MITsp chega à sua quinta edição com repertório focado na palavra e na música 

Mostra deve ocupar nove palcos paulistanos a partir de quinta (1º)

Amanda Ribeiro
São Paulo

Com repertório voltado ao uso experimental da música e da palavra, a Mostra Internacional de Teatro de São Paulo (MITsp) chega à sua quinta edição e ocupa nove palcos paulistanos a partir de quinta (1º).

Até o dia 11, dez espetáculos —nove deles estrangeiros— serão apresentados em espaços como o Itaú Cultural, unidades do Sesc e o Auditório Ibirapuera.

Artista homenageado da edição, o francês Joris Lacoste apresenta nos dias 2 e 3 “Suíte nº 2”, criado a partir de textos em diversas línguas e suportes que foram coletados por ele desde 2007.

Também transitam pelo campo da experimentação com o som e a palavra o polonês Krystian Lupa e o suíço Christoph Marthaler, ambos pela primeira vez em São Paulo.

A programação, que também discute política, memória, racismo e migração, extrapola os palcos e abarca oficinas, palestras, ações pedagógicas e mesas de discussão. Confira a programação completa em mitsp.org/2018.

 
 

Árvores Abatidas
O polonês Krystian Lupa dirige essa montagem do texto do austríaco Thomas Bernhard. Ao longo de quatro horas e 40 minutos, a peça explora a palavra e o silêncio em uma reunião de antigos amigos que decidem se reencontrar depois que um deles se mata. Antes rebeldes e boêmios e agora conformados e ricos, eles examinam o passado.
Sesc Pinheiros - R. Pais Leme, 195, Pinheiros, tel. 3095-9400. 492 lugares. Sex (2). e sáb. (3): 18h. Dom. (4): 17h. Ingr.: R$ 30

Campo Minado

Para tentar compreender as mágoas deixadas pela guerra das Malvinas (1982), a dramaturga argentina Lola Arias decidiu criar um espetáculo que reunisse ex-combatentes argentinos e ingleses. Na trama, o palco se transforma em uma máquina do tempo, que examina as memórias dos veteranos.
Centro Cultural Fiesp - teatro Sesi - Av. Paulista, 1.313, térreo, Bela Vista, tel. 3146-7439. 456 lugares. Qui. (1º), sex. (2) e sáb. (3): 20h. Dom. (4): 18h. É necessário fazer inscrição p/ sesisp.org.br. GRÁTIS

A Gente se Vê por Aqui
Concebida por Nuno Ramos, a performance tem duração de 24 horas e começa a ser apresentada no domingo por volta das 21h, horário em que começa o Fantástico na TV Globo. Munidos de um kit de sobrevivência, com banheiros químicos, uma cama e uma cozinha improvisada, dois atores encenam no palco 24 horas de programação da emissora.
Galpão do Folias - R. Ana Cintra, 213, Campos Elíseos, tel. 3361-2223. 80 lugares. Dom. (11): 21h até as 21h de seg. Retirar ingresso uma hora antes GRÁTIS

Hamlet
O dramaturgo e diretor suíço Boris Nikitin adapta o clássico de Shakespeare para uma linguagem que transita entre a performance e os teatros documentário e musical. Acompanhado de um quarteto barroco, um performer de uma banda de música eletrônica canta e interpreta um Hamlet revoltado com a plateia e com o mundo.
Teatro Faap - R. Alagoas, 903, Higienópolis, tel. 3662-7233. 500 lugares. Ter. (6) a qui. (8): 21h. Ingr.: R$ 30

King Size
Um quarto de hotel decorado com tons florais e mobiliado com uma cama king size é o cenário do musical do suíço Christoph Marthaler. Sem falas, o espetáculo tem repertório eclético, que traz desde composições de Schumann até músicas do Jackson 5. Costuradas, as canções contam a história de um casal. 
Sesc Vila Mariana - R. Pelotas, 141, Vila Mariana, região sul, tel. 5080-3000. 400 lugares. Sáb. (3) e ter. (6): 21h. Dom. (4): 18h. Até 6/3. Ingresso: R$ 30.  

País Clandestino
O espetáculo nasceu da troca de experiências entre a uruguaia Florencia Lindner, o argentino Jorge Eiro, a espanhola Lucía Miranda, a francesa Mäelle Poésy e o brasileiro Pedro Granato, que se conheceram durante uma residência artística em Nova York em 2014. Na peça, os diretores e dramaturgos entram em cena para expressar visões sobre política, história, arte e memória.
Teatro Municipal Cacilda Becker - R. Tito, 295, Vila Romana, tel. 3864-4513. 198 lugares. Sex. (9) e sáb. (10): 21h. Dom. (11): 18h. Ingr.: R$ 30, p/ ingressorapido.com.br.

Palmira
A cidade síria de Palmira, saqueada e destruída pelo Estado Islâmico em 2015, é o ponto de partida para o espetáculo do francês Bertrand Lesca e do grego Nasi Voutsas, que mistura realidade e ficção para 
discutir vingança e barbárie.
Teatro Sérgio Cardoso - sala Paschoal Carlos Magno - R. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, região central, tel. 3288-0136. 144 lugares. Seg (5). a qua.(7): 21h. Ingr.: R$ 30, p/ 4003-1212 ou ingressorapido.com.br

sal.
A atriz inglesa Selina Thompson reconstrói, neste solo, a viagem que fez em um navio cargueiro por uma das antigas rotas de comercialização de escravos, que passava por Inglaterra, Gana e Jamaica. O espetáculo dá sequência à discussão sobre o racismo, já abordado em outras edições da mostra.
Itaú Cultural - Av. Paulista, 149, Bela Vista, tel. 2168-1777. Qua. (7) e qui. (8): 21h30. Sex. (9) e sáb. (10): 20h. Retirar ingresso uma hora antes. GRÁTIS

Suíte nº 2
Assinado pelo artista homenageado da edição, o francês Joris Lacoste, o espetáculo é parte do projeto “Enciclopédia da Palavra”, iniciado em 2007. A dramaturgia é costurada a partir de uma série de textos, que vão de pesquisas médicas a cartas de amor, coletados pelo autor ao longo desses 11 anos.
Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer - plateia interna - Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portões 2 (pedestre) e 3 (veículos), Parque Ibirapuera, região sul, tel. 3629-1075. 806 lugares. Sex (2). e sáb. (3): 21h. Ingr.: R$ 30, p/ ingressorapido.com.br

Iniciativa propõe exportar teatro nacional

Uma das novidades desta edição, a MITbr - Plataforma Brasil pretende dar um significado diferente ao termo internacional que integra o nome da mostra. Em vez de apenas importar os espetáculos de grandes dramaturgos, a ideia agora é apresentar o teatro brasileiro a programadores de festivais estrangeiros e nacionais.

Ainda em caráter experimental, a MITbr pretende trazer cerca de 15 programadores para assistir a uma seleção de espetáculos que discute a memória nacional.

Entre as peças selecionadas estão “Leite Derramado”, versão de Roberto Alvim para o livro de Chico Buarque, que mostra uma visão panorâmica de séculos da história do Brasil, e “Caranguejo Overdrive”, da Aquela Cia., que critica a brutalização urbana no Rio.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais