salão de Ideias, às 19h.

Domingo (10)

Coração e Cabeça, a Escrita Como uma Espécie de Matemática
Cristovão Tezza e o português Gonçalo M. Tavares discutem se a escrita pode partir de um raciocínio científico. No Pavilhão de Portugal, às 11h.


Xuxa Meneghel
O último dia de evento leva ao palco a apresentadora, que fala sobre seus livros infantis. Na Arena Cultural, às 14h30.

26ª Bienal do Livro Internacional de São Paulo

  • Quando Abertura neste sáb. (2). Seg. a sex., das 9h às 22h; sáb. e dom., das 10h às 22h. Até 10/7
  • Onde Expo Center Norte - r. José Bernardo Pinto, 333, Vila Guilherme, região norte
  • Preço R$ 30
  • Link: https://bienaldolivrosp.com.br
  • Instagram @bienaldolivrosp

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais