Descrição de chapéu Cinema quadrinhos
Cinema

Não quer assistir a 'Thor: Amor e Trovão'? Conheça as outras estreias dos cinemas

Filme da Marvel domina salas de SP nesta semana, mas há outros lançamentos

São Paulo

Depois do sucesso retumbante de "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura", que mergulhou numa fantasia sombria sob as rédeas de Sam Raimi, a Marvel agora se rende à paz e ao amor. Isso porque o elétrico diretor Taika Waititi comanda "Thor: Amor e Trovão", que estreia nesta quinta-feira, dia 7.

O ator Chris Hemsworth em cena de 'Thor: Amor e Trovão' - Jasin Boland/Divulgação

O filme domina as salas de cinema e traz pitadas de comédia romântica —com direito a Chris Hemsworth mostrando as nádegas ao público. A aventura é recheada das estripulias multicoloridas características do cineasta, conhecido por "Jojo Rabbit" e por "Thor: Ragnarok", de 2017.

Mas o longa do super-herói não é o único a estrear. Do outro lado do front, temos o lançamentos de "Os Primeiros Soldados", estrelado por Johnny Massaro, que usa uma poesia soturna para falar do início da epidemia de Aids no Brasil.

O longa foi destaque no Festival de Tiradentes e também terá um sessão especial promovida pela Folha nesta quarta, dia 6, às 19h30, no Espaço Itaú do shopping Frei Caneca. Nela, o repórter Leonardo Sanchez, da Ilustrada, conduzirá uma conversa com o diretor Rodrigo de Oliveira, Massaro e Renata Carvalho.

O cinema nacional também oferece o documentário "Gyuri", sobre a trajetória da fotógrafa Claudia Andujar e sua relação com o povo yanomami.

Outro destaque é "O Acontecimento", vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza, que se baseia no romance autobiográfico de Annie Ernaux, no qual ela narra ter feito um aborto na França dos anos 1960. O filme promete deixar o espectador com os nervos à flor da pele ao trazer uma câmera grudada à protagonista e a suas dores.

Mais leve é "Lola e Seus Irmãos", dirigido e estrelado por Jean-Paul Rouve, sobre o amor fraternal mesmo em tempos turbulentos. Saiba mais abaixo sobre as estreias da semana.

O Acontecimento
Baseado no romance autobiográfico de Annie Ernaux, o filme vencedor do Festival de Veneza chega num momento em que o aborto volta a ser discutido politicamente no Brasil, nos Estados Unidos e em outros países. Seguindo a escola dos irmãos Dardenne, a câmera de Audrey Diwan se cola na protagonista que, na França de 1963, vai ter de escapar das amarras sociais para conduzir o procedimento cercado de dilemas morais.
França, 2021. Direção: Audrey Diwan. Com: Luàna Bajrami, Louise Orry-Diquero, Anamaria Vartolomei. 16 anos
Leia a crítica.


Gyuri
Este documentário recorda a improvável relação entre uma pequena aldeia húngara e o povo yanomami na Amazônia. O elo entre esses dois lugares é a fotógrafa Claudia Andujar, que sobreviveu à Segunda Guerra Mundial, se exilou no Brasil e constituiu a carreira nas artes visuais e na luta por essa população indígena.
Brasil, 2021. Direção: Mariana Lacerda. Livre


Lola e Seus Irmãos
O drama com pitadas de comédia é dirigido e estrelado por Jean-Paul Rouve, figura de sucesso comercial na França. Ele interpreta Benoît, um sujeito que se casa pela terceira vez e está prestes a ter um filho. Ao lado de Pierre, que passa por problemas profissionais, eles são os irmãos da protagonista —uma advogada apaixonada por um cliente.
França, 2018. Direção: Jean-Paul Rouve. Com: Ramzy Bedia, Jean-Paul Rouve e Ludivine Sagnier. 12 anos


Os Primeiros Soldados
Este filme estrelado por Johnny Massaro retrata uma trupe de jovens gays que, na virada para 1984, descobrem estar infectados pelo HIV. O início da epidemia de Aids, no Brasil, porém, não é retratado com moralismo, mas a partir de uma poesia melancólica para falar das bases do ativismo LGBTQIA+.
Brasil, 2021. Direção: Rodrigo de Oliveira. Elenco: Johnny Massaro, Vitor Camilo, Renata Carvalho. 14 anos


Thor: Amor e Trovão
A nova aposta da Marvel tenta seguir um tom mais leve após o mundo sombrio de "Doutor Estranho". Agora, o deus do trovão esbanja a sua faceta paz e amor —claro que só até o momento em que surge um vilão carniceiro. A porradaria é completada por Korg e o "girl power" da Poderosa Thor, nada menos do que a ex-namorada do deus, interpretada por Natalie Portman. Tudo é embalado pelas cores e o humor berrante de Taika Waititi, que dirigiu "Thor: Ragnarok" e "Jojo Rabbit".
EUA, 2022. Direção: Taika Waititi. Com: Chris Hemsworth, Natalie Portman, Tessa Thompson. 12 anos
Leia a crítica.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais