Retrospectiva exibe 120 obras de Leonilson, destaque da Geração 80

Mostra no Centro Cultural Fiesp começa na quarta (20)

Amanda Ribeiro
São Paulo

Um dos expoentes da Geração 80, época que revelou nomes como Leda Catunda e Daniel Sesini, o artista cearense Leonilson morreu precocemente, aos 36 anos. A iminência do contato com a morte, causada pela Aids, é um dos principais temas de sua vasta produção, que chega a cerca de 3.400 peças. 

Um recorte de 120 delas será exibido na Fiesp, na mostra “Leonilson: Arquivo e Memória Vivos”, que tem inauguração marcada para quarta (20).

Com curadoria de Ricardo Resende, a exposição reúne pinturas, desenhos e bordados coletados de coleções particulares e institucionais. As obras foram descobertas graças a pesquisas conduzidas pelo Projeto Leonilson, que lançou em 2017 um catálogo com todas as obras conhecidas do artista. A organização é uma das responsáveis pela exposição.

A expografia se ancora em três núcleos temáticos cronológicos: anos 1970, anos 1980 e anos 1990, década da morte do artista. São apresentados ali desde os primeiros desenhos e pinturas até obras produzidas ao longo de seus últimos meses de vida.

Além dos trabalhos do artista, integra a mostra o média-metragem “Leonilson, sob o Peso dos Meus Amores”, do cineasta Carlos Nader, que discute a vida e a obra do cearense.
 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais