Panorama de Cinema Suíço exibe títulos gratuitos na plataforma do Sesc

Em versão online, programação exibe 24 títulos entre curtas e longas

São Paulo

O Panorama Digital de Cinema Suíço exibe 24 produções (14 deles, longas) gratuitamente na plataforma Sesc Digital até 6 de setembro.

Entre os destaques estão o documentário "Madame" (2019), que reflete sobre identidade de gênero a partir de retratos da família do diretor de Stéphane Riethauser; e a ficção "Praça Needle Baby" (2020), de Pierre Monnard, sobre a relação entre uma menina de 11 anos e sua mãe, dependente química.

Além dos longas, há dois programas dedicados à curtas, o primeiro exibe cinco títulos voltados para o público adulto, e o segundo, indicado para os pequenos, traz cinco animações exibidas em festivais internacionais.

Longas e curtas ficam disponíveis em dias específicos na plataforma Sesc Digital.

Confira a programação.

LONGAS

Aqueles que Trabalham
Ceux que Travaillent, Suíça/Bélgica, 2018. Direção: Antoine Russbach. Com: Olivier Gourmet, Adele Bochatay e Louka Minnella101 min. Livre.
Após 20 anos trabalhando na mesma empresa, homem precisa deixar o emprego, mas não revela o real motivo à família. . Solitário e desempregado, ele passa a refletir sobre sua carreira e valores.
Qua. (2) a 6/9.

Bruno Manser - A Voz da Floresta
Bruno Manser - Die Stimme des Regenwaldes, Suíça, 2019. Direção: Niklaus Hilber. Com: Sven Schelker, Charlotte Heinimann e Daniel Ludwig. 142 min. 12 anos.
O longa é baseado na história real do ativista ambiental Bruno Manser, que viaja para Bornéu em 1984 em busca de uma experiência de vida e encontra a tribo nômade Penan. Ele se junta aos indígenas na luta contra o desmatamento e a exploração de madeireiras.
Disponível por 24 horas a partir de 6/9 às 20h.

Charles Morto ou Vivo
Charles Mort ou Vif, Suíça, 1969. Direção: Alain Tanner. Com: François Simon, Marie-Claire Dufour e Marcel Robert. 92 min. 14 anos.
Charles é um homem de meia idade que se rebela contra a sua suposta realização pessoal, questionando sua família, responsável pela herança que o proporciona uma vida confortável em Genebra. Ele foge da própria realidade em busca de liberdade e se aproxima de um casal de boêmios em um café.
De 4/9 a 6/9.

A Cidade Branca
Dans la Ville Blanche. Suíça/Portugal, 1982. Direção: Alain Tanner. Com: Bruno Ganz, Teresa Madruga e Julia Vonderlinn. 108 min. 14 anos.
Ao desembarcar em Lisboa, o engenheiro de um navio cargueiro sente um grande vazio existencial. Ele passa a filmar a cidade com uma câmera Super-8 e envia as imagens para sua mulher na Suíça, até que ele se apaixona por outra pessoa. ​Vencedor do César de melhor filme francófono.
De 4/9 a 6/9.

Contrapor
Contradict, Suíça, 2019. Direção: Peter Guyer e Thomas Burkhalter. 89 min. 14 anos.
O documentário questiona o processo da globalização a partir de Gana, na África. Perguntas como “como contrapor as mudanças da globalização?” são respondidas por um grupo de sete artistas que produziu músicas e clipes.
Sex. (28) a dom. (30).

O Fim do Mundo
Idem, Suíça/Portugal, 2019. Direção: Basil da Cunha. Com: Lara Cristina Cardoso, Marco Joel Fernandes e Alexandre Da Costa Fonseca. 107 min. Livre.
Ao retornar à sua comunidade cabo-verdiana em Lisboa, um rapaz recém liberado de um centro de detenção juvenil tem de lidar com as mudanças no bairro e nas lideranças locais. Exibido na 43ª Mostra.
Qui. (3) a 5/9.

A Jornada
Immer & Ewig, Suíça, 2018. Direção: Fanny Brauning. 85 min. Livre.
O documentário acompanha a rotina do fotógrafo aposentado Niggi e de sua mulher Annette, tetraplégica há 20 anos, ao viajar pelo mundo em um trailer. A direção é da filha do casal, Fanny Bräuning.
Sex. (28) a dom. (30).

Madame
Idem, Suíça, 2019. Direção: Stéphane Riethauser. 94 min. 12 anos.
O diretor Stéphane Riethauser revista os arquivos familiares para contar a história de sua avó Madame e discutir a construção da identidade de gênero em uma sociedade patriarcal.
Seg. (31) a qua. (2).

Meu Primo Inglês
Mon Cousin Anglais, Suíça/Catar, 2019. Direção: Karim Sayad. 82 min. 12 anos.
Depois de viver no Reino Unido por 17 anos, Fahed precisa decidir se vai passar sua velhice trabalhando 50 horas semanais em busca de uma vida melhor ou se retorna à Argélia.
Seg. (31) a qua. (2).

No Meio do Horizonte
Le Millieu de L'Horizon, Suíça/Bélgica, 2019. Direção: Delphine Lehericey. Com: Clémence Poésy, Laetitia Casta e Patrick Descamps. 90 min. Livre.
Gus está prestes a abandonar a infância. Isso acontece enquanto a região rural em que vive passa por uma seca intensa e sua família está se despedaçando. No final da estiagem, chuvas mudam as expectativas do campo e de sua própria vida.
Sex. (28) a dom. (30).

Um Perfume de Liberdade
Ein Durft Von Freihei, Suíça, 2019. Direção: Ruedi Leuthold e Beat Bieri. 52 min. Livre.
A cultura do café na Guatemala é tema do documentário, que investiga como os povos de origem maia, que tiveram suas terras roubadas e foram forçados a trabalhar para os colonizadores, conseguiram certa liberdade ao se reunir em cooperativas que fizeram o país se tornar o segundo maior exportador do grão no mundo.
Ter. (1º) a 5/9.

Praça Needle Baby
Platzspitbaby, Suíça, 2020. Direção: Pierre Monnard. Com: Sarah Spale, Jerry Hoffmann e Luna Mwezi. 100 min. 12 anos.
Quando a praça Needle, ponto de comércio e uso de drogas em Zurique, é fechada, em 1995, uma menina de 11 anos e sua mãe se mudam para o interior do país. Lá, ela se aproxima de um grupo de adolescentes e se rebela contra a genitora, dependente química.
Disponível por 24 horas a partir de qui. (27) às 20h.

Temporada de Caça
Jagdzeit, Suíça, 2020. Direção: Sabine Boss. Com: Therese Affolter, Werner Biermeier e Roland Bonjour. 90 min. 12 anos.
Um ambiente corporativo hostil afeta profundamente o diretor financeiro de uma companhia que arma um plano de vingança contra o novo CEO para preservar o próprio poder.
Dom. (30) a ter. (1º).

O Vento Muda
Le Vent Tourne, Suíça/França, 2018. Direção: Bettina Oberli. Com: Mélanie Thierry, Pierre Deladonchamps e Nuno Lopes. 86 min. Livre.
Pauline e Alex têm um projeto de vida autossuficiente em contato com a natureza. No entanto, quando um homem aparece na fazenda para instalar um gerador, a relação do casal muda completamente.
Sex. (28) a ter. (1º).

CURTAS

Programa Adulto
Serão exibidos os curtas “O Som da Casa” (2015), de Maxime Kathari; “Selfies” (2018), de Claudius Gentinetta; “Tudo Incluso” (2018), de Corina Schwingruber Ilic; “Lírio da Paz” (2018), de Louis Hans-Moevi, Maxime Beaud; e “Realidade Etérea” (2019), de Kantarama Gahigiri. 53 min.
Sex. (28): 20h a seg. (31) às 20h.

Programa Infantil
Serão exibidos os curtas “O Último Dia do Outono” (2019), de Marjolaine Perreten; “As Cores do Cuco” (2018), de Oana Lacroix; “Branco e Preto” (2020) de Gerd Gockell e Jesús Pérez; “Kuap” (2018), de Nils Hedinger, e “O Pequeno Pássaro e as Abelhas” (2020), de Lena von Dohren. 32 min.
Qui. (3/9): 20h a 6/9 às 20h.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais