Canudos de inox, macarrão e papel são opções ao plástico em estabelecimentos de SP; confira

Após lei que proíbe o uso de plástico, alternativas se diversificaram pela capital

Canudos de diferentes materiais em alternativa ao plástico Gabriel Cabral/Folhapress

Marina Consiglio Leonardo Sanchez
São Paulo

Desde o último dia 25 de junho a cidade de São Paulo proíbe o uso de canudos de plástico em estabelecimentos comerciais —que ainda têm 180 dias (seis meses) para se adaptar. A lei é nova, mas se você tem a impressão de que a discussão acerca dos utensílios ronda há anos o dia a dia de quem usa plástico, está correto.

Isso porque foi em 2015 que viralizou o vídeo do resgate de uma tartaruga com um destes itens atravessado na narina, o que impulsionou a causa anticanudo. Até que demorou para que a lei chegasse por aqui. No Rio de Janeiro, por exemplo, está em vigor desde julho de 2018. 

E, como o tema está em voga há tempos, a adaptação tem sido tranquila. Dos dois lados. Enquanto os estabelecimentos comerciais oferecem opções de canudo feitas com materiais como inox, papel e até macarrão, a clientela já têm se acostumado a dispensar o item —com exceção de pessoas com deficiência física, crianças e de quem, é claro, prefere usá-lo.

Nas páginas a seguir, veja como alguns bares, restaurantes, lanchonetes e cinemas, estão se adequando a estas mudanças graduais de consumo e comportamento.

 

BIODEGRADÁVEL

Contras: Mesmo com a degradação mais rápida, ainda é plástico (mas está liberado)

bares

Diniz
Faz o estilo boteco chique e tem decoração que remete às antigas farmácias. A carta traz releituras de clássicos —e os canudos de plástico biodegradável não vêm junto à bebida, só quando solicitados. Entre as receitas, uma sugestão é o bombeirão do Antonio (R$ 29), feito com gim, limão-siciliano, purê picante de framboesa, xarope de romã e bitter de laranja.
R. São Sebastião, 169, Santo Amaro, região sul, tel. 5524-1733. 120 lugares. Ter. a qui.: 17h às 24h. Sex.: 17h à 1h. Sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 22h. Não aceita tíquetes.  

Fel
Fica aos pés do Copan este bar especializado em coquetéis tido como esquecidos. Preparados pela bartender Michelly Rossi, os drinques não ganham canudos —com a exceção de um, o Maitai (R$ 37), que utiliza um de plástico biodegradável. Na composição, além de gelo triturado, duas bases de rum, xarope de amêndoas, triple sec e limão.
Av. Ipiranga, 200, lj. 69, República, região central, tel. 3237-2215. 25 lugares. Seg. a qui.: 19h à 0h45. Sex.: 19h à 1h45. Sáb.: 18h à 1h45. Não aceita tíquetes.

Genuíno
Um dos bares mais disputados da Vila Mariana, acomoda os clientes em um quintal arborizado com teto retrátil. Dos drinques feitos por ali, só a caipirinha utiliza o acessório —que é entregue só quando o cliente pede. Das versões do local para a bebida, faz sucesso a que combina tangerina, limão-siciliano e pimenta-rosa.
R. Joaquim Távora, 1.217, Vila Mariana, região sul, tel. 5083-4040. 254 lugares. Seg. a sex.: 17h às 24h. Sáb. e dom.: 12h às 24h. Não aceita tíquetes.

Vila Seu Justino
Tanto neste bar quanto no Pracinha Seu Justino, na mesma rua, para a clientela que pede canudos, são oferecidos os de plástico biodegradáveis. Exemplo de drinque é o Credo, que Delícia, Guto!, com gim, maracujá azedo e xarope de gengibre  (R$ 36,90).
R. Harmonia, 117, Sumarezinho, região oeste, tel. 2305-0938. Ter. a sex.: a partir das 18h. Sáb.: a partir das 14h. Dom.: a partir das 12h. Ingr.: R$ 20 a R$ 35. 

guloseimas

Achapa
Cinquentona e tradicional, a lanchonete deixa a critério do cliente o uso do item —o usado por ali é de plástico biodegradável. A regra vale para as lojas físicas e também para o delivery. Para acompanhar os hambúrgueres do espaço, faz sucesso o milk-shake de biscoito Oreo (R$ 24).
Al. Lorena, 2.096, Jardim Paulista, região oeste, tel. 3081-3000. 45 lugares. Seg. a qui. e dom.: 8h à 1h. Sex. e sáb.: 8h às 3h.  

Lanchonete da Cidade
Tem cinco unidades na capital a lanchonete especializada em hambúrgueres. A postura por ali é de não entregar nenhuma bebida com o objeto —é oferecido um de plástico biodegradável para aqueles que pedirem; até para quem escolhe os cremosos milk-shakes, que já chegam à mesa com uma colher para 
facilitar o consumo.
R. Coropés, 51, Pinheiros, região oeste, tel. 3819-0229. 120 lugares. Seg. a qua.: 18h às 24h. Seg. a sex.: 12h às 15h. Qui. e sex.: 18h à 1h. Sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 23h.  

restaurantes

Piselli
Mesmo que a bem fornida carta de vinhos seja um dos atrativos da casa italiana, ainda há quem prefira tomar drinques. Com canudos. Neste caso, o local oferece o item de plástico biodegradável. Coquetéis como o Aperol spritz (R$ 37) podem acompanhar o tagliolini negro com lulas, abobrinha e bottarga (R$ 85).
R. Pe. João Manuel, 1.253, Cerqueira César, tel. 3081-6043. Seg. a qui.: 12h às 16h e 19h às 24h. Sex. e sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 23h. Não aceita tíquetes. 

Sal Gastronomia
Dá para escolher um suco ou drinque para acompanhar as receitas de sabores brasileiros do chef Henrique Fogaça. Para os clientes que preferem usar canudos, a casa oferece o de plástico biodegradável. Dica para bebericar é a caipirinha (R$ 35).
Av. Magalhães de Castro, 12.000, 3º piso, Butantã, região oeste, tel. 3198-9505. 180 lugares. Seg. a qui.: 12h às 24h. Sex. e sáb.: 12h à 0h30. Dom.: 12h às 22h. 

Canudos de materiais alternativos ao plástico - Gabriel Cabral/Folhapress

 

MACARRÃO

Contras: Pode ter glúten e ovos, tornando-o inadequado para celíacos, no primeiro caso, e veganos

bares

Bar do Cofre
A ideia de usar o macarrão surgiu de uma brincadeira do barman Fabio la Pietra. Em seu outro balcão, no SubAstor, ele utilizava a massa para o clássico bloody mary, feito com suco de tomate, para fazer alusão ao macarrão ao sugo. Os clientes gostaram e logo a alternativa ecológica ao plástico tomou conta da carta de drinques das duas casas e também do Astor, com quem o Sub divide imóvel e administração.
R. João Brícola, 24, Centro, região central, tel. 3101-1217. 90 lugares. Qua.: 17h às 23h. Qui. e sex.: 17h à 1h. Sáb.: 14h à 1h. Dom.: 14h às 20h. Não aceita tíquetes.  

BEC Bar
O nome da casa reverencia uma dupla querida pelo brasileiro: breja e churras. Mas não é apenas de cerveja que vive o bar. Na carta de drinques, se destacam as caipirinhas e as gins-tônicas, servidas com canudo de macarrão.
R. Pe. Garcia Velho, 72, Pinheiros, região oeste, tel. 99660-2161. Ter. a qui.: 12h à 1h. Sex. e sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 18h.  

Desembargador
O bar utiliza um macarrão do tipo grano duro, de origem italiana, porque é neutro e não dissolve. Ele chega nos copos de coquetéis clássicos, como o bloody mary, e de autorais, caso do Dourado, que mistura vermute, suco de tangerina e bitter.
R. Desembargador do Vale, 253, Perdizes, região oeste, tel. 3672-3676. Seg. a qui.: 17h à 1h. Sex. e sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 22h.

Firmina Pinheiros
As três casas do grupo Firmina (em Pinheiros, Moema e no largo do Arouche) utilizam macarrão tipo bucatini no lugar de canudo. Dos chás até as caipirinhas e drinques clássicos, todos recebem a massa.
Av. Pedroso de Morais, 1.003, Pinheiros, região oeste, tel. 3031-1020. 50 pessoas. Seg.: 12h às 15h. Ter. a sex.: 12h às 15h e 19h às 24h. Sáb.: 12h às 24h. Dom.: 12h às 23h.  

Fortunato Bar
Com decoração moderna, o bar oferece uma vasta carta de drinques, com opções como o Sage Bitter (rum, limão-siciliano, sálvia, bitter e açúcar). Eles chegam à mesa portando canudos de macarrão.
R. Joaquim Távora, 1.356, Vila Mariana, região sul, tel. 4680-2966. 130 lugares. 
Seg. a qui.: 17h às 23h30. Sex.: 16h às 23h30. Sáb.: 12h às 23h30. Dom.: 12h às 23h.  

Nit Bar de Tapas
Chef do badalado Tanit, o catalão Oscar Bosch prepara tapas espanholas para servir no balcão do bar. Elas acompanham drinques autorais servidos com canudo de macarrão —o Tizona y Colada, com cachaça, brandy de jerez, gengibre, abacaxi, coco e massala de guaraná com canela, é boa pedida.
R. Oscar Freire, 153, Jardim Paulista, região oeste, tel. 3539-9795. 55 pessoas. Ter. e qua.: 18h às 24h. Qui. a sáb.: 18h à 1h. Dom.: 17h às 23h. Não aceita tíquetes.

Olívio Bar
Muitos dos clientes que chegam ao bar estão em busca não do sabor dos drinques, mas de sua apresentação, sempre original e divertida. Copos em formato de bonecas de porcelana ou máquinas de chiclete, por exemplo, ganham a companhia de canudos de macarrão.
R. Delfina, 196, Vila Madalena, região oeste, tel. 4680-2967. Ter.: 12h às 15h e 17h às 23h45. Qua. e qui.: 12h às 15h e 17h à 1h. Sex. e sáb.: 12h às 2h. Dom.: 14h às 23h.  

guloseimas

Muda Organic Burger & Bar
Novidade no Jardim Paulistano, a hamburgueria orgânica tem pegada sustentável e, além dos canudos de macarrão, toma outras medidas em prol do meio ambiente. Os copos descartáveis da casa, por exemplo, são feitos à base de mandioca e, depois de descartados, são transformados em adubo orgânico.
Av. Brig. Faria Lima, 2.885, Jardim Paulistano, região oeste, tel. 3078-2293. 86 lugares. Seg., ter. e dom.: 12h às 23h. Qua. a sáb.: 12h à 1h.  

Canudos de material alternativo ao plástico - Gabriel Cabral/Folhapress

PAPEL

Contras: O material se desfaz rapidamente nas bebidas; ruim para quem bebe beeem devagar

bares

Das
No bar de equipe 100% feminina, a seção etílica tem preço amigável —e cafinoxnudos de papel, para quem pedir. Entre as misturas clássicas, há uma seleção de bebes criados por mulheres, como a tônica italiana (R$ 18), da bartender argentina Pipi Yalour, feita com cold brew, Campari, tônica e tintura de hibisco.
R. Fortunato, 133, Vila Buarque, região central, s/ tel. 50 pessoas. Ter. a sáb.: 19h às 24h. Não aceita tíquetes.

Drosophyla
Um casarão tombado na região da praça Roosevelt abriga o negócio, que se inspira na fictícia artista chinesa dos anos 1920 Madame Lili para criar a atmosfera boêmia. Grupos de amigos trintões bebericam os drinques, que chegam à mesa sem canudo —a exemplo do Tropique Jambu (cachaça de jambu, purê de abacaxi, suco de limão e capim-santo; R$ 35). Quando o item é solicitado, a casa oferece o de papel. A partir desta segunda (15), começam a vender o de inox.
R. Nestor Pestana, 163, Consolação, região central, tel. 3120-5535. 141 lugares. Ter. e qua.: 19h às 24h. Qui.: 19h à 1h. Sex. e sáb.: 20h às 3h. Não aceita tíquetes. Ingr. ou cons. mín.: R$ 35 a R$ 60.

Mena
A literatura inspira a coquetelaria daqui, que leva a assinatura da bartender Stephanie Marinkovic, do Espaço 13. Exemplo é o drinque Oscar Wilde (R$ 22), com uísque Jameson, xarope de especiarias, gengibre, noz-moscada e picles de rabanete. Ele, como os demais, são entregues sem o canudo. O conviva que pede o objeto pode escolher entre o de inox ou o de papel.
Pça. Ituzaingo, 42, Vila Regente Feijó, região leste, tel. 2672-2011. 75 lugares. Ter. a qui.: 17h30 às 24h. Sex. e sáb.: 18h30 à 1h. Dom.: 14h às 22h. Não aceita tíquetes.  

restaurantes

Felix Bistrot
O restaurante francês é alternativa fora da região central: fica numa casa de campo, com jardim e 
mesas em torno da piscina, na Granja Viana. Para aproveitar o clima, uma sugestão é tomar drinques como o mojito e a caipirinha (R$ 23 cada um). A maioria das bebidas chega ladeada com o utensílio de papel, o local também tem a opção de macarrão ou inox.
R. José Felix de Oliveira, 555, Granja Viana, Cotia, tel. 4702-3555. 120 lugares. Ter. a qui.: 12h às 15h e 19h às 22h. Sex.: 12h às 15h e 19h às 23h. Sáb.: 12h às 16h e 19h às 23h. Dom.: 12h às 17h. Não aceita tíquetes. 

Fotiá
Em clima mediterrâneo, a chef Mariana Fonseca (também do Kouzina e do Myk) assina receitas gregas preparadas na grelha. A salada de lentilhas, nozes, queijo feta e romã servida sobre tomatinhos levemente tostados (R$ 44) pode ser apreciada na companhia de bebidas como o bloody mary (R$ 28). O canudo —de papel, aqui— é entregue ao cliente quando solicitado.
R. Pe. João Manuel, 964, Cerqueira César, região oeste, tel. 2638-6174. 60 lugares. Ter. a sáb.: 12h às 24h. Dom.: 12h às 18h. 

Vaca Ateliê Culinário
Vegana, a cozinha da chef Kamili Picoli entrega pratos do café da manhã ao da tarde, passando pelo almoço —mas a sua especialidade é, mesmo, a confeitaria. Dentre as bebidas, aparecem coquetéis, como o mango sour (R$ 30), e os freakshakes, versão sem leite de origem animal para o milk-shake. Para quem quiser prová-las com canudo, é oferecido o de papel.
Av. Prof. Alfonso Bovero, 323, Sumaré, região central, tel. 97169-9156. 28 lugares. Ter. a sáb.: 10h às 19h. Dom.: 10h às 16h. 

Detalhe com canudos - Gabriel Cabral/Folhapress

 

OUTROS

Contras: Inox e vidro são caros para os estabelecimentos (alguns repassam o custo para o cliente); mas são reutilizáveis

bares

Ginteria
A casa de inspiração nova-iorquina já nasceu sem usar canudos plásticos. Os copos chegam à mesa com versões de papel e macarrão, além da de palha e a de gelatina, ainda pouco conhecidas. Tudo depende do tipo e da temperatura da bebida. No caso do canudo de palha, é difícil de encontrar à venda e de armazenar, mas é resistente a líquidos e barato. Já o de gelatina é saborizado e se desfaz rapidamente nos coquetéis, tendo uso restrito.
R. Amauri, 284, Jardim Europa, região oeste, tel. 99456-8058. Ter. a sáb.: 18h às 5h.

guloseimas

Zé do Hambúrger
Apesar de conservar o clima de anos 1950 na decoração, a hamburgueria não se apega a velhos hábitos. Substituiu os canudos de plástico dos milk-shakes por opção ecológica e saborosa, biscoitos cilíndricos —mas tem que tomar rápido.
R. Itapicuru, 419, Perdizes, região oeste, tel. 3868-4884. 185 lugares. Seg. a qui. e dom.: 12h às 24h. Sex.: 12h às 2h. Sáb.: 12h às 3h.

restaurantes

Enosteria Vino e Cucina
Neste restaurante, os pratos com sotaque italiano são ladeados por copos que não têm adornos de plástico. As bebidas são servidas com canudos de papel ou de gelatina. Importados, aparecem em sabores como menta e morango e são comestíveis. O gosto não passa para o líquido por até 30 minutos.
R. Jacques Félix, 626-A, Itaim Bibi, região sul, tel. 2774-1710. 40 lugares. Ter. a sáb.: 12h às 23h. Dom.: 12h às 17h.

Maní
No restaurante da chef Helena Rizzo, os canudos não viram lixo. Após trocar os tradicionais pelos biodegradáveis, passou a utilizar, em outubro de 2018, apenas os de inox, caso o cliente os peça.
R. Joaquim Antunes, 210, Pinheiros, tel. 3085-4148. Ter. a qui.: 12h às 15h e 20h às 23h30. Sex.: 12h às 15h e 20h30 às 24h. Sáb.: 13h às 16h e 20h30 às 24h. Dom.: 13h às 16h.

Nattu
Do mesmo dono do Ginteria, o restaurante de pegada sustentável também tem testado opções, como os canudos de palha, papel, gelatina e macarrão. No passado, chegou a usar os de inox e de vidro, que muitas vezes não eram devolvidos aos garçons. Por isso, a última opção agora é vendida por R$ 10 para que o cliente a leve consigo.
R. Clodomiro Amazonas, 473, Itaim Bibi, região sul, tel. 3078-0691. Seg. a sex.: 12h às 24h. Sáb.: 12h às 23h. Dom.: 12h às 22h.

CINEMAS

Confira os canudos usados pelas bonbonnières da cidade

Cinearte: Utiliza canudos de papel

Cinemark: Vende canudos de inox por R$ 10, que não estavam disponíveis em duas unidades durante as visitas do Guia

Cinépolis: Não informou

Cinesala: Utiliza canudos de papel

Cinesesc: Não oferece nenhum tipo de canudo

Cinesystem: Não informou

Espaço Itaú de Cinema: Utiliza canudos de papel

Kinoplex: Utiliza canudo biodegradável

Moviecom: Utiliza canudo biodegradável

Petra Belas Artes: Não oferece qualquer tipo de canudo

Playarte: Ainda utiliza os canudos tradicionais

UCI: Ainda utiliza os tradicionais

Canudos alternativos ao plástico - Gabriel Cabral/Folhapress


 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais