Descrição de chapéu Oscar Cinema
Cinema

Oscar das salas: saiba quais são os melhores cinemas de São Paulo

Confira os vencedores em 9 categorias, incluindo melhor sala, projeção e som

São Paulo
Mais uma cerimônia do Oscar está chegando —os premiados serão conhecidos neste domingo (9)— e, como já é tradição, o Guia embarca no clima da festa que contagia o mundo cinéfilo nesta época para publicar sua avaliação das salas de cinema de São Paulo.
 
Durante cerca de um mês, o Guia visitou os 61 cinemas da cidade, da luxuosa unidade da Cinépolis no shopping JK Iguatemi, na região sul, ao simples e aconchegante Cine Itaim Paulista, no extremo da zona leste.
 
Os destaques foram separados em dez categorias, uma a mais que em 2019. A novidade é o troféu de melhor cinema VIP, já que cada vez mais complexos se preocupam em oferecer experiências diferenciadas ao público — o que pode vir em forma de poltronas mais espaçosas ou de guloseimas excêntricas na bonbonnière.

As outras categorias são: melhor cinema, sala, projeção, som, conforto, programação, sala especial, bonbonnière e aplicativo de celular.

 
Também pela primeira vez, o Guia elegeu os melhores cinemas de cada parte da cidade —centro, norte, sul, leste e oeste —, para que todos possam desfrutar das melhores experiências cinematográficas de sua região.

Para completar a avaliação dos jornalistas do Guia, uma pesquisa do Datafolha ainda apontou os favoritos do público.

Os melhores de 2020

Os melhores de cada região

Centro: Espaço Itaú de Cinema - Frei Caneca

Região leste: Anália Franco UCI

Região oeste: Cinesystem Morumbi Town

Região norte: Santana Parque Shopping UCI

Região sul: Cinépolis JK Iguatemi

Melhor cinema

Já faz quatro anos que a avaliação do Guia decidiu desmembrar sua categoria principal: melhor cinema ganhou companhia de melhor sala em 2016. No ano passado, o divórcio fez sentido, afinal, o Cinesystem Morumbi Town ficou com o prêmio de cinema, enquanto outros dois endereços —Espaço Itaú de Cinema - Pompeia e Anália Franco UCI— garantiram os títulos de melhores salas da cidade.

Mas em 2020 não teve para ninguém: o Cinépolis JK Iguatemi levou tanto o troféu de melhor cinema quanto o de melhor sala (a escolhida foi a de número um, Imax).

O JK Iguatemi faz, assim, um retorno triunfal, já que, em 2019, esteve ausente da premiação porque passava por ampla reforma. Mudança essa que foi essencial para que o espaço garantisse os dois principais pódios em 2020. Com tecnologia de ponta —o que inclui a primeira tela de LED do país e projeção a laser—, o cinema ainda sai na dianteira em termos de conforto, apesar dos preços salgados.

Melhor sala

Com o Cinépolis JK Iguatemi fora da corrida no ano passado, o Espaço Itaú de Cinema - Pompeia e o Anália Franco UCI garantiram o segundo troféu mais cobiçado da premiação de 2019: o de melhor sala. A honraria veio, em boa parte, por causa da poderosa tecnologia Imax encontrada em ambos os endereços.

E, não à toa, essas mesmas salas receberam também o título de melhor projeção, feito que repetem agora em 2020 —mas não sozinhas. Ganham a companhia no pódio, é claro, da Imax do próprio Cinépolis JK Iguatemi.

Com ótima qualidade de imagem, o trio de salas costuma receber sempre os mesmos filmes. São blockbusters, que abusam dos efeitos especiais e também dos sonoros, a fim de garantir uma experiência quase imersiva a seu público.

Espere encontrar por lá títulos heroicos —ou vilanescos—, como “Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa”, adaptação dos quadrinhos da DC que estreou na última quinta-feira (6) e que traz Margot Robbie no papel da ex-namorada do Coringa.

Telas maiores e com boa curvatura são marcas registradas das salas Imax, uma tecnologia muito superior à sua concorrente direta em São Paulo, a XD, disponível em cinemas da rede Cinemark.

Confira também a avaliação de cada uma das salas da cidade.

Melhor som

Pelo quarto ano consecutivo, o sistema de som Dolby Atmos foi avaliado como o melhor entre os disponíveis nos cinemas de São Paulo, desbancando mais uma vez o THX.

É possível encontrá-lo em três salas, até o momento: a Cinépic, do Cinesystem Morumbi Town (considerado também o melhor cinema da região oeste), e em duas salas Xplus da rede UCI, a Jardim Sul 9 e a Santana Parque Shopping 8, ambas com telas maiores.

O som é distribuído em todo o espaço, incluindo no teto, para dar a sensação de 360º —na maioria das salas, ele vem apenas de caixas nas laterais. Segundo a UCI, as salas Xplus são equipadas com 54 caixas. Já a rede Cinesystem avisa que o som na Cinépic chega a 31 mil watts.

A programação ajudou a avaliação no Santana Parque, onde a reportagem assistiu a “Jumanji: Próxima Fase”, em sessão que registrou 109 db, a maior marcação entre as três. No Jardim Sul, a experiência foi testada com uma animação na qual o áudio é especialmente importante, “Frozen 2”, que marcou um pouco menos que seu concorrente: 105 db. O longa se repetiu no Cinesystem. O filme, que conta com a música “Into The Unknown” (que concorre ao Oscar de melhor canção original) se saiu bem, com 102 db.

Mais confortável

A experiência de assistir a um filme no cinema pode ser arruinada caso a poltrona escolhida não seja, no mínimo, decente. Um estofado macio, com bom reclinamento e encosto adequado são vitais para garantir o conforto do cinéfilo.

Na categoria de poltrona mais confortável, as salas da unidade da Cinemark no shopping Villa-Lobos levam a melhor. Na avaliação do ano passado, o primeiro lugar ficou com o Cinesystem do Morumbi Town, que tem apenas poltronas premium.

A vitória da Villa-Lobos Cinemark, que estreia no pódio da categoria, não vem por acaso. A rede de cinemas recentemente instalou no endereço poltronas D-Box. Maiores e mais confortáveis que as padrões, elas são revestidas em couro e têm braço duplo individual e sensores de movimento.

Quem frequenta sessões convencionais no complexo, sem efeitos 4D, também se depara com assentos novos e diferenciados. Meio-termo entre os disponíveis em salas VIP e os das regulares, se destacam pelo conforto, muito superior ao oferecido em outros cinemas da própria rede Cinemark —o que foi suficiente para destronar a Cinesystem.

Melhor programação

Já virou covardia: o Espaço Itaú de Cinema - Frei Caneca é, pela sexta vez, dono da melhor programação da cidade de São Paulo. É o quarto ano seguido que o complexo recebe a honraria, desbancando salas especiais, endereços que destacam blockbusters e cinemas  em que há boa mistura dos dois mundos.

É justamente essa combinação que coloca o Frei Caneca em posição de destaque. Quem visita o local pode assistir de filmes nacionais a grandes produções hollywoodianas, passando por animações, indicados ao Oscar e longas europeus e asiáticos.

Além da programação normal, o endereço também recebe debates e outros eventos cinéfilos, incluindo sessões da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Para comportar esse grande volume de opções, há nove salas —as menores têm 98 poltronas, enquanto a maior recebe até 248 pessoas.

Quem passar por lá neste fim de semana encontrará os seguintes filmes: “Jojo Rabbit”, “Com Amor, Van Gogh - O Sonho Impossível”, “Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa”, “1917”, “Judy”, “O Escândalo”, “Um Lindo Dia na Vizinhança”, “Bad Boys para Sempre”, “Adoráveis Mulheres”, “A Melhor Juventude”, “Um Espião Animal”, “Adoniran - Meu Nome É João Rubinato”, “Testemunha Invisível”, “A Chance de Fahim”, “Açúcar”, “Parasita”, “Minha Mãe É uma Peça 3” e “Os Órfãos”.

Melhor VIP

Nos últimos anos, muitas redes têm investido em uma experiência mais confortável na tentativa de vencer a concorrência do streaming. Em 2019, por exemplo, dos três complexos que abriram, dois foram exclusivamente de sala VIP, incluindo o vencedor desta nova categoria: o Parque da Cidade.

Localizado na zona sul, o cinema da rede carioca aposta em confortáveis poltronas reclináveis separadas de duas em duas com divisórias de madeira que formam pequenos camarotes —a ideia é ser mais privativo. A tela também é maior do que a encontrada neste tipo de sala e todas as salas são equipadas com som Dolby 7.1.

Entre os quitutes para degustar durante a sessão, o cinema conta com uma bombonnière que mantém o estilo gourmet, com pipoca salgada com fondue de cheddar ou a doce com fondue de chocolate. Também servem minissanduíches e milkshakes com sabores inusitados, como o de pipoca.

Aos maiores de idade, a experiência pode ser completa por drinques inspirados nos clássicos do cinema, como o Poderoso Chefão, que leva extrato de limão, gelo e açúcar, o Kir Kill Bill, com espumante e creme de cassis e o Casino Royale, cuja receita inclui vermute, gim e azeitona. 

Melhor bonbonnière

No ano em que é comemorado o centenário de seu nascimento, o cineasta Federico Fellini ganha uma pequena homenagem deste Guia, já que ele batiza (e ilustra) a bonbonnière do Espaço Itaú de Cinema - Augusta, eleita mais uma vez a melhor da cidade.

Pudera. As charmosas mesinhas decoradas com flores, pôsteres de filmes e desenhos assinados pelo italiano nas paredes e o quintal arborizado são apenas parte das atrações do local.

A experiência fica completa com um menu repleto de gostosuras, que passam por salgados (com uma seção vegana), sanduíches, crepes, tapiocas e doces. Dá até para almoçar ou jantar por lá, já que o espaço também oferece massas, sopas e uma saladinha.

Para acompanhar os bocados, tem bar, com vinhos, cervejas e doses. Ou, para os mais comportados, café (em várias versões) e chá.

Melhor Sala Especial

O Cinesesc não dá chance para os concorrentes e leva seu décimo título consecutivo na categoria de salas especiais na eleição do Guia Folha.

Fica difícil competir com o expositor, que recebe verba do Sistema S (ligado à Confederação Nacional do Comércio). O tripé preços baixos, programação diferenciada e estrutura (bom som, projeção de alta definição e acomodações confortáveis) são o trunfo do local, ainda equipado com um bar em seu interior (que em nada atrapalha os espectadores).

A seleção de filmes conta com estreias mais cults, curadoria de clássicos e ótima programação de mostras. O leque abrange desde a tradicional retrospectiva do cinema nacional até a projeção na telona de filmes da Netflix, que raramente chegam ao circuito.

Para completar, possui um agradável café do lado de fora, que conta com salgados, bebidas e sobremesas. Com baixos preços, já vale a visita para um lanche mesmo sem assistir a uma sessão.
Dependendo do título, porém, é bom chegar cedo. Há poucos atendentes e as filas, que podem se prologar ao longo da rua Augusta, são comuns.

Melhor App

Ganhadora no ano passado, a Cinemark conquistou novamente o título de melhor aplicativo de complexos de cinema e salas especiais da cidade. É a terceira vitória da rede desde que o Guia criou a categoria, em 2017 —ela perdeu apenas em 2018, para a Moviecom.

Além dos dois, outros aplicativos testados foram os da Playarte, Kinoplex, UCI, Espaço Itaú de Cinema, Cinesystem, Cinépolis, CCBB e Cinesesc. Os dois últimos acabaram no final da lista, uma vez que direcionam os usuários para seus respectivos sites para ver horários.

Já a Cinemark se destacou pelo design intuitivo, que permite encontrar automaticamente salas de cinema próximas do usuário — basta ativar a ferramenta de geolocalização — e filmes em cartaz em poucos passos.

Também é possível filtrar as sessões por características como legendagem ou dublagem e tipo de sala, além de acompanhar as próximas estreias nas abas “pré-venda” e “em breve”.

Desde o ano passado, o aplicativo também permite compras pela própria plataforma, uma vantagem em relação a uma versão anterior em que os usuários eram redirecionados para o site da Ingresso.com.

Quem quiser se livrar de filas ainda pode comprar a pipoca de casa: basta apresentar o código QR da transação nos caixas expressos.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais

Mais lidas