Descrição de chapéu teatro Grécia
Teatro

Gregorio Duvivier vive Sísifo pós-moderno em peça sobre memes e fake news

Escrito a quatro mãos com Vinicius Calderoni, monólogo estreia nesta sexta (13)

Manuela Tecchio
São Paulo

Diz a mitologia grega que era este o castigo do herói: rolar uma imensa pedra até o topo de uma íngreme montanha, cujo pico pontiagudo era incapaz de equilibrá-la. A rocha saía, então, rolando morro abaixo pelo outro lado e era preciso tornar a empurrá-la no instante seguinte. Todos os dias de sua vida.  Um após o outro. Até morrer.

É desta famosa tragédia que parte o texto de “Sísifo”, monólogo escrito por Vinicius Calderoni, que também dirige, e por Gregorio Duvivier (colunista da Folha), que interpreta.

Com produção de Andrea Alves — a mesma de “Suassuna” (2017), “Elza” (2018) e “Macunaíma” (2019)—, a peça conta ainda com direção musical de Mariá Portugal, que recentemente passou a assinar trabalhos como “Lazarus” (pág. 63) no teatro.

No palco ocupado apenas por uma rampa, a epopeia metafórica sobre a inutilidade dos esforços humanos ganha contornos atuais ao discutir a sociedade pós-moderna veloz e hiperconectada, com seus computadores, celulares, redes sociais, memes e fake news. 

Depois de estrear no Festival de Curitiba e de uma breve temporada no Rio de Janeiro, no mês passado, a peça chega à capital paulista pela primeira vez nesta sexta (13), às 21h, para ocupar o teatro do Sesc Santana. 

Sesc Santana - teatro - Av. Luiz Dumont Villares, 579, Jardim São Paulo, tel. 2971-8700. Sex. e sáb.: 21h. Dom.: 18h. Estreia sex. (13). Até 20/10. 90 min. 16 anos. Ingr.: R$ 12 a R$ 40 p/ sescsp.org.br. 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais