Filme mais longo da 43ª Mostra e 'O Mágico de Oz' no vão do Masp são destaques do dia

Clássico será exibido em homenagem ao crítico Rubens Ewald Filho; veja outras indicações

São Paulo

Nesta quinta (24), "O Mágico de Oz" (1939), dirigido por Victor Fleming, será exibido no vão-livre do Masp na 43ª Mostra de Cinema de São Paulo. A sessão homenageia Rubens Ewald Filho, morto em junho deste ano —esse era um dos filmes favoritos do crítico.

Também haverá uma sessão de "Sátántangó" (1994), obra-prima do cineasta húngaro Béla Tarr, com sete horas e meia de duração. É o filme mais longo deste ano no festival. Em preto e branco, narra o destino de um vilarejo rural após a queda do comunismo.

Outra dica para hoje é a dobradinha de Amos Gitai no Espaço Itaú - Frei Caneca. Dois filmes do diretor, "Berlim-Jerusalém" (1989) e "Kadosh: Laços Sagrados" (1989) passam em sequência a partir das 19h10.

Confira todos os destaques:

Berlim-Jerusalém
Berlin-Yerushalaim. Israel, 1989. Direção: Amos Gitai. Com: Liza Kreuzer e Rivka Neumann. 89 min. 14 anos.
Em 1930, a história de duas mulheres se interconecta em Jerusalém em um cenário de poesia, ideologia e violência. Do mesmo diretor de “Um Trem em Jerusalém”, exibido na 42ª Mostra.

Veja salas e horários

De Quem É o Sutiã?
The Bra. Alemanha, 2018. Direção: Veit Helmer. Com: Miki Manojlovic, Paz Vega e Chulpan Khamatova. 90 min. 12 anos.
Um maquinista prestes a se aposentar faz com que o trem esbarre em um varal, derrubando um sutiã azul. Ele, então, sai em uma jornada para encontrar a dona da peça. Do mesmo diretor de “Absurdistan”, exibido na 32ª Mostra.

Veja salas e horários

Impunidade Zero
Zero Impunity. Luxemburgo/França, 2019. Direção: Nicolas Blies, Stephane Hueber-Blies e Denis Lambert. 95 min. 16 anos.
Documentário mescla filmagem e animação ao mostrar relatos de vítimas e testemunhas de violência sexual e tortura durante conflitos armados em várias partes do mundo.

Veja salas e horários

Kadosh: Laços Sagrados
Kadosh. Israel, 1999. Direção: Amos Gitai. Com: Yaël Abecassis, Yoram Hattab e Meital Barda. 110 min. 16 anos.
Duas irmãs sofrem com a ultraortodoxia de uma comunidade judaica em Jerusalém, onde as mulheres têm de cuidar da casa e dos filhos para que os homens se dediquem totalmente ao estudo da Torá. Do mesmo diretor de “Uma Carta para um Amigo em Gaza”, exibido na 42ª Mostra.

Veja salas e horários

La Llorona
Guatemala/França, 2019. Direção: Jayro Bustamante. Com: María Mercedes Coroy, Sabrina de la Hoz e Julio Diaz. 96 min. 14 anos.
Um general guatemalteca aposentado, que nunca foi condenado pelos crimes de guerra durante os conflitos armados, é perseguido por uma presença espectral. Seria a culpa, o Alzheimer ou o espírito da Chorona?

Veja salas e horários

O enredo do filme é tão envolvente que é fácil confundir 'O Mágico de Oz' com um filme para a família tradicional
Cena de 'O Mágico de Oz', (1939), de Victor Fleming - Alamy

O Mágico de Oz
The Wizard of Oz. EUA, 1939. Direção: Victor Fleming. Com: Judy Garland, Ray Bolger e Jack Haley. 101 min. Livre.
Neste clássico, Dorothy e seu cachorro Totó são levado por um ciclone a uma terra fantástica e cheia de perigos. Agora, com a ajuda de novos amigos, ela terá de encontrar um elusivo mago para conseguir voltar para casa. 
Dia 24, às 19h30 (Vão-livre do Masp).

Nina Wu
Zhuo Ren Mi Mi. Taiwan/Malásia/Mianmar, 2019. Direção: Midi Z. Com: Wu Ke-xi, Sung Yu-hua e Hsia Yu-chiao. 103 min. 18 anos.
Neste suspense psicológico, a grande chance de ascensão ao estrelato de uma atriz é perturbada quando ela precisa lidar com problemas familiares e delírios de perseguição. Do mesmo diretor de "O Caminho para Mandalay", exibido na 40ª Mostra.

Veja salas e horários

A Resistência de Inga
Héradid. Islândia/Dinamarca/Alemanha/França, 2019. Direção: Grímur Hákonarson. Com: Arndís Hrönn Egilsdóttir, Porsteinn Bachmann e Aevar pór Benediktsson. 92 min. Livre. 
Do mesmo diretor de “A Ovelha Negra”, exibido na 39ª Mostra, o filme narra a história de uma fazendeira de laticínios da Islândia que se rebela contra uma poderosa cooperativa.

Veja salas e horários

Sátántangó
Idem. Hungria/Alemanha/Suíça, 1994. Direção: Béla Tarr. Com: Mihály Vig, Putyi Horváth e László Felugossy. 432 min. 18 anos.
Remasterização inédita do épico com pouco mais de sete horas de duração. Após a queda do comunismo, a chegada de um homem que se acreditava estar morto complica os planos dos moradores de um afastado vilarejo. 

Veja salas e horários

System Crasher
Systemsprenger. Alemanha, 2019. Direção: Nora Fingscheidt. Com: Helena Zengel, Albrecht Schuch e Gabriela Maria Schmeide. 118 min. 18 anos.
Premiado no Festival de Berlim, acompanha uma menina sob a tutela do Estado que quebra todas as regras para retornar à guarda de sua mãe biológica.

Veja salas e horários

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais