Longa nacional 'Paraíso Perdido' abraça o brega e o novelesco

Filme fala de amor em suas diversas formas e de maneira inclusiva

Leonardo Sanchez
São Pauilo

Com trama novelesca, uma grande família como protagonista, visual cafona e trilha sonora com canções bregas, “Paraíso Perdido” é um filme extremamente brasileiro.

O longa acompanha um policial (Lee Taylor) contratado pelo dono de uma boate (Erasmo Carlos) para proteger seu neto,  vivido pelo cantor Jaloo, que durante a noite se apresenta como drag queen no local. Aos poucos, ele começa a se envolver nos dramas da família do proprietário.


“Paraíso Perdido” é um filme que fala de amor em suas diversas formas e de maneira inclusiva, com personagens que não se prendem a padrões de sexualidade e gênero.


No elenco ainda estão Humberto Carrão, Júlio Andrade, Hermila Guedes, Marjorie Estiano e Seu Jorge.

Leia a crítica do filme.
Veja salas e horários de exibição.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais