Clássico de Camus inspira monólogo brutal com direção de Vera Holtz

'A Peste' estreia neste sábado (31) no teatro Eva Herz

Manuela Tecchio
São Paulo

Um dos textos mais emblemáticos do jornalista e dramaturgo franco-argelino Albert Camus, publicado nos anos 1940, ganha montagem teatral dirigida por Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia. 

No monólogo interpretado por Pedro Osório a narrativa de “A Peste” ganha contornos contemporâneos para falar do avanço de políticas autoritárias e retrocessos morais no mundo atual.

A história, considerada um clássico da literatura, acompanha o médico Bernard Rieux que passa um ano em confinamento, lutando contra o bacilo de uma terrível doença. 

Inspirada no caso real de uma epidemia de peste bubônica em Orã, cidade no litoral da Argélia, a trama fala metaforicamente dos males da Segunda Guerra Mundial e, mais especificamente, da invasão da França pelo Exército nazista alemão.

Fica perceptível a brutalidade da obra, do texto e da moral da trama em elementos como o cenário, construído apenas por um fundo escuro e pilhas de carvão.

Depois de temporadas no ano passado no Rio de Janeiro, em junho, e em Belo Horizonte, em agosto, a peça entra em cartaz pela primeira vez na capital paulista neste sábado (31), às 21h, no teatro Eva Herz.

Livraria Cultura (Conjunto Nacional) - teatro Eva Herz - Av. Paulista, 2.073, Bela Vista, tel. 3170-4059. Sáb.: 21h. Dom.: 19h. Estreia sáb. (31). Até 8/12. Ingr.: R$ 60 ​p/ sympla.com.br. 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais