Descrição de chapéu teatro
Teatro

Antes restritas ao cinema, comidas e bebidas invadem as salas de teatro em SP

Cardápio vai de pipoca a champanhe em taças de plástico

Ilustração mostra pessoas comendo na plateia do teatro e um pacote de pipoca com braços e pernas em cima do palco, como se fosse um ator
Ilustração Giovani Flores
Amanda Ribeiro
São Paulo

Foi-se o tempo em que era preciso aguentar a fome no teatro. Antes rígidas quanto à entrada de alimentos e bebidas, algumas salas relaxaram as regras para agradar o público.

As guloseimas invadiram desde teatros maiores, como o Procópio Ferreira, até os menores, a exemplo do Teatro do Sol. O menu também varia. Enquanto há quem aposte no esquema cinema, com pipoca e refrigerante, como o Teatro Folha, outros, como o Bradesco, têm taça de champanhe e sanduíche.

É claro que a novidade não agradou todo mundo. O Grupo Sobrevento, por exemplo, já interrompeu apresentações para pedir silêncio a comilões. “Todo artista detesta quando o espectador tenta evitar fazer barulho abrindo a bala aos pouquinhos”, diz Luiz André Cherubini, diretor da companhia.

Marcos Felipe, da Cia. Mungunzá, discorda: “Para nós, o teatro é uma extensão do espaço externo. Então, é coerente que o público que vem degustar um espetáculo o faça à vontade, seja tomando vinho, seja comendo um salgado que não deu tempo para terminar”.

O Guia visitou 12 teatros em que a plateia pode comer para apresentar as opções e contar se o consumo interfere no aplauso final.

Leia o texto de Nelson de Sá, colunista da Folha, sobre a história da comida em salas de teatro.

Colaboraram Ana Moraes e Priscila Camazano

 

TEM, SIM SENHOR

Menu completo
O cardápio mais variado é o do Teatro Bradesco, com cerca de 40 opções que vão do mini-hambúrguer a doses de uísque. O mais simples é o do Teatro do Sol, que serve apenas café

Ostentação
Algumas casas, como o Tuca, oferecem bebidas alcoólicas, de champanhe a prosecco. Os preços variam de R$ 15 (prosecco, no Teatro Procópio Ferreira) a R$ 45 (espumante, no Teatro Bradesco)

Parece cinema, mas não é
Protagonista absoluta, a pipoca é a favorita do público em cinco casas

Passando o chapéu
As lanchonetes da Cia. Mungunzá e do Teatro do Sol funcionam em esquemas diferentes. Na primeira, você paga o quanto achar justo; na outra, o café é servido de graça, como boas-vindas

TEATRO BRADESCO

Em cartaz: Musical infantil “O Mágico de Oz”
Cardápio: É bastante extenso. Para comer, há sanduíches naturais, pipoca, mix de castanhas, balas e chocolates diversos. Para beber, água, refrigerantes e sucos, além de uísque, vinho e espumante
Protagonista: Também serve mini-hambúrgueres e salgadinhos de ervilha com wasabi
Pode entrar? Não há nenhuma restrição à entrada de alimentos e bebidas. As últimas, no entanto, devem circular em copos plásticos
Favoritos: O público se concentra no esquema cinema —pipoca e refrigerante
Atrapalhou a peça? Apesar de a visita da reportagem ter ocorrido durante uma peça infantil, o público não fez barulho e nem bagunça com a pipoca.
Shopping Bourbon - R. Palestra Itália, 500, 3º piso, Perdizes, região oeste, tel. 3670-4100. 1.457 lugares. Seg. a qui. e dom.: 12h às 20h. Sex. e sáb.: 12h às 22h. Até 26/7. Estac. a partir de R$ 14. teatrobradesco.com.br.  

TEATRO BIBI FERREIRA

Em cartaz: Espetáculos adultos, como “Trair e Coçar É só Começar” e “O Santo Chá”, e infantis como “Peter Pan e Sininho na Terra do Nunca” e “Os Três Porquinhos - O Musical”
Cardápio: Guloseimas como salgadinhos, balas, chocolates, salgados, pipoca e amendoim. Para beber, há cerveja de lata e long neck, refrigerante e suco de caixinha 
Pode entrar? É possível entrar na sala com todos os tipos de comida e bebida. Não há restrições
Favoritos: Os favoritos do público são os salgadinhos e a pipoca
Preço salgado: Um pacote de salgadinhos chega a custar R$ 15 na lanchonete
Atrapalhou a peça? Não. Mal dava para ouvir o público mastigando ou abrindo pacotes de salgadinho durante o espetáculo
Quantos comiam? Quase todos os espectadores comiam ou bebiam algo antes do início do espetáculo
Quanto tempo dura? As pessoas costumam comer antes do início da peça. Poucas levaram os sacos de pipoca para a plateia
Av. Brig. Luís Antônio, 931, Bela Vista, região central, tel. 3105-3129. 300 lugares. Qua. e qui.: 15h às 19h. Sex.: 16h às 23h. Sáb.: 14h às 23h. Dom.: 13h às 20h. Até 26/7.  teatrobibiferreira.com.br.  

TEATRO E BAR CEMITÉRIO DE AUTOMÓVEIS

Em cartaz: “Rolex - o Anti Velox”, de Mário Bortolotto
Cardápio: Além de teatro, o lugar é um bar, com poltronas e sofás, que serve bebidas e comidinhas, como a quiche de três queijos (R$ 8), cervejas long neck (R$ 9) e de 600 ml (R$ 13), vinhos em taça (R$ 13), além de doses de destilados e drinques, como caipirinha 
Pode entrar? Pode tudo, inclusive entrar no pequenino teatro com as garrafas de cerveja
Favoritos: O mais comum é ver o público tomando cerveja tranquilamente
Atrapalhou? Não, faz parte da experiência do espetáculo
Quantos comiam? Metade da sala estava tomando cerveja ou água 
R. Frei Caneca, 384, Consolação, região central, tel. 2371-5743. 33 lugares. Ter., qua., sex. e sáb.: 19h à 1h. Dom.: 18h à 1h.

TEATRO FOLHA

Em cartaz:  “Que Tal Nós Dois?”, com Carolina Ferraz e Otavio Martins, e Festival de Férias, com peças infantis
Cardápio: Com uma bonbonnière parecida com as clássicas de cinema, a atração é mesmo a pipoca, em quatro tamanhos (R$ 9 a R$ 13). Além disso, oferece chocolates e balas. 
Pode entrar? Com quaisquer comidas e bebidas, inclusive as servidas na praça de alimentação do shopping Higienópolis, vizinha do teatro
Favoritos: A oferta do shopping é eclética e apetitosa: das pizzas da Bráz Elettrica ao polpettone do Jardim de Napoli. Mas o público só quer mesmo saber é de pipoca e refrigerante 
Atrapalhou? Dava para sentir o cheiro de pipoca ao entrar na sala, apesar de só 20% do público estar comendo. O croc-croc não atrapalhou muito já que a peça “Que Tal Nós Dois?” tem muitos diálogos. Nos raros momentos de silêncio, no entanto, o som da mastigação (e até de gente sacudindo a pipoca pra espalhar o sal) logo aparecia
Av. Higienópolis, 618, terraço, Higienópolis, tel. 3823-2737. Qua. e qui.: 15h às 21h. Sex.: 15h às 21h30. Sáb.: 12h à 0h. Dom.: 12h às 20h.

TEATRO DE CONTÊINER MUNGUNZÁ

Em cartaz:  “Epidemia Prata”, da Cia. Mungunzá
Cardápio: Água, cerveja, vinho, café, salgados veganos e pipoca
Pode entrar? Com tudo, não existe restrição
Favoritos: O público aposta em salgados antes do espetáculo. Durante a peça, alguns tomavam cerveja e comiam pipoca 
Quanto vale o show? Você paga o quanto acha que deve em todos os itens do menu
Atrapalhou? Não, mas pouquíssimas pessoas estavam comendo. Havia dois espectadores com pipoca e sete com cerveja
Quanto tempo dura? A comilança não dura o espetáculo todo. Quando a peça vai começar, as pessoas que estão comendo do lado de fora começam a ingerir mais rápido ou guardam os alimentos na bolsa. O pessoal do teatro sempre explica, então, que é permitido comer dentro da sala
R. dos Gusmões, 43, Santa Efigênia, região central, tel. 97632-7852. 99 lugares. Bilheteria abre duas horas antes de cada espetáculo. ciamungunza.com.br. 

 

THEATRO NET

Em cartaz: “Chaplin, o Musical”
Cardápio: Bebidas, como água, suco, café, refrigerante e cerveja, e comidas, como pipoca e salgados assados
Pode entrar? Não há restrição. Tudo o que é servido na lanchonete do teatro pode ser consumido dentro da sala de espetáculos
Favoritos: A pipoca e os refrigerantes são os campeões de audiência
Atrapalhou? Não dá para ouvir o público mastigar ou agitar as embalagens. Ao fim das peças e shows, sobram algumas pipocas no chão 
Quantos comiam? Mais da metade do público entrou com pipoca e refrigerante
R. Olimpíadas, 360, 5º andar, Vila Olímpia, região sul, tel. 4003-1212. 799 lugares. Seg. a sáb.: 10h às 22h. Dom.: 12h às 20h. theatronetsaopaulo.com.br.  

 

TEATRO PROCÓPIO FERREIRA

Em cartaz: “Zeca Pagodinho - Uma História de Amor ao Samba”, musical de Gustavo Gasparani
Cardápio: Balas, chocolates, doces, salgadinhos, água, refrigerantes, café, 
vinho tinto e prosecco
Pode entrar? O vinho tinto, o café, o prosecco e a pipoca não são permitidos dentro do teatro
Favoritos: Salgadinhos e refrigerantes
Atrapalhou? O barulho dos pacotes de salgadinho sendo abertos furtivamente atrapalha um pouco a experiência do espetáculo
Quantos comiam? Pelo menos um terço dos espectadores entrou com comes e bebes, que foram repostos na hora do intervalo
Quanto tempo dura? A comilança dura a peça toda, mas é mais intensa no começo do espetáculo e logo após a volta do intervalo, quando o público se reabastece na lanchonete
R. Augusta, 2.823, Cerqueira César, região oeste, tel. 3083-4475. 624 lugares. Ter. e qua.: 14h às 19h. Qui. a dom.: a partir das 14h.

TEATRO DO SOL

Em cartaz: “A Falecida”, montagem do grupo Gattu para a peça de Nelson Rodrigues
Cardápio: O teatro abriu recentemente uma lanchonete que é tocada pelos próprios membros do Grupo Gattu. Por enquanto, o espaço serve apenas café para adultos, distribuído gratuitamente
Pode entrar? Não há restrições ao que o público pode comer e beber durante o espetáculo. Aliás, alguns espectadores compram alimentos em uma padaria e em uma lanchonete próximas para degustar principalmente antes da peça
Atrapalhou? O público não faz barulho durante o espetáculo e não parece atrapalhar ou desconcentrar os atores
Quantos comiam? Poucos. A maior parte das pessoas come ou bebe antes de entrar na sala de espetáculos
R. Damiana da Cunha, 413, Santa Teresinha, região norte, tel. 3791-2023. 60 lugares. Bilheteria abre uma hora antes de cada espetáculo. teatrodosol.com.br.  

TUCA

Em cartaz: “A Noite de 16 de Janeiro”, dirigida e protagonizada por Jô Soares
Cardápio: Salgados, sucos, água, café, chocolates, balas, cerveja, refrigerantes e taças de prosecco
Pode entrar? Salgados, cervejas, pipoca e café não são permitidos na sala de espetáculos. As bebidas só podem entrar em recipientes descartáveis
Favoritos: Além de desfilar pela sala de espetáculos com prosecco em taças de plástico, os espectadores procuram bastante pelo mix de castanhas
Atrapalhou? Como o teatro é espaçoso e os alimentos preferidos não são barulhentos, a comida e a bebida não interferiram na experiência
Quantos comiam? Cerca de um terço do público entrou com alimentos na sala 
Quanto tempo dura? A comilança é mais concentrada no início do espetáculo e logo depois do intervalo
R. Mte. Alegre, 1.024, Perdizes, região oeste, tel. 3670-8455. 672 lugares. Ter. a sáb.: 14h às 20h. Dom.: 14h às 19h. Estac. a partir de R$ 14 (n° 835).

TEATRO RAUL CORTEZ

Cardápio: O teatro possui um café que serve refrigerantes, chás, sucos em lata, salgados, bolos, tortas e pipoca
Pode entrar? Durante a visita da reportagem, em março deste ano, era possível entrar com pipoca. O teatro, no entanto, estabeleceu recentemente novas diretrizes e informou que não vai mais permitir que o público entre com comida na sala de espetáculos. Serão permitidas apenas garrafas de água
Atrapalhou? O barulho dos vizinhos não atrapalhou a experiência da peça. No entanto, algumas pipocas ficaram no chão no fim do espetáculo
Quantos comiam? Quase metade do público presente na sala Quanto tempo dura? Apenas durante o começo da peça —até quando dura o saco de pipoca 
R. Dr. Plínio Barreto, 285, Bela Vista, região central, tel. 3254-1631. 513 lugares. Ter. a qui.: 15h às 20h. Sex. a dom.: a partir das 15h. Valet a partir de R$ 23. teatroraulcortez.com.br.

 

TEATRO PEQUENO ATO

Em cartaz: “Lugar da Chuva”, dirigida por Otávio Oscar
Cardápio: Café, cerveja, água, refrigerante, chocolates, salgadinhos, pipoca e amendoim
Pode entrar? Nos espetáculos da Cia. Pequeno Ato, de Pedro Granato, que administra o teatro, não há nenhuma restrição à entrada de comidas e bebidas. Quando outros grupos se apresentam no local, no entanto, elas podem ser proibidas caso a companhia peça à direção
Favoritos: A maioria das pessoas entra na sala de espetáculos com cerveja
Atrapalhou? Os espectadores não fazem barulho e não atrapalham a encenação
Quanto tempo dura? Tanto quanto uma garrafa de cerveja
R. Dr. Teodoro Baima, 78, República, região central, tel. 99642-8350. 40 lugares. Bilheteria abre uma hora antes de cada espetáculo. Estac. a partir de R$ 10 (n°38). facebook.com/PequenoAto.

 

TEATRO VIRADALATA

Em cartaz: Peças infantis do Festival de Férias, como “A Procura da Água” e “Se essa Rua Fosse Minha”
Cardápio: Bebidas, como chope, caipirinha, água e refrigerante, e comidas, como salgados, pipoca e petiscos
Protagonistas: No menu, há também porções de batata frita, calabresa e queijo de coalho
Pode entrar? Sim, a única restrição é a embalagem, que deve ser descartável
Favoritos: A escolha do cardápio depende do público. Quando a peça é infantil, as crianças lotam a fila da pipoca e do refrigerante, como se estivessem no cinema. Quando as peças são adultas, os espectadores vão de chope ou de caipirinha
Atrapalhou? Não. O público não faz bagunça e não atrapalha a peça
Quantos comiam? Mais de um terço dos espectadores tinha algum alimento em mãos.
R. Apinajés, 1.387, Sumaré, região central, tel. 3868-2535. 270 lugares. Bilheteria abre duas horas antes de cada espetáculo. Estac. a partir de R$ 20 (r. Capital Federal, 290).

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais