Fique em casa: veja 7 peças do MITsp disponíveis gratuitamente no streaming

Conteúdo da sexta edição do evento fica liberado no Spcine Play até 20 de agosto

São Paulo

A Mostra Internacional de Teatro de São Paulo - MITsp, realizada entre 5 e 15 de março, foi um dos últimos grandes eventos do calendário cultural da cidade antes da quarentena. Ainda assim, algumas das peças tiveram apresentações canceladas para evitar aglomerações.

Fãs da mostra e amantes do teatro podem conferir sete espetáculos da sexta edição do MITsp, realizada em 2019, gratuitamente no canal sob demanda Spcine Play até 20 de agosto. Única plataforma de streaming pública do Brasil, o Spcine Play reúne normalmente conteúdo voltado ao cinema, com títulos exibido em festivais.

Entre as as montagens disponíveis estão "Manifesto Transpofágico", monólogo da Renata Carvalho sobre o corpo travesti na sociedade, e "Cria", peça que mistura a técnica do passinho com a dança contemporânea.

Confira.

Altíssimo
Recife, 2017. Direção: Pedro Vilela. 50 min. 16 anos.
Parceria do dramaturgo Alexandre dal Farra com o encenador Pedro Vilela, o monólogo da companhia recifense Trema! Plataforma de Teatro investiga a expansão das religiões neopentecostais no país.

A Boba
Brasil/França. Direção: Wagner Schwartz. 50 min. 12 anos.
Depois da polêmica "La Bête", apresentada no MAM de SP e alvo de acusações de pedofilia, Schwartz encena esta peça inspirada na pintura "A Boba", de Anita Malfatti, para confrontar a ideia de nação.

Colônia
Rio de Janeiro, 2017. Direção: Vinícius Arneiro. 60 min. 14 anos.
Nesta peça-palestra cujo cenário é uma sala de aula, Renato Livera interpreta um professor que discorre sobre a multiplicidade de sentidos da palavra "colônia", passeando pelas disciplinas da biologia, dos estudos sociais e da história nacional.

Cria
Grupo Cia. Suave Rio de Janeiro, 2017. 50 min. 14 anos.
Coreografado por Alice Ripoll e pela Cia. Suave, o espetáculo insere a técnica do passinho no contexto da dança contemporânea. Para investigar a importância e o sentido da criação artística, a performance defende o estilo, que nasceu na periferia, como uma espécie de vanguarda.

Manifesto Transpofágico
São Paulo. Direção: Luiz Fernando Marques. 50 min. 18 anos.
Impedida de interpretar um Cristo travesti no espetáculo "O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu", em 2017, a atriz Renata Carvalho fala sobre a exclusão histórica e a folclorização do corpo travesti neste monólogo. Com isso, coloca em xeque estruturas preconceituosas enraizadas em campos tão diversos quanto a gramática, a medicina e o judiciário.

Protocolo Elefante
Florianópolis, 2016. Grupo: Grupo Cena 11 Cia. de Dança. 90 min. 16 anos.
O ritual de afastamento e isolamento dos elefantes que acontece na iminência de sua morte serve de metáfora para a separação e o exílio nesta coreografia.

Vestígios
São Paulo, 2010. Direção: Marta Soares. 50 min. Livre.
Os sambaquis, cemitérios indígenas pré-históricos encontrados no litoral do Brasil, servem de inspiração para o espetáculo. Misturando performance, videoinstalação e dança, ele investiga os conceitos de lugar, não-lugar, e espaço de fora.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais