Descrição de chapéu Crítica cinema crítica de filmes
Cinema

Bons atores jogam pega-pega em comédia de premissa idiota

'Te Peguei!' tem Jeremy Renner, Ed Helms e Jon Hamm no elenco

Thales de Menezes
São Paulo

Te Peguei!

  • Classificação 16 anos
  • Elenco Ed Helms, Lil Rel Howery, Jon Hamm, Jake Johnson e Jeremy Renner
  • Produção EUA, 2018. 100 min
  • Direção Jeff Tomsic

Assistir ao trailer de “Te Peguei!” provoca uma inevitável associação com a trilogia “Se Beber, Não Case”. Pela presença do bom comediante Ed Helms, no elenco das duas produções. Ou por mostrar homens adultos passando por situações engraçadas e/ou vexatórias.

Assistir ao filme prova que a impressão passada pelo trailer é verdadeira. “Te Peguei!” também aposta na comédia de situação, aquela que depende de uma eficiente construção de roteiro. Isso já a diferencia do humor de paródia e com excesso de referências pop que hoje empobrece o gênero.

Mas o filme carrega um problema sério: poucas vezes uma comédia tentou fazer rir a partir de um mote tão idiota.

Os protagonistas são cinco amigos de escola que, durante os 30 anos seguintes à adolescência, se dedicam a brincar de pega-pega no mês de maio.

Hoje, os cinco são quarentões, em momentos muito distintos de suas vidas. Hoagie (Helms) é o cara simpático, bem casado e o maior entusiasta desse passatempo. O executivo bonitão Callahan (Jon Hamm, de “Mad Men”) conseguiu sucesso profissional, embora não seja nem um pouco brilhante.

Chilli (Jake Johnson, da série “New Girl”) é o maconheiro falido que não deu certo em nada. Reggie (Lil Rel Howery, de “Corra!”) sofre de paranoia e passa o tempo em derivações filosóficas.

Os quatro se unem para “pegar” Jerry, o único do grupo que escapou deles durante décadas. O único que nunca foi pego. Interpretado por Jeremy Renner (o Gavião Arqueiro de “Os Vingadores”), ele é um dono de academia cheio de predicados atléticos, capaz de fugir dos amigos usando qualquer meio disponível, incluindo violência física.

O quinteto se reúne na cidade de Jerry, que vai se casar, no último dia de maio. O filme então vira um jogo de gato e rato.

É difícil segurar duas horas com esse ponto de partida, mas é preciso reconhecer o esforço do elenco, que tem atores muito melhores do que o texto que receberam.

De qualquer forma, há algumas boas piadas aqui e ali e, dentro desse roteiro absurdo, o suspense sobre o resultado da brincadeira vai até o final. O diretor Jeff Tomsic, de séries de TV, porém, não deve vingar no cinema se depender deste projeto.

Veja as salas e horários de exibição.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais