Grupo Tapa monta versão intimista de Pirandello

Com apenas 16 lugares por sessão, "O Torniquete" transforma espectadores em testemunhas

Clara Balbi
São Paulo

Com sessões limitadas a 16 pessoas e ingressos reservados por telefone, a montagem do Grupo Tapa para "O Torniquete" ganha apresentações especiais na sede da companhia durante o Carnaval, de sexta (1º) à terça (5), após um ano de hiato.

Homem reflete em cenário escuro
Bruno Barchesi interpreta um marido ciumento em "O Torniquete", do Grupo Tapa - Alan Foster/Divulgação

Restrita ao boca a boca e à divulgação nas redes sociais quando estreou, em 2017, o espetáculo propõe uma espécie de marco zero teatral: sem efeitos de luz e som, é totalmente calcado na atuação dos atores. "Nada é cenográfico. Tudo é real", afirma o diretor Eduardo Tolentino de Araújo.

A ação acontece nas áreas internas da sede do grupo, observada pelos espectadores (chamados de "testemunhas" pelo diretor) através de janelas.

A narrativa, baseada no primeiro texto do dramaturgo siciliano Luigi Pirandello, explora os limites entre realidade e aparência a partir do melodrama de André (Bruno Barchesi), que começa a suspeitar que a mulher Júlia (Cynthia Hussei) o trai.

Dois atores em poses dramáticas
Bruno Barchesi e Cynthia Hussei interpretam um casal envolto em suspeitas de adultério em "O Torniquete", do Grupo Tapa - Alan Foster/Divulgação

O clima de proximidade entre público e produção continua com conversas informais com diretor e elenco antes e depois da encenação, no bar da companhia. Depois do feriado, as apresentações seguem às terças.

Galpão Grupo Tapa - R. Lopes Chaves, 80, Barra Funda, tel. 3662-1488. 16 lugares. Seg., ter., sex., sáb. e dom.: 20h30. Até 5/3. Ingr. somente p/ 3662-1488 (Whatsapp). Ingr.: R$ 40.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais