Descrição de chapéu Cinema
Cinema

'Babenco', representante do Brasil no Oscar, estreia nos cinemas; saiba onde assistir

Documentário dirigido por Bárbara Paz e 'Pacarrete', vencedor do Festival de Gramado, são destaques

São Paulo

Não deixou de ser uma surpresa quando a Academia Brasileira de Cinema anunciou, na semana passada, que “Babenco” será o candidato oficial do Brasil para tentar uma vaga entre os indicados ao próximo Oscar de melhor filme internacional.

O documentário dirigido por Bárbara Paz sobre Hector Babenco, cineasta morto em 2016, chega aos cinemas de São Paulo. No longa, a viúva do diretor retrata a vida e a morte do nome por trás de produções como “Pixote”, de 1980, e “Carandiru”, de 2003.

Outra estreia brasileira é “Pacarrete”, sobre uma extravagante bailarina cearense. O filme foi premiado no Festival de Gramado do ano passado.

Se decidir ir ao cinema, vale lembrar que os hospitais de São Paulo registraram um aumento no número de internações por Covid-19. Use sempre máscara e respeite os protocolos de segurança dos espaços.

*

PRÉ-ESTREIA

Trolls 2
EUA, 2020. Direção: Walt Dohrn. 90 min. Livre.
Na sequência da animação sobre criaturas cabeludas, Branch e a rainha Poppy descobrem a existência de outros mundos Troll, com tribos diferentes. A ameaça de um inimigo comum faz com que toda a espécie se una para combater o mal.
Salas e horários.

*

ESTREIAS

Babenco - Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou
Brasil, 2019. Direção: Bárbara Paz. 75 min. 14 anos.
O documentário, escolhido para representar o Brasil no próximo Oscar, narra a vida e a morte de Hector Babenco —diretor, entre outros, de "O Beijo da Mulher Aranha" e "Pixote - A Lei do Mais Fraco". Dirigido por sua viúva, o filme era um desejo do cineasta. Exibido na 43ª Mostra de Cinema de São Paulo.
Salas e horários.


O Barco
Brasil, 2018. Direção: Petrus Cariry. Com: Rômulo Braga, Samya de Lavor e Verônica Cavalcanti. 72 min. 14 anos.
Numa comunidade de pescadores no Ceará, uma mãe tem 26 filhos, cada um com nome cuja inicial é uma letra do alfabeto. A matriarca tem a habilidade de prever o futuro, e a visão da chegada de um barco misterioso afeta todos à sua volta.
Salas e horários.


Boni Bonita
Brasil/Argentina, 2018. Direção: Daniel Barosa. Com: Ailín Salas, Caco Ciocler e Ghilherme Lobo. 83 min. 16 anos.
Uma adolescente de 16 anos, em luto pela morte da mãe, começa um namoro com um músico que tem o dobro de sua idade.
Salas e horários.


Invasão Zumbi 2: Península
Coreia do Sul, 2020. Direção: Sang-Ho Yeon. Com: Dong-won Gang, Do-Yoon Kim e Jung-hyun Lee. 116 min. 14 anos.
Quatro anos depois de um surto de zumbis atingir os passageiros de um trem, um soldado que conseguiu escapar tem a missão de retornar à península dominada pelas criaturas para resgatar humanos sobreviventes.
Salas e horários.


Meu Querido Elfo
Rússia, 2020. Direção: Evgeniy Bedarev. Com: Pavel Derevyanko, Dmitriy Bedarey e Dmitriy Belotzerkovskiy. 12 anos.
Quando uma família se muda para o apartamento onde um elfo vive por mais de um século, a criatura faz de tudo para expulsar os inquilinos. Mas a descoberta de um tesouro mágico muda a relação entre eles.
Salas e horários.


Mulher Oceano
Brasil, 2020. Direção: Djin Sganzerla. Com: Djin Sganzerla, Kentaro Suyama e Stenio Garcia. 99 min. 14 anos.
Após se mudar para o Japão, uma escritora brasileira começa a escrever sobre a própria vida e sobre uma nadadora que viu apenas uma vez. Com isso, as vidas das duas mulheres acabam conectadas. Exibido na 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.
Salas e horários.​


Pacarrete
Brasil, 2019. Direção: Allan Deberton. Com: Marcélia Cartaxo, Zezita Matos e João Miguel. 98 min. 12 anos.
Grande vencedor do Festival de Gramado do ano passado, é inspirado na história real de uma bailarina aposentada que, ao ao voltar à sua cidade natal no Ceará, encontra resistência aos seus modos de ver a vida.​
Salas e horários.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais