Monólogo revisita trajetória do ativista gay Harvey Milk

O ator Ed Moraes protagoniza espetáculo que traça paralelos entre a história do ativista e a realidade brasileira

São Paulo

Político e ativista americano, Harvey Bernard Milk (1930-1978) foi o primeiro homem abertamente gay a ser eleito a um cargo público na Califórnia. Sua trajetória, que já serviu como base para adaptações no cinema e no teatro, é revisitada no monólogo “Eu Não Sou Harvey – O Desafio das Cabeças Trocadas”, que estreia nesta quinta (13), no Sesc Pinheiros. A direção e o texto são de Michelle Ferreira.

A peça, contudo, não têm a proposta de reconstruir de maneira factual e cronológica a trajetória de Milk —a própria figura do ator  funde-se com a do ativista e nem sempre fica claro onde começa um e termina o outro. 

Ed Moraes vive Harvey Milk na peça 'Eu Não Sou Harvey'
Ed Moraes vive Harvey Milk na peça 'Eu Não Sou Harvey - O Desafio das Cabeças Trocadas’ - Caio Oviedo/Divulgação

Ao deixar o lado biográfico em segundo plano —“eu vou morrer”, anuncia o ator logo de início—, a narrativa traça paralelos entre a história do Milik, a realidade brasileira e contextos que culminaram no seu assassinato, nos Estados Unidos. Ele foi atingido por cinco tiros disparados pelo seu oponente político Dan White.  

Não é a primeira vez que a diretora fala de homofobia em seus espetáculos. Nesta peça, porém, a temática se entrelaça com críticas à lógica capitalista. O açúcar refinado entra em cena como uma alegoria do mal. 

Sesc Pinheiros - auditório - R. Pais Leme, 195, Pinheiros, tel. 3095-9400. 98 lugares. Qui. e sex.: 20h30. Até 14/3. Estreia 13/2. Ingr.: R$ 9 a R$ 30. Ingr. p/ sescsp.org.br. 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais

Mais lidas