Mutarelli, Zé do Caixão e Bortolotto participam de peça pela internet

Renata Jesion (foto), idealizadora do Teatro para Alguém, participa de "Corpo Estranho" - Crédito: Nelson Kao/Divulgação

Ao idealizar o site Teatro para Alguém, o objetivo da atriz e dramaturga Renata Jesion era de levar peças de conteúdo a pessoas com pouco ou nenhum acesso à cultura. Hoje, oito meses após a estreia do projeto, as produções transmitidas virtualmente recebem de 30 a 40 mil visitas ao mês. Em dias de apresentações ao vivo, cerca de 2.000 pessoas acompanham as encenações.

Mas é teatro mesmo? Ou cinema? "Com certeza é o híbrido do teatro, cinema e TV em busca de uma nova linguagem, mas ainda não sabemos qual nome dar para isso", conta Renata, em entrevista ao Guia da Folha Online.

A sala de sua casa, que serve como palco para os espetáculos, recebe atualmente o projeto 12 Dramaturgos, que começou na semana passada e conta com produções de autores recém-formados no curso do Núcleo de Dramaturgia do Sesi. Cada um deles teve que criar e produzir uma minipeça, com duração de cerca de dez minutos.

A programação da Sala de E-Star prevê a exibição de duas dessas obras a cada sexta-feira, ao vivo, sempre às 21h e às 22h. Todos os vídeos ficam disponíveis no Porão do site, mesmo que tenham saído de cartaz.

Grávida de seis meses, Renata foi quem sugeriu que fossem apresentadas duas por vez, ao invés de uma: "Se [o projeto] fosse durar 12 semanas, eu não sei se estaria aqui", brinca, se referindo à necessidade de ir, em breve, ao hospital.

José Mojica Marins, o Zé do Caixão (foto), participa da segunda temporada de "Corpo Estranho", exibido pelo Teatro para Alguém - Crédito: Alessandra Fratus/Divulgação

"Corpo Estranho", de Mutarelli

Mas a "menina dos olhos" do Teatro para Alguém, de acordo com a atriz, é a Grande Sala, destinada exclusivamente às produções do autor Lourenço Mutarelli.

A "miniemsérie" "Corpo Estranho", que teve a primeira temporada exibida de dezembro de 2008 a março deste ano (14 episódios, cada um com duração de dois a cinco minutos), dá início à segunda parte do projeto em 13 de agosto (quinta-feira).

Agora mais extensa (20 episódios, de cinco a sete minutos), a sequência conta com um elenco de cerca de 20 pessoas, incluindo a presença de José Mojica Marins, Paulo César Peréio e Mário Bortolotto. As sessões ocorrem às terças e quintas-feiras, às 22h.

Lourenço Mutarelli (centro) é autor de "Corpo Estranho", que estreia segunda temporada - Crédito: Alessandra Fratus/Divulgação

"O texto está mais incrível e eu caprichei no casting", conta Renata, que está em processo de finalização dos vídeos. "Não tem muita edição porque é tudo em plano sequência, a câmera só para quando termina o episódio." De acordo com a atriz, as produções da Grande Sala são as únicas que não permitem transmissão ao vivo.

A história, "completamente surreal" e que "foge dos padrões da TV", prossegue com a sinistra conspiração alienígena que faz com que Patricha seja substituída por seu clone. Apesar de os amigos e familiares não notarem a mudança, o experimento apresenta falhas e proporciona uma série de situações inesperadas e surpreendentes.

Para quem acompanha a série, Renata diz que a terceira temporada de "Corpo Estranho" deve ser gravada em março, e que, depois, Mutarelli vai reescrever a peça para que eles se apresentem em um "teatro real". Mas avisa: "quando a gente for para este espaço convencional, o espetáculo não deixará de ser transmitido ao vivo, todos os dias, pela internet".

Acervo à disposição

Nestes oito meses de existência, o Teatro para Alguém já realizou oito espetáculos ao vivo e 18 apresentações gravadas. O público pode ter acesso a todas estas produções, que incluem as peças "Feliz Aniversário, Fabinho", de Sergio Roveri, "Cansei de Tomar Fanta", de Alberto Guzik, e "O Arthur", de Antônio Prata, interpretada por Iara Jamra. Para saber mais sobre a programação do site, acesse o Twitter do projeto.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais