Dois anos após fechamento, bar BTNK reabre em endereço fixo na Mooca e com novo cardápio

Casa ocupa fábrica dos anos 1930 e tem mesas dentro de antigo vagão de trem

Leonardo Sanchez
São Paulo

Sensação na Mooca entre 2015 e 2017, o BTNK  atraiu moradores de toda a cidade para a zona leste. Instalado em um vagão de trem desativado, estava previsto para durar apenas três meses, mas graças à sua popularidade ficou quase dois anos em funcionamento.

Agora a casa reabre em endereço fixo, uma fábrica dos anos 1930, e mantém a aura vintage —quem entra no espaçoso salão logo se depara com um vagão de carga de 1942 que abriga diversas mesinhas.

“O BTNK é uma homenagem à geração beatnik, que surgiu nos Estados Unidos dos anos 1950 e era formada por hedonistas, boêmios”, explica Ian Haudenschild, proprietário do endereço ao lado de Patrícia Valera e Lucas Carrat.

Um dos representantes do movimento foi Jack Kerouac, autor de “On the Road”, cujo protagonista dormia em locais como fábricas e vagões em sua fuga do materialismo e do conformismo. Daí a inspiração para o bar.

Ao longo dos dois anos entre um BTNK e outro, eles procuraram fábricas desativadas do bairro para instalar o empreendimento. Como muitos desses imóveis são tombados, problemas surgiram no meio do caminho, até chegar à rua Tobias Barreto.

"Esse é o melhor imóvel que a gente encontrou, o mais bem localizado e tinha muita coisa pronta. Ele estava pronto para nós."

Com palco para apresentações de blues e jazz (a programação é publicada nas redes sociais), tem carta de drinques clássicos e autorais, com opções como o Short Trip to Rio (R$ 26), mistura de vodca, cranberry, shrub (espécie de xarope ácido feito a partir de frutas e açúcar) de morango e licor de cereja. 

Já o Beat Mule (R$ 26) é uma releitura do moscow mule, feita com uísque, xarope de pimenta, suco de limão, sidra artesanal e espuma de cítricos, enquanto o Sour Station (R$ 26) leva gim, infusão de hibisco, suco de limão e licor de framboesa.

Para comer, há porções e sanduíches como o saboroso Meat Paradise (R$ 30) —alcatra, creme de provolone e cogumelos na baguete.

R. Tobias Barreto, 779, Alto da Mooca, região leste. 240 lugares. Qui. a dom.: 18h à 1h. Ingr. (sex. e sáb.): R$ 10. Beat Mule: R$ 26.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais