Descrição de chapéu cinema
Cinema

Felipe Hirsch adapta fábula sobre traição e perdão em 'Severina'

Longa é adaptação do romance homônimo do guatemalteco Rodrigo Rey Rosa

Maria Luísa Barsanelli
São Paulo

Um livreiro (Javier Drolas) se apaixona por uma mulher misteriosa (Carla Quevedo), cujo passatempo é roubar livros. Seria ela sua musa ou fruto da imaginação?

“Severina”, segundo longa de Felipe Hirsch (de “Insolação”, 2009), é uma adaptação, em tom de fábula, do romance homônimo do guatemalteco Rodrigo Rey Rosa.

“Ele tem uma capacidade de criar metáforas e signos muito ricos”, diz o diretor, que rodou o filme em Montevidéu.

É o que Rey Rosa faz na trama sobre traição e perdão. Cria uma ladra-musa que rouba do protagonista, mas também afana livros alheios.

Leia a crítica do filme.
​Veja salas e horários de exibição.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais