Com Ilu Obá de Min, festival celebra mulher negra e latina

Evento conta com debates, oficinas e shows

Isabella Menon
São Paulo

Beatriz Nascimento, historiadora e ativista negra, disse durante uma entrevista à revista Manchete, em 1976, que “o negro não tem apenas espaços a conquistar, tem coisas a reintegrar também”.

 Agora, mais de 40 anos depois, a frase de Nascimento inspira o Festival Latinidades, com o tema Reintegração de Posse. Nascido em Brasília, em 2008, o evento impulsionou trajetórias de mulheres negras em diferentes campos de atuação, e chega pela primeira vez à São Paulo, no CCSP, entre esta terça (23) e sexta (26), gratuitamente.

O bloco Ilu Oba de Mim
O bloco Ilu Oba de Min - Beto Assem/Reprodução/Facebook

O bloco Ilú Obá de Min abre a programação na terça, às 14h. Um dos destaques entre os bate-papos é uma mesa, na quarta (24), às 14h, que reflete sobre economia, trabalho e impasses ético-psicológicos vivenciados pela comunidade negra em seus confrontos e lutas por reintegração de posse.

Com debates, oficinas e shows, o festival acontece na semana que se celebra o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, comemorado na quinta (25). A data homenageia Tereza de Benguela, líder quilombola que viveu no século 18 e foi morta em uma emboscada.

CCSP - R. Vergueiro, 1.000, Liberdade, tel. 3397-4002. Ter.: 14h às 20h. Qua.: 10h às 20h. Qui.: 10h às 17h. Até 26/7. Livre. Abertura ter. (23). Grátis.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais