Descrição de chapéu saúde
Bares

Fique em casa: confira uma seleção de petiscos clássicos de botecos para comer em casa

Em SP, bares de portas fechadas usam delivery para servir seus quitutes tradicionais

São Paulo

A reabertura dos bares foi autorizada com uma série de restrições, de horário a espaço. Apesar disso, muitos não se sentem à vontade para voltar ao ambiente boêmio. Mas isso não é razão para ficar longe de seus petiscos preferidos.

Quitutes tradicionais de vários bares, alguns premiados, podem ser encontrados via delivery ou para retirada no local. Confira abaixo como receber queridinhos da baixa gastronomia, como o bolovo, o sanduíche de pernil e variados bolinhos —tudo no conforto do lar.


Bar do Berinjela
O vencedor do concurso Comida di Buteco em 2013 coloca para entrega seus petiscos premiados. Dá para pedir, por exemplo, a porção campeã Surpresa do Berinjela (R$ 42), que leva seis unidades do bolinho de berinjela com calabresa e parmesão.
Pedidos pelo tel.: (11) 2671-2992 (também WhatsApp). Pça. Vinte de Janeiro, 67, Vila Regente Feijó, região leste.

Bar do Biu
O bar de Pinheiros que serve pratos típicos do nordeste funciona por delivery ou retirada enquanto não reabre as portas. Entre os saborosos petiscos de Dona Edi, aparecem as coxinhas de carne de sol (R$ 5 a unidade) e a porção de queijo de coalho com farofa de abóbora (R$ 49).
Pedidos pelo tel. (11) 3081-6739 e via WhatsApp (11) 98875-0513. R. Card. Arcoverde, 772/776, Pinheiros, região oeste. Delivery ou retirada: seg. a dom.: 11h às 17h.

Bolinho de carne do Bar do Luiz Fernandes
Bolinho de carne do Bar do Luiz Fernandes - Flavio Santana / Divulgação

Bar do Luiz Fernandes
Fixado no mesmo endereço desde os anos 1970, o boteco coloca os famosos quitutes para entrega. De casa, é possível pedir os bolinhos de carne (R$ 24 a porção com seis) e de bacalhau (R$ 7 a unidade), ou ainda o Carequinha (o bolovo da casa, por R$ 5).
Pedidos pelo tel. (11) 2976-3556 e via bardoluizfernandes.dvstore.com.br. R. Augusto Tolle, 610, Santana, região norte. Delivery ou retirada: qua. a sex.: 17h30 às 22h. Sáb.: 12h às 22h. Dom.: 12h às 19h.

Bar do Luiz Nozoie
O bar que começou como uma sorveteria em 1962 não deixou de servir sua especialidade na pandemia: o conhecido pastel —na verdade, um risole— é vendido por R$ 3 com recheios de carne, camarão com Catupiry e queijo. Também fazem sucesso o bolinho de milho (R$ 3,50) e o espetinho de filé de peixe (R$ 5).
Pedidos pelo tel. (11) 5061-4554 e via Instagram (@bardoluiznozoie). Av. Cursino, 1.210, Saúde.Delivery ou retirada: seg. a sáb.: 14h às 20h.

Bolovo do Bar Boca de Ouro
Bolovo do Bar Boca de Ouro - Divulgação

Boca de Ouro
O bar que costumava ter seu balcão apinhado de gente antes do distanciamento social ainda serve seu saboroso bolovo (R$ 16), mas também incluiu no delivery outros petiscos como a moela (R$ 25).
Pedidos pelo tel. (11) 4371-3933 (também WhatsApp) e via iFood. R. Con. Eugênio Leite, 1.121, Pinheiros, região oeste. Delivery ou retirada: qua. a dom.: 18h às 23h.

Chopp do Alemão
O bar que ficou no pódio do concurso Comida di Buteco em cinco edições entrega um de seus petiscos vencedores. Por R$ 33, é possível receber a Matilde —porção com dez bolinhos de mandioca recheados com costela.
Pedidos via WhatsApp (11) 97292-2026 R. Dr. José Paulo, 103, Chácara Seis de Outubro, região leste. Delivery ou retirada: seg. a dom.: 11h às 17h.

Estadão
O boteco abriu o salão, mas não é preciso sair de casa para comer um dos grandes sucessos paulistanos. O famoso sanduíche de pernil (R$ 23), que leva molho de tomate, cebola e pimentão, ainda pode ser pedido em outras dez versões. O lanche de mortadela com queijo (R$ 12) é outra sugestão.
Pedidos pelo tel. (11) 3257-7121 e via iFood. Vd. Nove de Julho, 193, Centro, região central. Delivery pelo iFood: seg. a dom.: 7h às 2h. Retirada no local: seg. a dom.: 24h.

Famoso Bar do Justo
O bar de Santana batizado com o jargão de seu dono (“Está justo?”) entrega seus quatro pratos vencedores do Comida di Buteco. Entre eles, aparece a Costela 40 horas (R$ 65,90) primeiro lugar de 2015, que é servida com tortinhas de inhame e geleia de pimenta e morango.
Pedido pelo tel. (11) 2979-7195 e via iFood ou Rappi. R. Alferes Magalhães, 25/29, Santana, região norte. Seg. a dom.: 11h30 às 24h.

Bolinho de arroz do Filial (R$30,50)
Bolinho de arroz do Filial - Divulgação

Filial
O bar que completou 20 anos durante a pandemia segue com o esquema de delivery e pronta entrega enquanto não reabre as portas para as comemorações. Carro-chefe entre os quitutes, a porção com oito unidades de bolinho de arroz sai por R$ 30,50.
Pedidos pelo tel. (11) 3813-9226 e via iFood. R. Fidalga, 254, Pinheiros, região oeste. Sex.: 17h às 22h. Sáb. e dom.: 12h às 22h.

Jordão Bar
Uma boa aposta no bar do Tatuapé que também está funcionando fisicamente das 11h às 17h é a porção de camarões graúdos com batatas ao murro e requeijão gratinado (R$ 94,90, para dois), mas o espaço também oferece petiscos mais tradicionais, como a porção mineira (R$ 55,90), com mandioca e polenta fritas e calabresa acebolada.
Pedidos pelo tel. (11) 2671-0670 (também WhatsApp) e via iFood. R. Apucarana, 1.452, Tatuapé, região leste. Seg. a qui. e dom.: 11h às 23h. Sex. e sáb.: 11h às 24h.

Coxinha cremosa de frango do Veloso
Coxinha cremosa de frango do Veloso - Leo Feltran/Divulgação

Moela
O espaço que abriu no início de 2020 entrega a estrela do cardápio —servida ao molho ou com salsa verde (R$ 15). Alternativas à moela são a polenta com rabada ou a língua com jiló (R$ 20), acompanhadas de pão francês.
Pedidos via WhatsApp (11) 99335-5556 ou Rappi. R. Canuto do Val, 136, Vila Buarque, região central. Ter. a sex.: 12h às 21h. Sáb.: 12h às 22h. Dom.: 12h às 18h.

Veloso
Famoso pelas coxinhas, o espaço trabalha com entrega no local sem pedido prévio, no esquema chegou, pediu e levou. A coxinha pode ser comprada por unidade (R$ 6) ou na porção com seis, por R$ 30. Outra sugestão é o caldinho de feijão (R$ 11).
R. Conceição Veloso, 54, Vila Mariana, região sul. Somente retirada: ter. a dom.: 16h às 22h.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais