Com Matheus Nachtergaele e Renato Borghi, Molière retrata crise na corte

Espetáculo estreia nesta sexta (20) no Teatro do Sesi

Lenise Pinheiro/Folhapress
Matheus Nachtergaele, Debora Veneziani e Regina França (fundo) em cena de "Molière" - Lenise Pinheiro/Folhapress
Amanda Ribeiro
São Paulo

Atrás das cortinas dos palcos da corte francesa do século 17, dois dramaturgos travam uma guerra para se tornarem os favoritos do rei Luís 14: um deles é o experiente Molière (Matheus Nachtergaele), mestre da tragédia, e o outro é seu jovem aluno Racine (Elcio Nogueira Seixas), entusiasta da comédia. 

Muito mais do que mestre e aprendiz, os dois personagens incorporam os gêneros teatrais que defendem na peça “Molière”, dirigida por Diego Fortes (vencedor do prêmio Shell em 2017 por “O Grande Sucesso”), que estreia nesta sexta (20), no Teatro do Sesi.

Embalada por músicas de Caetano Veloso, executadas ao vivo por uma banda com arranjos originais de Gilson Fukushima, a trama escrita pela mexicana Sabina Berman retrata o embate entre as diferentes formas de ver o mundo.

Aproveitando-se do conflito entre os dramaturgos, outro homem se impõe na trama: o arcebispo Péréfixe, (Renato Borghi), que usa a briga como desculpa para propor que o teatro e os artistas sejam banidos do reino. Suas ações geram questionamentos sobre censura e extremismo.  Amanda Ribeiro

Centro Cultural Fiesp - teatro Sesi São Paulo - Av. Paulista, 1.313, térreo, Bela Vista, região central, tel. 3146-7439. 456 lugares. Qui. a sáb.: 20h. Dom.: 19h. Até 29/7. É recomendável reservar o ingresso p/ site. GRÁTIS

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais