Descrição de chapéu Cinema series STF
Cinema

Lula, Lava Jato e novela política brasileira são tema de séries e filmes recentes no streaming

Produções como 'Democracia em Vertigem' dão panorama do que antecedeu a anulação das condenações do ex-presidente pelo STF

São Paulo

O noticiário político brasileiro foi surpreendido nesta segunda-feira, dia 8, com a decisão do ministro Edson Fachin de anular as condenações contra Lula, o que permite que o ex-presidente possa se candidatar mais uma vez à Presidência nas próximas eleições, em 2022.

Para quem se perdeu em meio às reviravoltas e desdobramentos políticos recentes do país, que ganha ares de novela, algumas séries e documentários podem ajudar a entender a ascensão e a queda do ex-presidente Lula, o impeachment de Dilma Rousseff e a eleição de Jair Bolsonaro, em 2018.

Lula saúda Dilma Rousseff  durante a posse da presidente, com o vice Michel Temer à esquerda, em cena do documentário "Democracia em Vertigem", dirigido por Petra Costa
Lula saúda Dilma Rousseff durante a posse da presidente, com o vice Michel Temer à esquerda, em cena do documentário "Democracia em Vertigem", dirigido por Petra Costa - Orlando Brito/Divulgação

No Globoplay, por exemplo, está disponível “Entreatos”, documentário de João Moreira Salles que acompanha a campanha eleitoral do petista em 2002. Já na Netflix, é possível assistir a “Democracia em Vertigem” —indicado ao Oscar, o filme fala sobre os governos de Lula até o impeachment de Dilma e também faz uma análise da polarização política no Brasil.

A seguir, confira uma lista completa com seis produções disponíveis nas plataformas de streaming.

Democracia em Vertigem
Brasil, 2019. Direção: Petra Costa. Na Netflix. 12 anos
O documentário reúne imagens dos protestos de junho de 2013 no Brasil, do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 2016, da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2018, e da posterior vitória de Jair Bolsonaro na disputa pelo Palácio do Planalto. Essas passagens políticas aparecem junto a relatos da vida pessoal da diretora do longa, Petra Costa. Ela relembra, por exemplo, a participação dos dos seus pais em movimentos estudantis. O documentário foi indicado ao Oscar no ano passado, mas perdeu o troféu para “Indústria Americana”, produzido pelo casal Obama.


Entreatos
Brasil, 2004. Direção: João Moreira Salles. No Globoplay. Livre
O cineasta João Moreira Salles acompanha Luiz Inácio Lula da Silva em sua campanha eleitoral, em 2002. O filme mostra reuniões, comícios, voos e debates na televisão de que o então candidato participou, antes de se tornar presidente. Há ainda momentos de Lula com sua família e passagens descontraídas, em que conta que bebia pinga na hora do almoço quando trabalhava numa fábrica ou aparece marcando hora na manicure para a sua mulher, Marisa Letícia, morta em 2017. O documentário acompanha o ex-presidente durante os 32 dias que antecederam a sua vitória.

O atual presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em cena do documentário 'Entreatos', dirigido por João Moreira Salles
O atual presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em cena do documentário 'Entreatos', dirigido por João Moreira Salles - Divulgação

Excelentíssimos
Brasil, 2018. Direção: Douglas Duarte. Aluguel na Apple TV e Google Play. 12 anos
A obra se concentra em fatos e articulações que antecederam o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, e no dia em que o plenário da Câmara aprovou o seu impeachment. O filme ainda mostra o fortalecimento da bancada conservadora a caminho das eleições de 2018. Uma das falhas da produção, segundo crítica publicada neste jornal, foi não ter optado por um recorte temático nem se fixar em alguns poucos personagens. O documentário reúne de tudo um pouco, com cenas do Planalto, do plenário, das comissões do Congresso e das ruas.

Cena do documentário 'Excelentíssimos'
Cena do documentário 'Excelentíssimos' - Divulgação

O Mecanismo
Brasil, 2018. Direção: Elena Soarez e José Padilha. Com: Selton Mello, Caroline Abras e Enrique Diaz. Na Netflix. 16 anos
Inspirada em fatos reais, a série de ficção é narrada por Marco Ruffo, um delegado da Polícia Federal, afastado após ser receber um diagnóstico de transtorno bipolar. Ele é o grande cabeça por trás da investigação que vai resultar na Lava Jato e ajuda, mesmo que a distância, a operação a avançar. Quando lançada, em 2018, a série provocou discussões. Uma delas se referia à decisão da produção de pôr na boca do personagem que representava o ex-presidente Lula a expressão “estancar a sangria” da Operação Lava Jato —no mundo real, a frase foi dita pelo ex-senador Romero Jucá.


Polícia Federal - A Lei É Para Todos
Brasil, 2016. Direção: Marcelo Antunez. Com: Marcelo Serrado, Antonio Calloni e Flávia Alessandra. No Telecine e Globoplay. 12 anos
Lançada durante o governo de Michel Temer, a produção foi criticada por tropeçar em clichês e exageros. O filme é inspirado em fatos reais e conta como a Operação Lava Jato começou —entre as figuras da política, aparecem Sergio Moro, interpretado por Marcelo Serrado, e Lula, personagem de Ary Fontoura.


O Processo
Brasil, 2017. Direção: Maria Augusta Ramos. No Mubi. Livre
O documentário reproduz o processo completo que levou ao impeachment da então presidente Dilma Rousseff. As imagens mostram a crise política que afeta o Brasil desde 2013, sem entrevistas ou intervenções, apenas a partir de imagens das votações e discussões que foram determinantes para a queda de Dilma. Um dos destaques está em uma das falas do ex-ministro Gilberto Carvalho dando início a uma profunda autocrítica do exercício do poder pelo PT, na qual ele procura explicar como se criou a enorme derrota midiática e política que precedeu a queda de Rousseff.

Cena do filme 'O Processo', que oferece um olhar pelos bastidores do julgamento que culminou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff
Cena do filme 'O Processo', que oferece um olhar pelos bastidores do julgamento que culminou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff - Divulgação

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais