Descrição de chapéu Artes Cênicas
Teatro

MITsp leva ao teatro robô ator, contos de fadas pornôs e Valter Hugo Mãe; conheça as peças

Mostra Internacional de Teatro de São Paulo volta a ser presencial, mas com versão mais enxuta

Cena de 'O Martelo e a Foice', com Joseph Drouet, monólogo dirigido por Julian Gosselin

Cena de 'O Martelo e a Foice', com Joseph Drouet, monólogo dirigido por Julian Gosselin Simon Gosselin/Divulgação

São Paulo

Chamada de "versão pocket", a oitava edição da MITsp, Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, volta à cidade nesta quinta (2), após um hiato causado pela pandemia de Covid-19. Na abertura, o palco do Sesc Pinheiros vai ser transformado num estádio de futebol.

Com direção do dramaturgo e cineasta francês Mohamed El Khatib, "Estádio" é uma peça-documentário que reúne torcedores do clube de futebol RC Lens, numa trama que aborda os estereótipos que rodeiam os times e seus torcedores.

Mas esse não é o único destaque internacional da MITsp, que vai até 12 de junho e traz também um monólogo encenado por um robô humanoide, uma peça cheia de referências a crimes de colarinho branco, texto inspirado em livro de Valter Hugo Mãe e um conto de fadas pornô inspirado na literatura erótica de Georges Bataille.

"É uma mostra de recomeços, muito significativa. Estamos celebrando a retomada cultural em meio à pandemia", diz Guilherme Marques, que, ao lado de Antônio Araújo, organiza a mostra.

Ainda assim, esta é uma edição mais modesta do que as anteriores, com orçamento 46% menor do que o do evento presencial anterior, feito 2020, pouco antes de os teatros e todo o setor cultural fecharem as portas. Há também menos estreias do que o habitual, sendo três brasileiras e uma estrangeira.

Mesmo com um cardápio de opções mais modesto, é possível assistir a bons espetáculos, participar de oficinas, debates e palestras. Descubra agora o que há de imperdível na programação.

MITsp

Estádio
Como num jogo de futebol, a peça é dividida em dois atos de 45 minutos cada um. O espetáculo, que tem traços de documentário, reúne torcedores de verdade de um time francês. Juntos, eles expõem depoimentos íntimos sobre a paixão pelo esporte e fazem reflexões sobre violência, rivalidade exacerbada e polarização dentro e fora dos estádios. O diretor, Mohamed El Khatib, desmancha a ideia de que torcedores são uma massa homogênea.
Direção: Mohamed El Khatib. Elenco: ​Afonso Costa, Bárbara Lins e Carol Cax. Teatro Sesc Pinheiros - r. Pais Leme, 195. Qui., às 20h; sex. e sáb., às 21h. De 2 a 4/6. R$ 40. 10 anos


História do Olho - Um Conto de Fadas Pornô-noir
Quem conhece um pouco sobre a narrativa de "História do Olho", um dos livros mais famosos de Georges Bataille, sabe bem que essa é uma história recheada de erotismo. Inspirada na obra, Janaina Leite traça na peça uma relação entre os universos do teatro e o da pornografia, a partir de uma história que conta o início da vida sexual de três adolescentes, em cenários de contos de fadas.
Direção: Janaina Leite. Elenco: Janaina Leite, André Medeiros Martins e Anita Saltiel. Teatro Paulo Eiró - av. Adolfo Pinheiro, 765, Santo Amaro. Sex. e sáb., às 20h; dom., às 18h. De 10 a 12/6. R$ 20. 18 anos


Antes do Tempo Existir
Fruto da peça "O Silêncio do Mundo: Velejando em Solitário", de 2020, o espetáculo imerge numa história que mescla ficção e não ficção e traça relações entre seres humanos, animais, a fauna e a flora, colocando em evidência povos indígenas.
Direção: Andreia Duarte. Elenco: Andreia Duarte, Denilson Baniwa e Lilly Baniwa. Teatro Cacilda Becker - r. Tito, 295, Lapa. Sex., às 18h; sáb. e dom., às 21h. De 10 a 12/6. R$ 20. Livre


O Martelo e a Foice
Adaptação de um conto do americano Don DeLillo, o monólogo conta a história de um presidiário que passa a criar laços com poderosos criminosos negociantes de arte. A história percorre crimes ficcionais de colarinho branco e faz várias críticas ao capitalismo contemporâneo.
Direção: Julien Gosselin. Elenco: ​Joseph Drouet. Teatro Paulo Eiró - av. Adolfo Pinheiro, 765, Santo Amaro . Sex. e sáb., às 21h; dom, às 20h. De 3 a 5/6. R$ 40. 14 anos


Vale da Estranheza
Em vez de atores, o elenco da peça traz um robô. Com um visual assustadoramente parecido com o de um ser humano e rosto do escritor Thomas Melle, a máquina protagoniza o espetáculo que levanta questionamentos entre o que há de diferente e de semelhante entre uma pessoa e uma máquina —e, acredite, há mais similaridades do que pode parecer.
Direção: Stefan Kaegi. Sesc Belenzinho - r. Padre Adelino, 1.000. Qua. e qui, às 21h; sex. e sáb., às 17h e 21h. De 8 a 11/6. R$ 40. Livre

'Vale da Estranheza', do suíço Stefan Kaegi, que integra a programação da MITsp
'Vale da Estranheza', do suíço Stefan Kaegi, que integra a programação da MITsp - Gabriela Neeb/Divulgação

Um Jardim para Educar as Bestas
Com textos de Ariano Suassuna, Guimarães Rosa e Euclides da Cunha, o espetáculo se passa no sertão brasileiro e traz um duo de piano e performances. Inspirada no livro "Homens Imprudentemente Poéticos", de Valter Hugo Mãe, a história narra uma fábula de Seu Inhês, um homem que ouve profecias que um bicho matará sua esposa em breve.
Direção e elenco: Eduardo Okamoto, Isa Kopelman, Marcelo Onofri e Daniele Sampaio. Biblioteca Mário de Andrade - r. da Consolação, 94, República. Sáb. e dom., às 17h. Dias 4, 5, 11 e 12/6. Grátis. 12 anos


Tragédia e Perspectiva I - O Prazer de Não Estar de Acordo
Primeira peça a ser produzida pela MITsp, a obra traz a história de cinco pessoas que compartilham um desencanto pela vida e passam a trocar detalhes de íntimos entre si, se aproximarem e até mesmo a cometerem crimes em conjunto. A obra imerge em assuntos atrelados ao exagero da polarização dos tempos atuais.
Direção: Alexandre Dal Farra e Lisandro Rodríguez. Elenco: Aldo Bueno, Pedro Guilherme e Flow Kountouriotis. Galpão do Folias - r. Ana Cintra, 213, Santa Cecilia. Seg. a dom., às 20h. De 6 a 12 de junho. R$ 40. 16 anos

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais

Mais lidas