Peça 'Medea Mina Jeje' traça paralelo entre tragédia grega e escravidão

O ator Kenan Bernardes em cena do espetáculo de "Medea Mina Jeje"
O ator Kenan Bernardes em cena do espetáculo de "Medea Mina Jeje" - Julieta Bachin/Divulgação
Amanda Ribeiro

A personagem Medeia da peça do grego Eurípedes (480-406 a.C) decide assassinar os filhos para se vingar do marido, Jasão, que a abandonou para se casar com uma princesa. Já a escrava Medea da peça Medea Mina Jeje, que estreia nesta sexta (26), no Sesc Ipiranga, tem um motivo menos mesquinho: quer matar o filho para impedir que seja aprisionado.

A peça de Rudinei Borges relaciona a tragédia grega à exploração de escravos nas minas de ouro de Minas Gerais. Ao descobrir que o filho seria acorrentado a uma mina, a mãe decide livrá-lo do destino.

Sesc Ipiranga - auditório - R. Bom Pastor, 822, Ipiranga, tel. 3340-2000. 30 lugares. Sex.: 21h30. Sáb.: 19h30. Dom.: 18h30. Até 18/2. Ingresso: R$ 6 a R$ 20, p/ sescsp.org.br. Ingr. esgotados p/ 26/1.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais