Festival Mirada homenageia Colômbia e traz peças sobre violência e memória

Evento apresenta 41 espetáculos entre 5 e 15/9

Amanda Ribeiro
São Paulo

Reflexões sobre violência, política e memória guiam os 41 espetáculos que fazem parte da quinta edição do Mirada - Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas, promovido pelo Sesc na Baixada Santista.

A programação reúne companhias de 13 países. Só a Colômbia, homenageada desta edição, é responsável por nove atrações. 

Entre as peças, em sua maioria inéditas no Brasil, há destaques como “Eu Estava em minha Casa e Esperava que a Chuva Chegasse”, releitura de Antunes Filho para texto do francês Jean-Luc Lagarce, e “El Bramido de Dusseldorf”, do uruguaio Sergio Blanco.

Quem abre a programação é o Teatro Petra, de Bogotá. A companhia encena “Labio de Liebre”, que ironiza um assassino assombrado pelos fantasmas de suas vítimas.

Programação completa em: mirada.sescsp.org.br/


Destaques da programação

O Bramido de Düsseldorf
O espetáculo do uruguaio Sergio Blanco discute sexualidade e a busca por Deus.
Sesc Santos - R. Conselheiro Ribas, 136. Qua. (12): 21h. Qui. (13): 18h. 

Eu Estava em minha Casa e Esperava que a Chuva Chegasse
Na montagem de Antunes Filho, a vida de uma família muda com a volta do filho.
Sesc Santos - R. Conselheiro Ribas, 136. Qui. (13): 21h. Sex. (14): 21h.

Corpos Opacos
A história real acompanha religiosas que viviam em um mosteiro na Colômbia.
Sesc Santos - R. Conselheiro Ribas, 136. Sex. (7): 19h. Sáb. (8): 19h.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais