Descrição de chapéu jogos de inverno
Passeios

Patinação no gelo em SP ajuda a matar a saudade das Olimpíadas de Inverno

Arena Ice tem pistas abertas para o público conhecer patinação, curling e até hóquei

Prateleiras com patins na Arena Ice Brasil, em São Paulo

Prateleiras com patins na Arena Ice Brasil, em São Paulo Lucas Seixas/Folhapress

São Paulo

Foram quase três semanas de competições que só costumam aparecer no Brasil de quatro em quatro anos —e que, por isso mesmo, geram curiosidade ao exibir esquis, trenós, patins e outros equipamentos de gelo e de neve deslizando na tela da televisão. Mas os Jogos de Inverno de Pequim-2022 foram encerrados neste domingo (20).

Para os que vão ficar com saudades, é possível sentir um pouco desse frio esportista em São Paulo. Na Arena Ice Brasil, na região do Morumbi, o visitante experimenta uma brisa gelada logo ao chegar. Lá dentro, as temperaturas costumam ficar entre 8ºC e 20ºC durante todo o ano, seja inverno, seja verão.

Isso porque o local abriga duas pistas para praticar esportes no gelo, que são mantidas sob temperaturas negativas e onde são oferecidas aulas de patinação, curling e hóquei —todos eles, esportes olímpicos.

O complexo tem 4.000 m² e conta com um rinque de patinação de 27 metros de comprimento por 18 metros de largura, além da maior pista de curling da América Latina, certificada pela Federação Mundial de Curling.

Para deslizar sobre a camada congelada de quatro centímetros de espessura, paga-se R$ 60, durante a semana, ou R$ 70, aos fins de semana e feriados. O complexo oferece os equipamentos necessários, o que inclui capacetes, joelheiras, cotoveleiras e patins, que vão do número 26 ao 45.

Monitores ensinam a dar os primeiros passos no gelo e ficam a postos para socorrer quem escorrega e cai no chão. A situação é comum entre os iniciantes que ainda estão pegando o jeito com os calçados laminados, mas acaba provocando risadas —e algumas bundas molhadas.

Objetivo do curling é lançar pedras de granito o mais próximo possível de um alvo
Objetivo do curling é lançar pedras de granito o mais próximo possível de um alvo - Lucas Seixas/Folhapress

Imagens de paisagens distantes, com montanhas cobertas de neve, completam a decoração —afinal, é preciso esquecer que estamos numa estrutura montada no meio do estacionamento de um supermercado, numa cidade onde não neva, em um país tropical.

Já a pista de curling, que possui três raias em 44 metros de comprimento por 15 metros de largura, pode ser reservada para jogar entre amigos ou família, em grupos de até oito pessoas. Os preços variam entre R$ 69 e R$ 99. Uma breve aula com instruções básicas do esporte, que lembra uma bocha abaixo de zero, sai por R$ 20.

Essa modalidade exige um pouco mais de jeito e de força. O esporte consiste em lançar e manter pedras de granito o mais próximas possível de um alvo. Para arremessar o objeto, é preciso agachar-se, dobrar um dos joelhos, que fica quase colado no chão, e deslizar com a pedra por um trecho até empurrá-la.

O local disponibiliza um solado de teflon para facilitar o deslizamento. Mas, até conseguir equilibrar o próprio corpo durante os lançamentos, é frequente escorregar para um lado ou outro e acabar deitado no chão. As crianças e os adolescentes são os que mais se divertem com os tombos.

A sala, fechada, também é a mais gelada —a temperatura por lá não costuma passar dos 10ºC. A dica é ir preparado para o frio e levar um agasalho, vestir calças, tênis e evitar roupas curtas.

O espaço foi aberto em 2020 e, poucos meses depois da inauguração, teve de ser fechado por causa da pandemia. As atividades foram retomadas em julho do ano passado. Desde então, a procura do público vêm aumentando, conta Matheus Figueiredo, presidente da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo, que gerencia o complexo.

Em janeiro deste ano, por exemplo, o espaço recebeu 1.300 pessoas. As matrículas para as aulas semanais de patinação contam com 150 alunos. Segundo Figueiredo, o centro de treinamento foi criado para formar ligas para competições nacionais e popularizar os esportes de inverno —além, é claro, de ser um espaço recreativo aberto a qualquer interessado.

"O brasileiro tem vontade de conhecer o gelo, e existe um desafio de quebrar o medo de se arriscar. Essas são modalidades que pessoas de todas as idades podem praticar", diz. O local também tem agenda de eventos culturais. Até o dia 28, fica em cartaz uma pequena exposição que conta a história das Olimpíadas de Inverno de Pequim.

Para participar da programação e dos esportes, é preciso comprar ingressos no site ou no local. Se decidir ir para se exercitar ou só para quebrar o gelo e conhecer um esporte diferente, não se esqueça de manter os cuidados relacionados à Covid: use uma máscara adequada, mantenha o distanciamento e se vacine.

Arena Ice Brasil

  • Onde Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 16.741, Jardim Fonte Morumbi, região sul
  • Preço R$ 60 a R$ 99
  • Link: https://www.arenaicebrasil.com.br/
  • WhatsApp (11) 96596-0978

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais