Descrição de chapéu cinema
Cinema

Na estreia da sequência de 'Mamma Mia!', confira dez curiosidades sobre o musical

Longa embalado por músicas do ABBA é protagonizado por Amanda Seyfried e Lily James

São Paulo

Nascida em 1972, a banda sueca ABBA se tornou um fenômeno mundial ao vencer, em 1974, o Eurovision —o Festival Eurovisão da Canção.

A partir daí, o grupo formado por Benny Andersson, Anni-Frid Lyngstad, Björn Ulvaeus e Agnetha Fältskog foi presença constante em paradas musicais de todo o globo, com clássicos como "Dancing Queen", "The Winner Takes It All" e "Take a Chance on Me".

Apesar de ter continuado nas playlists de muita gente até os dias atuais, foi em 2008 que o ABBA voltou a ter sucesso semelhante ao da década de 1970, graças à chegada de "Mamma Mia" aos cinemas.

Adaptação de uma peça musical homônima que estreou em Londres em 1999, o filme embalado por canções do ABBA foi um sucesso de bilheteria e ganhou uma continuação, "Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo", que estreia nesta quinta (2). Pensando nisso, o Guia reuniu dez curiosidades sobre o musical.

 

Björn Ulvaeus e Benny Andersson na estreia da sequência de "Mamma Mia!", em Londres
Björn Ulvaeus e Benny Andersson na estreia da sequência de "Mamma Mia!", em Londres - AFP

Assim como aconteceu no filme de 2008, os músicos do ABBA Björn Ulvaeus e Benny Andersson fizeram, na sequência, uma pequena participação especial: eles aparecem, respectivamente, como figurantes nas performances de "When I Kissed The Teacher" e "Waterloo".

Apesar de a ilha grega na qual "Mamma Mia!" e sua sequência se passam ser parte importante da trama, "Lá Vamos Nós de Novo" foi filmado em Vis, uma ilha da Croácia.

Christine Baranski e Julie Walters em cena de "Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo"
Christine Baranski e Julie Walters em cena de "Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo" - Divulgação

Os produtores de "Mamma Mia!" ofereceram para Cher o papel de Tanya no filme de 2008. Devido a conflitos de agenda, a cantora não aceitou a proposta e a personagem ficou com Christine Baranski. Dez anos depois, Cher ficou responsável por dar vida a Ruby Sheridan na sequência do musical.

Phyllida Lloyd, diretora de "Mamma Mia!", também comandou a versão para os palcos do musical em Londres e na Broadway.

Colin Firth, Pierce Brosnan e Stellan Skarsgård em cena de "Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo"
Colin Firth, Pierce Brosnan e Stellan Skarsgård em cena de "Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo" - Divulgação

Em "Mamma Mia!", Colin Firth se apresenta como "Bright, Harry Bright", fazendo menção à clássica frase de James Bond —"Bond, James Bond". Isso porque na cena em questão Firth está ao lado de Pierce Brosnan, ator que já viveu o espião em quatro filmes.

Até o ano passado, "Mamma Mia!" era o musical em live-action (com atores) de maior bilheteria no mundo, com cerca de US$ 610 milhões (R$ 2,2 bilhões). Agora fica atrás de "A Bela e a Fera", protagonizado por Emma Watson.

Cher interpreta Ruby Sheridan em "Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo"
Cher interpreta Ruby Sheridan em "Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo" - Divulgação

A cantora e atriz Cher, que em "Lá Vamos Nós de Novo" vive a mãe de Donna, Ruby Sheridan, é apenas três anos mais velha que Meryl Streep, a intérprete de Donna.

Mandy Moore, Amanda Bynes, Rachel McAdams e Emmy Rossum foram sondadas para o papel de Sophie no filme de 2008. Mas quem acabou ganhando a oportunidade de protagonizar a versão cinematográfica de "Mamma Mia!" foi Amanda Seyfried. Sophie não foi a única personagem que quase foi interpretada por outra atriz: antes de Meryl Streep aceitar viver Donna, Olivia Newton-John e Michelle Pfeiffer foram consideradas para o papel.

Meryl Streep em "Mamma Mia!"
Meryl Streep em "Mamma Mia!" - Divulgação

Antes de "Mamma Mia!", a banda ABBA quase foi responsável pela trilha sonora de outro musical de grande sucesso. Em 1991, o letrista Tim Rice convidou o grupo para sonorizar a animação da Disney "O Rei Leão", mas, por conflitos de agenda, os suecos não aceitaram.

Atualmente, a produção da Broadway de "Mamma Mia!" é o nono musical que ficou mais tempo em cartaz em Nova York.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais