Após dois anos fechado, Martinelli reabre terraço para visitação

O edifício foi o primeiro arranha-céu de São Paulo e, até 1947, o mais alto do país

Isabella Menon
São Paulo

Fechado há dois, o tradicional mirante do edifício Martinelli foi reaberto para visitação. 

Aberto ao público pela primeira vez em 2010, o terraço foi fechado em 2017, depois de casos de suicídio. Agora, a reabertura foi marcada por uma operação de segurança reforçada para evitar novas tragédias.

Segundo o SPTuris, a ideia é que, até o fim do primeiro semestre, o terraço ganhe um observatório, com restaurante, café e lojas. 

Inaugurado em 1929 pelo empresário italiano Giuseppe Martinelli, o edifício foi o primeiro arranha-céu de São Paulo e, até 1947, o mais alto do país.

O prédio refletiu o boom econômico da  capital no começo do século passado e já abrigou um hotel, um cinema, restaurantes, clubes, sindicatos, partidos políticos e até jornais.

Dos anos 1950 em diante, contudo, o prédio se transformou numa espécie de cortiço e foi palco de uma série de crimes nunca desvendados.

Foi preciso intervenção de militares para recuperar o edifício, cujos fossos dos elevadores formavam pilhas de lixo. Nos anos 1970, a prefeitura desapropriou e restaurou o imóvel. Desde a reinauguração, em 1979, ele voltou a abrigar escritórios, restaurantes e órgãos municipais.

Terraço do edifício Martinelli, que foi reaberta para visitação
Terraço do edifício Martinelli, que foi reaberta para visitação - Divulgação

Av. São João, 35, Centro, tel. 3116-2777. 15 vagas p/ período. Seg. a sex.: 11h às 11h40, 13h às 13h40, 15h30 às 16h10 e 17h30 às 18h10. Sáb. e dom.: 11h às 11h40, 12h às 12h40, 13h às 13h40, 14h30 às 15h10, 15h30 às 16h10, 16h30 às 17h10, 17h30 às 18h10 e 18h30 às 19h10. 40 min. Livre. Grátis.

 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais