De Pucci a Gucci, passando por Versace, exposição conta 70 anos da moda italiana

No Instituto Tomie Ohtake, mostra começa nesta terça-feira

São Paulo

A notoriedade italiana na moda ganhou peso ao longo dos anos e é o berço de estilistas que marcaram épocas.

Esse é o tema da exposição Vestindo o Tempo - 70 Anos da Moda Italiana, que começa nesta terça-feira (12) no Instituto Tomie Ohtake, apresentando justamente as sete décadas mais recentes do segmento. 

A mostra é composta por 45 peças dos colecionadores Enrico Quinto e Paolo Tinarelli —a dupla tem um acervo de mais de 6.000 itens, entre acessórios e roupas. Com curadoria do historiador João Braga, a exposição é dividida em três áreas.

A primeira é focada nos anos 1950 e 1960, quando, de acordo com o organizador, a moda começou a ganhar importância sob influencia de designers franceses, principalmente Christian Dior —que, após a Segunda Guerra, passou a desenhar roupas para resgatar a feminilidade perdida nos anos de confrontos.

 

O estilo ficou conhecido como new look, marcado por saias até os tornozelos, cinturas acentuadas e ombros naturais e inspirou estilistas como Emilio Schuberth, Sorelle Fontana, Roberto Capucci e Emilio Pucci.

Em seguida, a mostra apresenta os anos 1970 e 1980, quando a moda foi associada à produção industrializada, chamada de prêt-à-porter —que deu início à produção em massa de roupas. Neste período, destacam-se nomes como Versace, Armani e Fendi. 

A última parte destaca obras do fim do século 20 até hoje, quando as peças feitas de couro voltam a ganhar relevância em casas tradicionais, como Prada e Gucci. 

Instituto Tomie Ohtake - R. dos Coropés, 88, Pinheiros, tel. 2245-1900. Ter. a dom.: 11h às 20h. Até 2/2. Livre. Abertura ter. (12), às 20h. Grátis. 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais

Mais lidas